Publicidade

Estado de Minas

Os tipos de orçamento para um bom planejamento

"O Orçamento é a senha do cofre". Sidney Cohen


postado em 15/08/2017 11:00

(foto: Dino)
(foto: Dino)
Segundo pesquisa recente realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 81% dos entrevistados têm pouco ou nenhum conhecimento sobre como fazer o controle das despesas pessoais. Já em relação aos gastos extras, a maioria (57%) também afirma não saber com precisão o quanto terão de desembolsar no mês, fato que dificulta o planejamento e o controle financeiro do próprio orçamento.

Para o ambiente corporativo, as dificuldades são as mesmas, principalmente nas pequenas empresas que não empregam o orçamento em seu planejamento, conforme destaca Sidney Cohen, diretor da Bit Partner Consultoria Empresarial em artigo publicado recentemente no Portal PME NEWS.

Segundo Cohen, o orçamento não pode ser muito exigente e nem flexível em excesso. Deve ser elaborado com antecedência, por cada setor da empresa, com o objetivo de provisionar as despesas e receitas previsíveis para um período futuro. E tem como grande desafio a precisão, reduzindo a ZERO a "distância" entre valores estimados e apurados no período estabelecido. Contribuindo, assim, para o sucesso da execução da estratégia.

Porém, ele adverte que, assim mesmo, alguns fatores podem comprometer o sucesso do planejamento baseado no orçamento empresarial e não estão imunes a "erros". Como, por exemplo:

- Medo de sair da "zona de conforto". Algumas empresas acabam "replicando" o orçamento do ano anterior, em muitos casos, com metas fáceis de serem alcançadas, neste caso limitando o esforço, comprometendo os resultados da empresa.

- Algumas empresas subestimam as ameaças e oportunidades provenientes do ambiente externo (por exemplo, concorrência, mercado, medidas do Governo, dentre outros), que merecem atenção. Elas podem impactar em receitas e despesas futuras.

- Erros de projeção, orçando receitas mais baixas e despesas mais altas e vice-versa, do que as que deveriam ser estimadas de fato.

Confira alguns tipos de orçamentos praticados nas empresas:

1. Orçamento Estático
Bastante limitado, como sugere é estático, uma vez definido, não muda. Aplicado hoje nas pequenas empresas de gestão centralizadora.

2. Orçamento Flexível
O orçamento flexível é bastante aplicado para avaliar as despesas operacionais e de fabricação, podendo ser ajustado a qualquer nível de atividade, antes, durante e depois do período orçamentário.

3. Orçamento Contínuo
É aplicado para um período contínuo, geralmente por um ano, com revisões mensais, trimestrais e até semestrais.

4. Orçamento "Beyond Budgeting"
Aplicado mais em empresas de grande porte, de médio a longo prazo, com o orçamento projetado por 1 ano e meio a 2 anos.

5. Orçamento Base Zero (OBZ)
Em sintonia total com o plano de ação, aplica-se o conceito do "5W,2H", com as seguintes perguntas: "O que gastar?", "Onde gastar?", "Quando gastar?", "Por que gastar?", "Quem (qual setor) vai gastar?", "Como gastar?" e, principalmente, "Quanto gastar?". Sua elaboração é mais longa, pois parte do "ponto zero", mas tende a ser mais assertivo, por analisar passo a passo os processos da empresa.

Website: www.pmenews.com.br


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade