Publicidade

Estado de Minas CAFéS ESPECIAIS

O fenômeno do consumo asiático


postado em 06/10/2019 04:00

Daniel Coli

Especialista da Oficina do Espresso

 

Sejamos francos, café vicia sim! A cafeína, sabidamente, aumenta os níveis de dopamina e nos acostumamos a consumi-la para nos manter acordados, concentrados, mais ativos e sociáveis, inclusive. Mas com a atual oferta de bons cafés ao redor do mundo, a dependência passou a ser também sensorial, uma busca desenfreada pela experiência na cafeteria, pelos aromas e sabores deste produto tão complexo e delicioso. Quanto maior a qualidade, maior a quantidade que queremos consumir.

 

Mas, o aumento drástico do consumo no Oriente, em especial na China, país mais populoso do mundo, se deve a dois fatores principalmente: crescimento econômico e os hábitos ocidentais que vêm sendo copiados sobretudo pelo público mais jovem. Nos últimos 10 anos, o consumo chinês sofreu aumento de 1000%.

 

A população tem abandonado os cafés solúveis e consumido cada vez mais o grão torrado e também o café moído, além das já tradicionais cápsulas. A Starbucks, importante rede de cafeterias, tem, apenas na China, mais de 3,6 mil lojas neste que é o mercado de crescimento mais promissor do planeta para a corporação.

 

O tradicional hábito de consumo do chá vai dando lugar a esta nova experiência, que mostra, mais uma vez, o poder de conexão global que tem o café. Se quiser chamar de droga, não tem problema, mas este vício só traz benefícios, com efeitos colaterais mais graves flutuando entre um grande sorriso no rosto e o desejo incontrolável por mais uma dose. 

 

 


Publicidade