Publicidade

Estado de Minas novidades na cozinha

Capixaba transforma coco em lâminas crocantes, nutritivas e saborosas

Fundador da CocoRock, Douglas Gianordoli já desenvolveu quatro sabores: tradicional (só com açúcar mascavo), cacau, gengibre e café


07/03/2021 04:00 - atualizado 09/03/2021 16:55

Versáteis, as lâminas de coco levam crocância para as mais diferentes receitas(foto: Marcelo Giacomin/Divulgação)
Versáteis, as lâminas de coco levam crocância para as mais diferentes receitas (foto: Marcelo Giacomin/Divulgação)

De lanche a ingrediente para receitas. O crispy de coco é um daqueles produtos na despensa que tem mil e uma utilidades. Idealizador da marca CocoRock, o capixaba Douglas Gianordoli destaca, além da versatilidade, três características que fazem dos seus potes um vício: crocante, nutritivo e com sabor. “A empresa nasceu da ideia de que alimentação saudável pode ser extremamente saborosa”, diz.
 
Advogado que sempre gostou de cozinhar, Douglas abandonou a profissão para abrir uma lanchonete e saladeria em Vitória. Lá, ele costumava comprar uma granola com crispy de coco, bem parecido com o que faz hoje, que considerava a melhor parte. “Uma vez, fazendo compra para o restaurante, vi o coco seco e resolvi levar para casa. Fui testando, até que um dia acertei a receita.”
 
A produção, totalmente caseira, era para consumo próprio, mas logo familiares e amigos começaram a pedir. “Falava que dava muito trabalho, porque tem que abrir o coco, extrair massa, ralar e assar, mas as pessoas queriam comprar. Aí comecei a fazer de pouco em pouco”, relembra. Quando se mudou para BH, há dois anos, Douglas decidiu investir na ideia.
 
Aqui ele se juntou ao sócio Pedro Pinheiro, que, por coincidência, também é advogado, montou uma fábrica e já chegou a mais de 60 pontos de vendas, de empórios a restaurantes e padarias.
O coco seco (com casca marrom e massa dura) vem de Sergipe – a fruta do Nordeste é mais interessante para o negócio por ter o interior mais carnudo, em função do clima. A equipe tem que partir, extrair a massa e fazer as lâminas. A casca e a água são aproveitadas por uma empresa parceira.
 
Douglas Gianordoli e o sócio, Pedro Pinheiro, inauguraram em novembro a fábrica da CocoRock(foto: Marcelo Giacomin/Divulgação)
Douglas Gianordoli e o sócio, Pedro Pinheiro, inauguraram em novembro a fábrica da CocoRock (foto: Marcelo Giacomin/Divulgação)
 
Antes de ir para o forno, as lâminas de coco são temperadas. Atualmente, elas estão disponíveis em quatro sabores: tradicional, cacau, gengibre e café, a última invenção. “Meu sócio falou que eu tinha que ter uma opção de café. O pessoal de BH gosta de tomar um cafezinho, o que não é tão comum em Vitória, por ser uma cidade muito quente”, conta.
 

Açúcar mascavo

 
Em todas as receitas, Douglas utiliza açúcar mascavo, escolhido por ser mais saudável (já que passa por menos processos químicos). Além de dar sabor, ele ajuda a manter o padrão dos produtos. “Como trabalhamos com fruta, não conseguimos ter a mesma regularidade dos industrializados, o coco pode não estar tão doce. Então, usamos açúcar para deixar o processo o mais regular possível”, explica o empresário, que tem a ideia de produzir uma linha para diabéticos.
 
O crispy de coco chegou ao mercado como uma opção de snack. “É um lanche prático, saudável e nutritivo para quem não quer comer pão de queijo ou coxinha. Tem bastante fibra e ajuda a saciar a fome”, aponta. Depois virou queridinho como topping de frutas, iogurte, açaí, milkshake, creme de papaia, salada e outros tantos preparos, reforçando ou substituindo a granola.

 

Por fim, assumiu o papel de ingrediente gastronômico, ao incrementar receitas doces e salgadas. Douglas criou recentemente uma receita finalizada com as lâminas. “É uma sobremesa tipicamente mineira. Usamos creme de ricota, um pouco de noz-moscada, goiabada cremosa, uma bola de sorvete de creme e completamos com o CocoRock”, descreve.

 
A marca tem agora um novo parceiro, o restaurante Projeto Sabor, que leva a crocância das lâminas para seus pratos, entre eles tilápia grelhada com arroz de coco. Já o chef Renato Quintino, em uma de suas aulas, teve a ideia de colocar o crispy sabor gengibre por cima de um flan de café, servido como sobremesa. “Esta versatilidade é incrível. As pessoas estão usando o produto de formas que nem imaginávamos que fosse possível”, comenta.
 
Em novembro, a CocoRock inaugurou sua fábrica no bairro Coração de Jesus, que está em expansão. A empresa, que começou produzindo um média de seis quilos por dia, chegou a 23kg/dia e a previsão é alcançar a meta de 130kg/dia. Com isso, já dá para pensar em desenvolver novos sabores.
 

Serviço

CocoRock
(31) 99855-8714 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade