Publicidade

Estado de Minas

A fábrica do futuro chegou e com ela caem as barreiras para aumento da produtividade


postado em 25/08/2017 10:45

(foto: Dino)
(foto: Dino)
A busca por aumento de produtividade foi, é e sempre será uma eterna batalha dentro do cenário industrial. Para alcançar o máximo das metas muito tempo se dedicou em desenvolver soluções que identificasse gargalos na linha de produção e desse uma panorâmica sobre os reais motivos de uma baixa na produtividade. O mais recente modelo, até então, é o já aplicado nos conhecidos sistemas OEE, mas ainda é ineficaz. E por um simples motivo: a informação só chega para quem decide depois que o problema ocorreu, como se você olhasse em um retrovisor, sendo que muitas vezes não há mais como tomar uma atitude que mudaria o final da história, ou no caso, mudaria o tamanho da produção.

Há ainda que se colocar nesta conta o fator humano, visto que o sistema gera as informações, mas alguém terá que compilar esses dados, que viram relatórios e que, muito provavelmente, vão virar um amontoado de papel engavetado.

Olhando por essa ótica, é importante pensar: Por que não podemos desenvolver algo que te avise de problemas quando sua performance começa a cair e não quando ela já foi perdida? Por que não podemos desenvolver algo que te acompanhe em todo lugar e que principalmente te diga em tempo real, aquilo que você demoraria dias para saber? E é exatamente esse o trabalho que os gestores das indústrias desejam. E agora é possível. A fábrica do futuro realmente chegou. Mais que isso, ela ainda fala com você.

Com as plataformas de Internet industrial, que agregam os conceitos de Indústria 4.0, é possível monitorar uma linha de produção, sistemas de HVAC, motores, ambientes, gases ou qualquer tipo de sensor que seja necessário para determinada indústria. É possível coletar dados, aplicar inteligência artificial e entregar informação em tempo real, onde quer que você esteja. Os sistemas combinam computação cognitiva, Big Data e Inteligência Artificial focados em resolver problemas e prover soluções. Ao acessar o sistema, o gestor terá a resposta que ele quiser. Ao perguntar sobre determinada linha, por exemplo, o sistema lhe falará de forma atualizada o que está sendo produzido, se ela parou e o motivo da parada.

Por fim, é importante entender que a busca por produtividade é algo que sempre existiu, mas é preciso também perceber que essa questão já não pode mais ser resolvida como 20 ou 30 atrás, já que temos a tecnologia a nosso favor. Agora a fábrica pode falar o que acontece em tempo real, com a informação precisa e em qualquer lugar.

*Rodrigo Klein é diretor da T2 Software, empresa focada no desenvolvimento de soluções com conceito de Indústria 4.0 e rastreabilidade industrial


Website: http://www.neosensor.net/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade