Publicidade

Estado de Minas

Segundo dados, produção industrial brasileira teve um crescimento de 0,6% no mês de abril


postado em 16/08/2017 19:15

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil apresentou crescimento de 0,6% na produção industrial de abril em relação a março, mês que terminou com uma queda de 1,3%. O resultado ficou acima do cogitado por economistas especializados, que esperavam uma média de 0,1% de crescimento.

No entanto, em comparação com abril de 2016, a produção industrial registrou uma contração de 4,5%. Na média dos quatro primeiros meses do ano, o mercado se contraiu em 0,7%. Nos últimos doze meses, esse retrocesso no mercado chegou a 3,6%.
Segundo estudiosos do setor, a indústria tem sido uma das maiores afetadas pela recessão econômica no País. No ano de 2016, a queda do setor foi de 6,6%.

Contudo, a vantagem é que o fechamento positivo de abril pode ser uma indicação de que o Brasil pode estar começando a mostrar sinais de recuperação da crise econômica, apesar de todas as situações políticas atuais.
No período comparado pelo IBGE, alguns setores em específico apresentaram aumentos em sua produção industrial: os de bens intermediários (+2,1%) e de bens duráveis (+1,9%). Por outro lado, foi registrado retrocesso na produção de bens semiduráveis e não duráveis (-0,8%) e de bens de consumo (-0,4%).

Quando divididos por setores, os melhores números foram apresentados pela indústria farmacêutica (+19,8%), de maquinaria e equipamentos (+4,9%), de coque, derivados do petróleo e biocombustíveis (+2%) e de veículos (+3,4%).

Já no âmbito da produção industrial dos estados brasileiros, o IBGE indicou ? numa pesquisa realizada com 14 estados referente ao mês de março ? que o Amazonas apresentou o maior avanço. Em seguida, os números positivos também foram registrados na Bahia (2,0%), Rio de Janeiro (0,7%), Goiás (0,5%) e Região Nordeste (0,1%).

Por outro lado, o IBGE aponta que os piores resultados foram apresentados em Santa Catarina ( -4,0%), Ceará (-3,1%), Paraná (-2,9%), Minas Gerais (-2,8%), Pará (-2,7%), Rio Grande do Sul (-1,2%) e Espírito Santo (-0,7%).
Para que haja de fato uma recuperação no mercado, especialistas possuem uma série de indicações. Entre os principais desafios, é possível citar que o mercado de trabalho enfrenta sérias dificuldades. Vale também citar o ciclo de corte na taxa básica de juros e também o arrefecimento na inflação.

Todos esses fatores contribuem para a inadimplência, maior número de pessoas sem uma ocupação e, por consequência, menor possibilidade de crédito e de confiança no mercado como um todo.

Nesse contexto, empresários do setor industrial devem estar atentos em aspectos que podem influenciar em suas produções. Os investimentos realizados com equipamentos e mão de obra, por exemplo, devem ser baseados em excelentes pesquisas de mercado.

A TOP Componentes é uma companhia que oferece os mais diversos equipamentos utilizados no ramo, como o acoplamento magnético, o atuador elétrico e também buchas e esteiras transportadoras.

No geral, o acoplamento magnético é muito útil quando se deseja transmitir força e ao mesmo tempo evitar o atrito entre peças, que podem se desgastar e levar a quebras. Outra vantagem desse produto é que ele pode funcionar ? por meio de um alinhamento ? mesmo em situações onde o seguidor e o condutor estejam em ambientes separados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade