Publicidade

Estado de Minas

Venda de imóveis residenciais no DF em junho bate recorde dos últimos 3 anos


postado em 24/08/2017 12:00

A venda de imóveis residenciais novos em junho foi a maior dos últimos três anos em um mesmo mês, aponta a mais recente Pesquisa IVV ? Índice de Velocidade de Vendas do Setor Imobiliário do Distrito Federal, apresentada hoje. As empresas participantes do estudo venderam 325 unidades apenas em junho.

A Pesquisa IVV mostra que os negócios no setor estão favoráveis, sendo que o IVV dos imóveis residenciais de junho atingiu 7,8%. O resultado supera em 30% o índice de maio (6,0%). O indicador mensal apurado é bastante positivo segundo as entidades do setor. Isso porque um IVV de 5% já representa um cenário otimista nos estudos de viabilidade de um empreendimento imobiliário.

Segundo Paulo Muniz, Presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (ADEMI-DF), ao se comparar os dados do 1º semestre de 2016 com os do 1º semestre de 2017 ocorreu um aumento de 28% no IVV, o que confirma a recuperação de vendas. "No atual momento econômico do país, o imóvel é o investimento mais seguro" afirma.

A Pesquisa IVV acompanha mensalmente, desde janeiro de 2015, o ritmo de vendas de imóveis novos nas várias regiões administrativas do DF, levando em conta os imóveis ofertados (lançados, em construção e prontos) no mercado. A amostra da pesquisa representa 73% do mercado e conta com a participação de 33 das principais empresas atuantes no DF. As vendas dos imóveis são informadas pelas incorporadoras participantes da pesquisa, conduzida pela ADEMI-DF e pelo SINDUSCON-DF ? Sindicato da Indústria da Construção Civil do DF, com apoio do SEBRAE-DF. A empresa Opinião Consultoria é responsável pela coleta, tabulação e análise das informações, obtidas junto às empresas que aderiram voluntariamente ao projeto.


A pesquisa do IVV tem o objetivo de aferir o ritmo dos negócios de imóveis novos residenciais e comerciais no DF e se a velocidade com que são vendidos está de acordo com as expectativas dos empreendedores.

IVV Residencial

O IVV dos imóveis residenciais em junho foi de 7,8%. O gráfico da oferta de imóveis residenciais, comparativo dos anos 2015, 2016 e 2017, demonstra que a oferta cai há vários anos e, assim, o DF se ressente de mais lançamentos imobiliários para reequilibrar a "lei da oferta e procura". No mês de junho, apenas duas empresas ofertaram imóveis em lançamento.


?Em 2016 a oferta média de imóveis residenciais novos no DF, entre as empresas pesquisadas, foi de 4.333, abaixo da média de 2015: 4.418 unidades. No primeiro semestre de 2017 a oferta média está em 3.897 unidades. Somente em junho foram ofertadas 4.165 unidades residenciais.


Total de imóveis residenciais vendidos em junho bate recorde

No mês de junho foram vendidas 325 unidades ? um aumento de 32% em relação ao mês de maio, quando foram vendidas 247 imóveis. A maioria das vendas ocorreu no Gama: 125 imóveis. O total de vendas de junho é o mais alto da série histórica da pesquisa mensal realizada pela ADEMI-DF, SINDUSCON-DF e SEBRAE-DF.

As quantidades de imóveis informadas se referem aos negociados pelas empresas participantes da pesquisa e não representam o total de imóveis em oferta ou negociados em todo o DF. Os percentuais informados podem ser projetados para a representação de todo o mercado imobiliário do DF.

?
Valor do m² imóveis residenciais

Entre várias informações do mercado imobiliário do DF, a pesquisa do IVV aponta a variação do preço ofertado por m² dos imóveis residenciais em cada região. Em junho, a Asa Norte registrou o maior valor de oferta: R$ 14.979,32; o mais baixo foi ofertado em Santa Maria ? R$ 2.984,62.

?
Distratos

Além das vendas em aceleração, outro fator que anima o setor imobiliário do DF é que o total de distratos tem sido reduzido ao longo dos últimos meses. A queda de distratos referentes aos imóveis residenciais caiu expressivos 32% na comparação dos números do 1º semestre de 2016 com os do 1º semestre de 2017.

Em 2015, quando a quantidade de cancelamentos de contratos era bastante elevada, 80% das unidades eram distratadas. "As vendas estão mais sólidas. Os distratos aconteciam porque existiam muitos especuladores no mercado. Hoje não há mais espaço para isso", comenta Paulo Muniz.

IVV COMERCIAL

O desempenho do IVV dos imóveis comerciais em junho de 2017 foi de 1,9%.

?
?

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade