Publicidade

Estado de Minas

Bebês reborn: um hobby para todas as idades


postado em 10/08/2017 12:45

(foto: Dino)
(foto: Dino)
Brinquedos são, há muito tempo, formas de estimular a imaginação e a experimentação da criança com o mundo que a cerca. Brincar de boneca é provavelmente uma das mais clássicas brincadeiras infantis em todo o mundo. Trata-se de um meio lúdico e criativo de incentivar a criança, desde a infância, a desenvolver empatia e carinho pelo próximo. Com o passar do tempo, as bonecas foram tornando-se cada vez mais próximas da realidade, com olhinhos que piscam, cílios, cabelos, chupetas, mamadeiras e, até mesmo, com a capacidade de falar.

Hiper-realismo
Recentemente, um tipo de bonecas que tem adquirido destaque e grandes volumes de vendas são as bonecas reborn. O termo reborn vem do Inglês e significa "renascido". A ideia é que as bonecas sejam tão parecidas quanto for possível com bebês e crianças reais. Para que isso ocorra, o meio de produção das bonecas reborn é completamente diferente da fabricação das bonecas tradicionais. Os materiais utilizados são, muitas vezes, importados, fabricados em matéria-prima de alta qualidade. O trabalho não se dá em escala industrial. Ao invés, cada boneca é produzida individualmente nas mãos de artesãos, sob encomenda, em processos que podem durar de dias a meses.

O dono da boneca pode escolher todas as características, como tamanho (se é um recém-nascido ou uma criança maior), peso, sexo, tom de pele, cor de cabelo, cor dos olhos, dentre outras especificações. Os artesãos importam os moldes de silicone que compõem o corpo, incluindo os braços e as pernas. Tudo é elaborado nos mínimos detalhes, incluindo as dobrinhas e marcas da pele, de modo que o boneco fique extremamente realista. Olhos de vidro e até mesmo cabelo humano, colocado fio a fio, são empregados nos bonecos reborn.

De hobby a estilo de vida
Há uma grande diversidade de bonecas no mercado, mas muitos pais compram bonecos reborn para presentear as crianças, de modo que obtenham um brinquedo mais parecido com si mesmas e que seja diferente dos outros modelos. Engana-se, no entanto, quem pensa que a arte reborn é apenas brincadeira de criança: há mulheres adultas que entram na brincadeira e adquirem bonecos, tratando-os como se fossem filhos.

Algumas "mães" de bebês reborn levam a brincadeira tão a sério que não economizam na hora de comprar acessórios. Roupinhas, chupetas, mamadeiras, berços, carrinhos e até casinhas de bebê são encomendadas. Todos esses itens encarecem bastante o produto. Há bonecos mais simples, cujo preço fica abaixo de mil reais, mas há casos em que os acessórios elevam o preço para valores de até 12 mil reais.

Para algumas pessoas, o hobby envolve a rotina de uma criança de verdade, como sair para passear, trocar a fralda, postar fotos na internet, e por aí vai. Os artesãos, no entanto, dão algumas recomendações de como cuidar do boneco, que é bastante delicado: é preciso escovar os cabelos de tempos em tempos, não molhar os bonecos, evitar colocar os dedos nos olhos (que são uma das partes mais delicadas), limpar os olhos com cotonetes, limpar o corpo do boneco apenas com um pano seco e carregar o bebê com cuidado, evitando que os membros se soltem.

Assustador?
Segundo artesãos, há algumas pessoas que confundem os bonecos com bebês reais, o que gera sustos ou reações de espanto. Já houve, inclusive, um caso envolvendo policiais na Califórnia, Estados Unidos, que quebraram o vidro de um carro para resgatar um bebê que teria sido esquecido, quando, na verdade, se tratava de um boneco hiper-realista.
Há quem defenda que ter brinquedos muito próximos da realidade e considerá-los membros da família, envolvendo muitos gastos na brincadeira, não é algo saudável. Entretanto, o fato é que o ramo de bebês reborn tem crescido e atraído pessoas de diversas idades.

Fonte: https://www.bonecabebereborn.com/

Website: https://www.bonecabebereborn.com/

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade