Publicidade

Estado de Minas

O que fazer quando a criança se acidenta e perde um dente da frente?

Durante a infância e adolescência, não é incomum perder um dente permanente ao cair da bicicleta, trombar num amigo durante uma partida de futebol etc.


postado em 28/08/2017 14:45

Dos dois aos seis anos de idade, as crianças usam todos os seus dentes de leite (decíduos). A partir dos seis anos, até por volta dos 11 ou 12 anos, eles são substituídos pelos dentes permanentes ? que deveriam receber todos os cuidados para durar a vida inteira. Porém, a substituição completa da dentição infantil se dá num momento de máxima atividade física. Os antigos diziam: criança parada é criança doente. Por isso, não é incomum perder um dente permanente ao cair da bicicleta, trombar num amigo durante uma partida de futebol etc. O que fazer quando isso acontece? Existe a possibilidade de um pré-adolescente receber um implante dental?

De acordo com Artur Cerri, coordenador de pós-graduação lato sensu e extensão da FAOA (Faculdade de Odontologia da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), os implantes não são a melhor opção durante a fase de crescimento do adolescente. As meninas devem aguardar até pelo menos 15 anos, quando praticamente completam seu crescimento. Já os meninos devem aguardar até os 17 anos. "Antes disso, há alguns passos a seguir. O primeiro é manter a calma em caso de acidente e encontrar o dente avulsionado. Vale ressaltar que é importante pegar o dente pela parte branca, não pela raiz. Depois disso, recomendamos lavar em água corrente e ir diretamente para uma clínica odontológica. O dente deve ser armazenado em soro fisiológico, na própria boca, ou ainda num recipiente com leite. São muitos os casos em que é possível reimplantar o próprio dente. Mas vai depender do tipo de avulsão, das condições do dente em questão, do tempo que levou até chegar ao cirurgião-dentista etc.".

Cerri explica que, se o dente permanecer por mais de duas horas fora do lugar, sua raiz pode ser reabsorvida, já que o tecido que envolve esse dente acaba perdendo vitalidade. "Como o dente avulsionado não tem oxigênio e fluxo sanguíneo, ele "morrerá" rapidamente se não for reimplantado. Já se tudo ocorrer de forma favorável, esse dente poderá permanecer na boca do adolescente por vários anos. Em muitos casos, deverá ser realizado o tratamento de canal nesse dente, que terá uma coloração diferente dos demais e deverá ser substituído por um implante dental na fase adulta, principalmente por razões estéticas".

Mas o que fazer se o dente natural não puder ser reimplantado nem a criança tiver idade suficiente para receber um implante dentário? De acordo com Cerri, nestes casos só uma prótese pode resolver o problema do espaço vazio. "Além da questão estética, é fundamental preservar o espaço do dente para que todo o conjunto não venha a sofrer e a se deslocar, causando mais prejuízos".

FAOA ABRE VÁRIAS TURMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM IMPLANTODONTIA

Nos meses de agosto e setembro, a FAOA tem quatro turmas de pós-graduação em implantodontia começando, sempre com a coordenação de grandes especialistas da área. Confira:

Início em 17/8: http://faoa.edu.br/index.php/curso/111/cursos-de-pos-graduacao-especializacao/implantodontia

Início em 23/8: http://faoa.edu.br/index.php/curso/92/cursos-de-pos-graduacao-especializacao/implantodontia

Início em 4/9: http://faoa.edu.br/index.php/curso/115/cursos-de-pos-graduacao-especializacao/implantodontia


Início em 11/9: http://faoa.edu.br/index.php/curso/119/cursos-de-pos-graduacao-especializacao/implantodontia



Website: http://faoa.edu.br/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade