Publicidade

Estado de Minas

Idosos correm mais risco de sofrer quedas e fraturas


postado em 24/08/2017 17:45

(foto: Dino)
(foto: Dino)
De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), de 5% a 10% da população com mais de 60 anos sofre algum tipo de acidente doméstico grave. Segundo a chefe da Emergência do Hospital São Lucas Copacabana, Dra. Teresa Navarro Vannucci, as mudanças comuns ao envelhecimento podem reduzir a força nas pernas e a diminuição da velocidade da marcha e do equilíbrio, aumentando a incidência de quedas e fraturas.

Com o objetivo de disponibilizar um atendimento global ao paciente, o HSL criou recentemente um novo serviço de emergência especializado no atendimento às vítimas de traumas ? seja por acidentes domésticos, seja por acidentes de trânsito ou outros tipos de sinistro. O Centro de Trauma, que já está em funcionamento 24 horas por dia, é habilitado a receber as vítimas de politraumatismo que procuram o hospital diretamente e conta com uma equipe especializada para atendimento de pequenos e grandes traumas.


Confira dicas para evitar o risco de quedas em casa e outras recomendações

? Instalar piso antiderrapante, corrimão e rampa de acesso. Porém, como nem sempre é possível viabilizar piso antiderrapante em toda a casa, é imprescindível que o calçado do idoso seja com solado antiderrapante; não utilizar pantufas e chinelinhos com sola de tecido.

? Evitar tapetinhos ou paninhos de enfeite pelo chão.

? Instalar suporte de apoio dentro do box e próximo ao vaso sanitário.

? Não é recomendável que o idoso tranque a porta do banheiro.

? Outros fatores importantes são a altura e o tamanho dos móveis. Os objetos de maior uso devem estar ao alcance do idoso; com isso, evita-se que eles utilizem bancos ou escadas para alcançá-los.

? Cadeiras, poltronas e camas precisam ser de fácil acesso e contar com apoios (costas, braços e cabeceiras) para os momentos de levantar, sentar e deitar.

? À noite, recomenda-se utilizar abajur ou outro tipo de iluminação indireta nos cômodos de circulação do idoso (quarto, corredores, banheiro e cozinha).

? Atenção redobrada com os idosos que sofrem de artrose e catarata, dois fatores que potencializam os riscos de queda.

Atenção à alimentação!

As mudanças fisiológicas naturais do envelhecimento interferem no apetite, no consumo e na absorção de nutrientes. Por isso, a ingesta de alimentos saudáveis vai auxiliar também na prevenção ou na minimização de doenças relacionadas a essa fase da vida e contribuir para o ritmo favorável do envelhecimento. Um cardápio composto de fibras, vitaminas e minerais ajuda a manter a força e o equilíbrio do idoso.

Ingesta hídrica - beber bastante água, chás e sucos (de preferência sem açúcar!) para evitar a desidratação.

Diminuir a quantidade de sal na comida.

Evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

Caso necessário, consultar um especialista para elaborar uma dieta saudável e específica.


Consulta e medicamentos
Recomenda-se que o idoso vá acompanhado de um familiar a suas consultas médicas e realização de exames. Dessa forma, será mais seguro apreender as recomendações indicadas.

Os idosos costumam utilizar medicação de uso contínuo; portanto, é importante que seja preparada uma relação em papel para ser compartilhada com a família.

Medicamentos não devem ser usados por conta própria, pois alguns causam desequilíbrio, possibilitando quedas.

É importante fazer consultar e exames periódicos de rotina.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade