Publicidade

Estado de Minas ARTES CÊNICAS

Todo riso é pouco! Palhaços vão invadir o Instagram e o YouTube até dia 27

Mostra Excêntrica, promovida pelo grupo Maria Cutia, brinca com a confusão que a pandemia trouxe aos lares de todos nós


10/05/2021 04:00 - atualizado 10/05/2021 06:58

"Temperatura máxima", com Toninho Caetano, será a atração de hoje (foto: Marlon de Paula/divulgação)


Diante de tantas notícias angustiantes, ainda é possível rir em meio à pandemia? Se depender do grupo mineiro Maria Cutia, é sim. A partir desta segunda-feira (10/5), a companhia realiza a primeira edição da Mostra Excêntrica, prometendo uma pequena dose de alegria por meio da diversidade de linguagens da palhaçaria.~
 
Viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc, o evento será totalmente on-line. A programação se estende até 24 de maio, sempre às segundas e quintas-feiras, dividida em dois recortes.

LAR Às 18h21, será exibida a cena do “Minuto excêntrico”, com propostas experimentais de 60 segundos a cargo de alunos do Maria Cutia. Às 18h22, será a vez das atrações do “Cenas em casa”, com espetáculos maiores e individuais, cujo tema principal é a relação com o lar.
 
Na sexta, Ricota apresenta
Na sexta, Ricota apresenta "Telemarquetim caseiro" (foto: Fernanda Rodrigues/divulgação)
 
 
O horário inusitado tem motivo: palhaças e palhaços não se enquadram em padrões, nem mesmo os do relógio, explica Mariana Arruda, fundadora do Maria Cutia. Ao longo de seus 15 anos, a companhia sempre manteve intenso contato presencial com o público, interrompido agora pelo isolamento social.

“O teatro, por excelência, é a arte do encontro, do tempo com o espaço. Com as novas condições do mundo, vemos o nosso ofício muito abalado. Estamos no mesmo tempo, mas não no mesmo espaço. Então, a Mostra Excêntrica começa com todos os artistas numa pesquisa sobre o ambiente virtual, sobre enxergar esse espaço de outra forma”, explica Mariana, que é atriz e palhaça.
 
O festival dedicado à palhaçaria era desejo antigo do Maria Cutia, que só agora é realizado. “A gente pensa no palhaço como ser excêntrico, que nunca se encaixa e nunca se adequa, que quer sempre entrar, mas não é permitido. Ele é diferente, ridículo, burlesco, excêntrico. O palhaço nunca é igual ao que está na moda, ao que é aceito”, diz Mariana.
 
O “Minuto excêntrico” dará ao artista liberdade total para criar os números. Já o “Cenas em casa”, a mostra principal, traz reflexão do palhaço sobre sua relação com o próprio lar.
“Como é o olhar excêntrico sobre a casa ou sobre algo que se faz em casa? Essa é a ideia. Não são, necessariamente, trabalhos sobre o tema da pandemia, mas sobre a casa. O palhaço pode ter olhar excêntrico sobre tudo, inclusive sobre o próprio lar”, argumenta Mariana Arruda.
 
A Palhaça Estopim (Malu Grossi Maia) pensou na casa como o planeta. Ela trabalha o impacto causado pela pandemia em “Estopim da Terra” (20 de maio). Viralata (Rodrigo Robleño) explora a relação com os celulares nestes tempos de reclusão, em “Um palhaço objetivo” (24 de maio).

A abertura, nesta segunda-feira, será “Temperatura máxima”, com Toninho Caetano (Kauê Rocha). Ao invejar o refrescante banho de piscina do vizinho, o palhaço trava confusa batalha para acertar a temperatura de seu próprio chuveiro.
 
Na sexta-feira (14/5), será a vez de “Telemarketing caseiro”, de Ricota (Thainá Rodrigues). A palhaça brinca com o novo ofício que arranjou durante os meses de quarentena.

RESSACA Em 17 de maio, a Palhaça Julieta (Julia Mendes) apresenta “Plano baixo”. Esse número comprova que a palhaçaria também é destinada ao público adulto, ao abordar a manhã nada glamourosa da protagonista, que desperta em uma tremenda ressaca tentando se lembrar do que se passou na noite anterior.
 
“Essa é a grande característica da palhaçaria: ela consegue pegar algo banal, que se torna uma dificuldade para o palhaço, e a gente se diverte com aquilo”, destaca Mariana Arruda. “Sempre que falamos de palhaço, pensamos em alegria. Mas quem é alegre, o palhaço ou quem vê o palhaço? O palhaço produz a alegria, mas não necessariamente é alegre. O palhaço se presta ao papel de mostrar o que há de risível nele mesmo”, diz Mariana Arruda.
 
l MOSTRA EXCÊNTRICA

De hoje (10/5) a 27 de maio, 
às segundas e quinta-feiras, 
às 18h21. Transmissões 
mariacutiadeteatro
). Gratuito. 
A programação  completa está 
disponível no Instagram. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade