Publicidade

Estado de Minas

Levantamento inédito do ZAP aponta que 70% dos paulistanos estão satisfeitos com a cidade; satisfação no Rio é de 57%


postado em 08/08/2017 13:30

Levantamento inédito do ZAP, maior especialista no mercado imobiliário brasileiro, aponta que os paulistanos estão mais satisfeitos com os locais onde residem e trabalham do que os cariocas. Segundo o estudo, 70% dos moradores de São Paulo estão satisfeitos com a região onde residem e apenas 32% com a oferta de emprego. Já os cariocas apontam necessidade de melhorias em relação à moradia e emprego e, por isso, a satisfação foi 57% e 19%, respectivamente.

Para 34% dos respondentes, o tempo de deslocamento diário é de 1 a 2 horas. E para uma parcela significativa dos entrevistados, 23%, tal deslocamento ultrapassa 2 horas ao dia. A pesquisa aponta ainda que 50% dos entrevistados utiliza carro próprio em seus deslocamentos, seguido pelo uso de ônibus (45%), metrô ou trem (45%), taxi e similares (28%), bicicletas (6%) e motos (4%).

E, embora o carro seja o principal meio de locomoção nas metrópoles analisadas, há uma quantidade significativa de respondentes que aderem ao transporte público e ao uso frequente de táxis e transportes similares. "Com o crescimento e o desenvolvimento das cidades, a mobilidade urbana surge como um importante indicador de qualidade de vida, principalmente quando vemos índices crescentes sobre o tempo gasto em deslocamentos diários, seja para trabalho ou para atividades rotineiras", analisa Eduardo Schaeffer, CEO do ZAP.

A pesquisa Qualidade de Vida, que está em sua primeira fase e deve ser expandida para todo o País, contou com a participação de quase 2 mil respondentes nas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, que avaliaram a região em que moram e os atributos que consideram importantes para a qualidade de vida no dia a dia.

Satisfação com a cidade
Os quesitos mais apontados por ambos os públicos, paulistanos e cariocas, que precisam ser aprimorados para oferecer uma melhor qualidade de vida são: acessibilidade e infraestrutura (avaliado como excelente ou bom apenas por 17% dos entrevistados), acolhimento de moradores de rua (18%), policiamento ostensivo (23%), prevenção de crimes (24%), consumo de drogas ao ar livre (26%), infraestrutura para idosos (27%), sensação de segurança (30%), quantidade de vagas em postos e hospitais (37%) e oferta de ciclovias (38%).

"O que identificamos é que a população, seja em São Paulo ou no Rio de Janeiro, está muito insatisfeita em relação à segurança e saúde. Melhorias em iluminação de vias públicas, policiamento e serviços de saúde elevariam a qualidade de vida dos moradores imediatamente", ressalta Schaeffer.

Os habitantes das duas capitais listam segurança, infraestrutura para idosos e oferta de trabalho como as três prioridades de melhoria. "Por serem grandes metrópoles, elas acabam tendo pontos em comum, mas ao mesmo tempo priorizam esses aspectos de forma diferentes, enquanto o Rio coloca a segurança no topo da lista, São Paulo tem uma preocupação maior com os serviços oferecidos pela população idosa", aponta o CEO.

De acordo com o estudo do ZAP, ainda é possível fazer outro recorte que demonstra variações de análise de acordo com a renda familiar média. Ao se considerar uma família com renda familiar mensal média de até R$ 4.999, segurança e serviços de infraestrutura ? como água e energia ? lideram a lista de atributos relevantes para a qualidade de vida em uma região, seguidos pela busca por transporte e mobilidade, saúde e educação.

A idade também conta
Quando olhamos para as faixas etárias, é possível observar mudanças no padrão de avaliação dos locais ondem vivem. Em geral, 74% dos Baby Boomers (53 anos ou mais) aprovam o local de moradia contra 54% dos Millennials (18 a 32 anos), de forma que a primeira geração é a que melhor avalia os atributos analisados e os mais jovens são mais críticos.


Perfil analisado
A pesquisa foi realizada em junho de 2017 com moradores do Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP) e contou com um perfil bastante equilibrado: a maioria das respondentes foi composta por mulheres (52%), com idade entre 33 e 52 anos (53%) e renda familiar média de R$ 9,5 mil. BabyBoomers, consumidores com 53 anos ou mais, corresponderam a 25%; a Geração Y (18 e 32 anos) corresponde a 22% da pesquisa.

Sobre o ZAP
O ZAP (www.zapimoveis.com.br) é o maior portal imobiliário do Brasil. Empresa do Grupo Globo, o especialista em imóveis se destaca por reunir o maior número de buscas, o mais qualificado número de ofertas e mais de 40 diferentes soluções e informações para quem quer alugar, comprar ou vender. Com uma base de dados atual e confiável, o ZAP também fornece informações estratégicas para analistas do Brasil e do exterior sobre as relações entre a oferta e a demanda de imóveis em todo o País. Ao todo recebe mensalmente 19 milhões de visitas únicas e 59 milhões de buscas por imóveis.


Website: http://www.zapimoveis.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade