Publicidade

Estado de Minas

Recreação aquática: brincadeiras na piscina oferecem diversos benefícios


postado em 24/08/2017 13:30

(foto: Dino)
(foto: Dino)
As piscinas se tornam cada vez mais populares, a área de lazer que até pouco tempo atrás só era encontrada em clubes, academias e casas de pessoas mais abastadas, agora se tornou um bem comum e muito desejado por todos. Usada para relaxamento, diversão e atividades físicas, as piscinas também geram preocupação para as famílias que têm crianças pequenas, visto que o risco de afogamento por parte dessas é maior. Para melhorar o desenvolvimento físico das crianças e adaptá-las ao meio aquático, os pais geralmente matriculam as crianças em aulas de natação ou recreação aquática, na última as crianças aprendem nadar e como agir em casos de acidentes através de brincadeiras, aumentando a efetividade das aulas e interesse dos pequenos.

O brincar é a atividade mais completa para o desenvolvimento da criança, pois é quando ela conhece a si mesma, expressa seus sentimentos e aprende a se relacionar com o mundo. A recreação aquática permite às crianças explorarem de forma lúdica a prática corporal, resultando em aprendizado, prazer e satisfação. Esta atividade abre caminhos de experimentação sensório-motora universal, permitindo que a criança conheça próprio corpo com certa autonomia e harmonia, o que com o tempo se torna um processo de adaptação e desenvolvimento de locomoção na água e obtenção de resultados, sem que o pequeno perceba que está aprendendo algo, de forma natural. Não podemos esquecer também dos inúmeros benefícios para a saúde que a recreação aquática oferece.

Com os treinos mais criativos e espontâneos da recreação aquática, as crianças se desenvolvem além da parte física, visto que elas trabalham a timidez, senso crítico, a capacidade de negociação e socialização, desenvolvem o vocabulário e comunicação, exercem a persistência, criatividade e aprendem a respeitar regras.
Mesmo com tanta diversão e benefícios, a prática da recreação aquática precisa de alguns cuidados, confira:
- Presença de um profissional qualificado: apesar de ser vista por alguns somente como brincadeira, a prática de recreação aquática necessita da supervisão de uma pessoa capacitada com conhecimento de educação física, primeiros socorros e segurança.

- As atividades devem ser adaptadas à faixa etária das crianças. Dependendo da idade da criança e do nível de desenvolvimento deve ser sugerido um tipo de atividade.

- Não permitir que as crianças corram em volta da piscina. Escorregões e outros acidentes na área de piscina podem ser graves.

- Saltos na água devem ser monitorados e controlados pelo responsável.

- Não autorizar brincadeiras que podem machucar os colegas, os passatempos devem ser limitados às atividades da aula.

- Em piscinas descobertas, o protetor solar é obrigatório mesmo nos dias nublados.

De acordo com a Slade Fitness , loja especializada em equipamentos esportivos, para tornar a recreação aquática ainda mais divertida, boias, pranchas e outros jogos lúdicos podem ser incluídos na prática. "Com diversos materiais, as brincadeiras podem ir além do comum e potencializar os estímulos e benefícios às crianças" explica.


Website: https://www.sladefitness.com.br/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade