Publicidade

Estado de Minas

Moody's conclui a aquisição da Bureau van Dijk


postado em 10/08/2017 15:45

A Moody?s Corporation (NYSE: MCO) anunciou hoje que concluiu a aquisição da Bureau van Dijk, uma provedora global de business intelligence e informações empresariais. A aquisição fortalece a posição da Moody's como líder de dados de risco financeiro e insight analítico.

A empresa anunciou que concordou em adquirir a Bureau van Dijk em 15 de maio de 2017 e que, em 28 de julho de 2017, havia recebido autorização sob a Regulamentação de fusões da UE da Comissão Europeia.

A Bureau van Dijk agrega, padroniza e distribui um dos mais extensos conjuntos de dados corporativos privados do mundo, com abrangência superior a 220 milhões de empresas. Possui parcerias com mais de 160 provedores de informações independentes, criando uma plataforma que conecta clientes com dados que abordam uma ampla variedade de desafios corporativos. As soluções da Bureau van Dijk dão suporte à análise de crédito, à pesquisa de investimento, ao risco fiscal, a preços de transferência, à conformidade e às necessidades de due diligence de terceiros de instituições financeiras, corporações, empresas de serviços profissionais e autoridades governamentais em todo o mundo.

A partir de hoje, os resultados financeiros da Moody's incluirão as operações da Bureau van Dijk. A Moody's espera fornecer uma orientação completa atualizada em 2017, incluindo o impacto da Bureau van Dijk, em seu release de resultados do terceiro trimestre de 2017. Além disso, a partir do release de resultados do terceiro trimestre de 2017, a Moody's apresentará o lucro líquido ajustado e as medidas ajustadas do EPS diluído, bem como resultados de acordo com os U.S. GAAP. As medidas ajustadas excluirão todas as despesas de amortização relacionadas à aquisição da Moody's, bem como outros custos associados à compra da Bureau van Dijk, tais como o impacto contábil da cobertura do preço de compra, taxas de transação e certos custos de integração. O lucro líquido ajustado e o EPS diluído ajustado também excluirão o lucro relatado anteriormente do realinhamento estratégico e expansão da filial chinesa da Moody's, a China Cheng Xin International Credit Rating Co. Ltd. (CCXI).

SOBRE A MOODY'S CORPORATION

A Moody's é um componente essencial dos mercados globais de capital, fornecendo avaliações de crédito, pesquisa, ferramentas e análises que contribuem para mercados financeiros transparentes e integrados. A Moody's Corporation (NYSE: MCO) é a empresa-mãe da Moody's Investors Service, que fornece avaliações de crédito e pesquisa sobre instrumentos de dívida e títulos e da Moody's Analytics, que oferece software de ponta, serviços de consultoria, pesquisa de crédito, análise econômica e gerenciamento de risco financeiro. A corporação, que registrou receita de US$ 3,6 bilhões em 2016, emprega aproximadamente 11.500 pessoas em todo o mundo e está presente em 41 países. Mais informações estão disponíveis em www.moodys.com.

Declaração de ?Porto Seguro? sob a Lei de Reforma de Litígios de Seguros Privados de 1995

Certas declarações contidas neste comunicado são declarações prospectivas e estão baseadas em futuras expectativas, planos e perspectivas para negócios e operações da Moody?s que envolvem vários riscos e incertezas. As declarações prospectivas neste comunicado de imprensa são feitas a partir da presente data. A Moody's se isenta de qualquer obrigação em complementar, atualizar ou revisar tais declarações em uma base avançada, seja como resultado de desenvolvimentos subsequentes, expectativas alteradas ou de outro modo. Em conexão com as provisões de "porto seguro" da Lei de Reforma de Litígios de Seguros Privados de 1995, a empresa identifica certos fatores que poderiam fazer com que os resultados reais sejam diferentes, talvez materialmente, daqueles indicados por essas declarações prospectivas. Esses fatores, riscos e incertezas incluem, mas não estão limitados a, interrupções no mercado de crédito no mundo inteiro ou uma desaceleração econômica, o que poderia afetar o volume da dívida e outros títulos emitidos em mercados de capitais nacionais e/ou globais; outros assuntos que poderiam afetar o volume de dívida e outros títulos emitidos em mercados de capitais nacionais e/ou globais, incluindo a regulação, preocupações com a qualidade de crédito, mudanças nas taxas de juros e outras volatilidades nos mercados financeiros, como o voto de referendo do Reino Unido em que os seus cidadãos votaram pelo Brexit (saída da UE); o nível de atividades de fusão e aquisição nos EUA e no exterior; a ineficácia incerta e possíveis consequências colaterais das ações dos Estados Unidos e de governos estrangeiros que afetam os mercados de crédito mundiais, comércio internacional e política econômica; preocupações no mercado que afetam a nossa credibilidade ou as percepções do mercado sobre a integridade ou a utilidade das classificações de agências de crédito independentes; a introdução de produtos ou tecnologias concorrentes por outras empresas; pressão de preços dos concorrentes e/ou clientes; o nível de sucesso do desenvolvimento de novos produtos e expansão global; o impacto da regulamentação, como um NRSRO, o potencial de novas legislações e regulamentos estaduais e estaduais dos EUA, incluindo as disposições da Lei de Reforma Financeira e os regulamentos resultantes dessa Lei; o potencial para maior concorrência e regulamentação na UE e em outras jurisdições estrangeiras; a exposição a litígios relacionados às nossas opiniões de classificação, assim como a quaisquer outros litígios, processos governamentais e regulatórios, investigações e consultas aos quais a Empresa pode estar sujeita de tempos em tempos; disposições na legislação da Lei de Reforma Financeira que modificam os padrões de contestação e os regulamentos da UE que modificam as normas de responsabilidade, aplicáveis às agências de classificação de crédito de maneira adversa às agências de classificação de crédito; disposições de regulamentações da UE que estabelecem requisitos processuais e substantivos adicionais sobre o preço dos serviços; a possível perda de funcionários essenciais; falhas ou mau funcionamento de nossas operações e infraestrutura; qualquer vulnerabilidade a ataques cibernéticos ou outras preocupações com segurança cibernética; o resultado de qualquer revisão ao controle de autoridades fiscais das iniciativas globais de planejamento tributário da Empresa; a exposição a potenciais sanções penais ou recursos civis se a Empresa não cumprir as leis e regulamentos de outros países e dos EUA, que são aplicáveis às jurisdições em que a Empresa atua, incluindo as leis de sanções, leis anticorrupção e leis locais que proíbem pagamentos corruptos a funcionários do governo; o impacto de fusões, aquisições ou outras combinações de negócios e a capacidade da Empresa para integrar com sucesso negócios adquiridos; a volatilidade cambial e monetária; o nível dos fluxos de caixa futuros; os níveis de investimentos de capital; e um declínio na demanda por ferramentas de gerenciamento de risco de crédito por instituições financeiras. Outros fatores, riscos e incertezas relacionados à nossa aquisição da Bureau van Dijk podem fazer com que nossos resultados reais sejam diferentes, talvez materialmente, daqueles indicados por essas declarações prospectivas, incluindo riscos em relação à integração das operações, produtos e funcionários da Bureau van Dijk para a Moody's e a possibilidade de que as sinergias antecipadas e outros benefícios da aquisição proposta não sejam realizados nos valores antecipados ou não serão realizados dentro do prazo esperado; os riscos de que a aquisição proposta possa ter um efeito negativo sobre o negócio da Bureau van Dijk ou suas perspectivas, incluindo, sem limitação, as relações com vendedores, fornecedores ou clientes; reivindicações feitas, de tempos em tempos, por vendedores, fornecedores ou clientes; mudanças nos mercados europeus ou globais que afetam os negócios da Bureau van Dijk; e outros fatores, riscos e incertezas relacionados à transação conforme estabelecido na declaração de "porto seguro nos termos da Lei de Reforma de Litígios de Seguros Privados de 1995" no relatório da Moody's no Formulário 8-K arquivado em 15 de maio de 2017, que são incorporados por referência neste documento. Esses fatores, riscos e incertezas, assim como outros riscos e incertezas, que poderiam fazer com que os resultados reais da Moody's diferissem materialmente daqueles contemplados, expressos, projetados, antecipados ou implícitos nas declarações prospectivas, são descritos mais detalhadamente nos "Fatores de risco" na Parte I, Item 1A do relatório anual da Empresa no Formulário 10-K para o exercício findo em 31 de dezembro de 2016 e em outros registros feitos pela Empresa, de tempos em tempos, com a SEC ou em materiais aqui incorporados. Os acionistas e investidores são avisados de que a ocorrência de qualquer desses fatores, riscos e incertezas pode fazer com que os resultados reais da Empresa sejam materialmente diferentes daqueles contemplados, expressos, projetados, antecipados ou implícitos nas declarações prospectivas, que poderiam ter um efeito material e adverso nos negócios, resultados de operações e condição financeira da Empresa. Novos fatores podem surgir de tempos em tempos e não é possível para a Empresa prever esses novos fatores, nem a Empresa pode avaliar o efeito potencial desses novos fatores.

# # #

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.


Contato:

Salli Schwartz
Chefe Global de Relações com Investidores
e Comunicações
+1.212.553.4862
sallilyn.schwartz@moodys.com
ou
Michael Adler
Vice-presidente sênior de
Comunicações Corporativas
+1.212.553.4667
michael.adler@moodys.com


Fonte: BUSINESS WIRE

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade