Publicidade

Estado de Minas

Conheça mais sobre leilões e as diferenças e oportunidades dos leilões judiciais e extrajudiciais


postado em 25/08/2017 18:00

(foto: Dino)
(foto: Dino)
Quem opta por conhecer o sistema de leilões de imóveis ou automóveis, até mesmo de outros tipos de produtos, naturalmente se depara com uma das dúvidas mais comuns entre os principiantes. Afinal, o que são leilões judiciais e extrajudiciais? A resposta é simples e o seu objetivo pode definir qual tipo de leilão você deverá participar. Vamos entender como cada um funciona e quais as oportunidades que eles oferecem.

Já sabemos que leilão normalmente é a compra de um bem por meio de um lance maior. Muitas vezes, os bens chegam à leilão por conta de alguns fatores, como falta de pagamento por parte do atual dono ao banco, desistência do atual dono por alguma razão, bens retomados pelo próprio banco ou até produtos confiscados em operações ou algo do tipo. Independentemente da fonte, podemos classificar os leilões em dois tipos: judiciais e extrajudiciais. Vamos entender melhor abaixo!

Entendendo sobre os leilões judiciais

Os leilões judiciais são basicamente a retirada de bens de um devedor para quitação ao credor. Ou seja, "quem deixa de pagar um carro ou uma casa, corre o risco de perder o bem para o leilão. Normalmente, para o comprador, isso não necessariamente faz tanta diferença, exceto nos casos das condições dos produtos", explica Claudio Brandani, advogado e especialista no ramo imobiliário há 30 anos e sócio da FCA Leilões.

Para ele, casas e carros retomados, por exemplo, apresentam melhores condições e boas oportunidades, mas isso não é uma regra. Basicamente, leilão judicial é um tipo de negociação feito pela própria Justiça além de ter um procedimento realizado e autorizado pela Justiça, sejam eles Leilão da Justiça Estadual, Federal ou Justiça do Trabalho.

Entendendo sobre leilões extrajudiciais

O contrário, o leilão extrajudicial não é feito pelo poder Judiciário, mas sim por instituições financeiras, como os bancos que dão crédito para a compra de veículos e imóveis. Neste caso, os bens também são excelentes, dependendo da procedência e também do tipo de negociação. De um modo geral, as entidades que realizam a venda de lotes por leilão extrajudicial buscam a recuperação, ou parte dela, do dinheiro, do valor investido.

Os preços em leilões extrajudiciais costumam ser mais em conta, abaixo mesmo do que é avaliado no mercado.

Outros tipos de leilões

Existem outros tipos de leilões, como o de concorrência pública, venda direta e leilão pela iniciativa particular. Todos basicamente possuem editais, que são as condições gerais do leilão e devem ter informações claras sobre os lotes. Os interessados podem participar e só necessitam, normalmente, preencher uma ficha com dados pessoais básicos ou realizar um cadastro e solicitação a habilitação ao leiloeiro.

Qual leilão eu devo participar?

Brandani orienta que a escolha do leilão é feita com base no objetivo e nas condições de cada aquisição e investimento. Cada tipo de negociação possui suas vantagens e todos possuem um bom preço. Agora, quem tiver tempo e disposição pode encontrar bons negócios em trâmite na Justiça. Fora disso, os outros lotes, que não necessariamente estão sob o poder judicial, podem ser facilmente negociados.

Na prática, participar de um leilão e fazer um bom negócio só depende mesmo do investidor ou comprador. Diversos bens são negociados semanalmente em várias instituições e periodicamente pela Justiça em diferentes esferas.

Lembre-se que, independentemente do tipo de leilão, o interessado na negociação precisa se atentar ao edital, as informações lá compartilhadas. Este documento indica as negociações, os detalhes do lote e dia e horário para visitar o bem, dependente do objeto. Brandani reforça que a documentação é uma parte essencial que deve ser entendida pelo futuro comprador, pois é com a junção de várias informações que o investidor pode concluir se está ou não diante de um bom negócio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade