Publicidade

Estado de Minas NOVIDADES NA QUARENTENA

Vinho em casa

Cresce número de clientes que optam por fazer suas compras pelo telefone ou internet


postado em 12/04/2020 04:00

Todos os dias, a Assemblage lança combos para estimular vendas mais olumosas(foto: Bárbara Dutra/Divulgação)
Todos os dias, a Assemblage lança combos para estimular vendas mais olumosas (foto: Bárbara Dutra/Divulgação)


A procura por entrega de vinhos aumentou nas últimas semanas. Já que as lojas especializadas estão fechadas, quem não quer ir ao supermercado opta pela comodidade de fazer suas compras por telefone ou pelo site e receber o pedido em casa. Mesmo as empresas que só forneciam garrafas para bares, restaurantes e supermercados estão em contato direto com o consumidor final.
É o caso da Assemblage. Acostumada a vendas em volume para estabelecimentos comerciais e eventos, a empresa distribuidora do Grupo Valduga em Belo Horizonte ampliou seu serviço de entrega. “Sempre tomamos cuidado para não virar concorrente das nossas lojas, mas não nos restou outra opção a não ser nos adequarmos”, diz a proprietária, Tuca Schirmer. O único vendedor que está trabalhando sai duas vezes por semana para retirar as encomendas do estoque e fazer as entregas de carro (para compras acima de R$ 100).
 
Todos os dias, a Assemblage lança combos para estimular vendas mais olumosas(foto: Bárbara Dutra/Divulgação)
Todos os dias, a Assemblage lança combos para estimular vendas mais olumosas (foto: Bárbara Dutra/Divulgação)
 
 
Todos os dias, a distribuidora, que tem no portfólio rótulos da Casa Valduga e de mais 10 países,  lança pelo menos um combo para estimular a venda de quantidades maiores, de acordo com o que tem no estoque. Já teve combo do vinho chileno Flamingo (três tintos e um branco) e de espumantes da Casa Valduga, entre eles o mais vendido, Arte Brut, produzido através do método champenoise. “Quem está movimentando o mercado é o cliente que quer ter uma quarentena mais prazerosa. Não estamos só vendendo vinho, queremos levar um pouco de afeto.”
 
Satisfeita com esta nova experiência, Tuca planeja manter o atendimento ao público em geral, mas, para não concorrer com os pontos de venda, vai focar em rótulos difíceis de encontrar no mercado.
A Casa Rio Verde registrou aumento de 40% nas vendas do e-commerce desde o início do isolamento. Uma das estratégias para atrair clientes é reduzir o prazo de entrega (pedidos feitos durante a semana até as 18h são despachados no mesmo dia). Com as cinco lojas físicas fechadas, a empresa também lançou o delivery por telefone e teve que contratar mais uma pessoa para garantir agilidade no atendimento. Não há compra mínima, mas o frete grátis vale apenas para compras acima de R$ 240.
 
Segundo o gerente de e-commerce da Casa Rio Verde, Gabriel Roberto, as entregas aumentaram 40%(foto: Regina Perillo/Divulgação)
Segundo o gerente de e-commerce da Casa Rio Verde, Gabriel Roberto, as entregas aumentaram 40% (foto: Regina Perillo/Divulgação)
 
 
A procura pelo programa de assinaturas Clube do Vinho também aumentou. Os associados recebem todo mês uma seleção de rótulos feita por profissionais da empresa (os pacotes disponíveis incluem de uma a três garrafas). “Principalmente agora que as pessoas não podem sair de casa, este serviço é cômodo e seguro. Você não precisa se preocupar em ir ao supermercado nem ligar para fazer o pedido”, aponta o gerente de e-commerce, Gabriel Roberto. Além de não pagar frete, quem faz parte do clube tem 10% de desconto na compra de qualquer vinho.

CONTÊINERES Segundo Gabriel, não há nenhum risco de desabastecimento. “Acabamos de receber um contêiner de Portugal e devemos receber em breve outro da Espanha. Temos estoque para seis meses de vendas”, avisa. O gerente tem notado uma procura grande por vinhos portugueses, como o Vale Perdido, que tem notas de canela, chocolate e frutas vermelhas.
 
Já que não pode abrir o seu wine bar ao público, a Casa do Porto concentra os esforços no delivery, que até então era mais conhecido pelos clientes antigos. Os funcionários – dois por dia – se revezam para receber e despachar os pedidos (sem taxa a partir de R$ 200 em BH). “Como trabalhamos com muitos rótulos exclusivos, os clientes sempre pedem sugestão. Por exemplo, um liga falando que vai preparar um filé e quer um vinho para harmonizar com carne vermelha”, conta o sócio Júnior Ribeiro.
A loja trabalha com vinhos do mundo todo. “O mineiro começou pela Argentina e Chile, mas hoje vai muito para a Europa, principalmente França, Espanha e Portugal.” O rótulo mais vendido é o francês Bad Boy, tinto das uvas merlot e cabernet franc que passa por barricas de carvalho francês.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade