Publicidade

Estado de Minas TURU TURU

Série da turnê de 'Sandy & Junior' estreia nesta sexta (10)

Projeto documental se ampliou e abarcou aspectos como a vida familiar e os conflitos dos irmãos com a fama na adolescência


postado em 10/07/2020 04:00

Sandy conta que se diverte vendo séries e Junior aprendeu a lavar louça na quarentena (foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)
Sandy conta que se diverte vendo séries e Junior aprendeu a lavar louça na quarentena (foto: Leandro Couri/EM/D.A.Press)
Eles também são gente como a gente. Para cumprir à risca os ritos do isolamento social e as restrições que a pandemia do novo coronavírus nos impõe, Sandy & Júnior precisaram se adaptar à nova vida. Ela, entre outras coisas, segue o desafio de manter o filho, Theo, na rotina de aulas virtuais, algo que consome um tempo danado de qualquer pai, seja ele famoso ou não.

Sandy procura não ser tão rigorosa com a criança de 6 anos e, volta e meia, permite que ele assista a algum desenho ou jogue um videogame adequado à sua idade. À noite, depois que Theo, fruto da relação da cantora com o músico Lucas Lima, vai dormir, a cantora se dá o prazer de ver suas séries preferidas. Um documentário sobre Nina Simone (1933-2003) a que assistiu recentemente fez sua admiração pela cantora norte-americana aumentar ainda mais.

Rebolado Júnior, seguindo a letra de uma das canções mais famosas da carreira da dupla com a irmã (Vai ter que rebolar)  precisou rebolar para aprender tarefas domésticas, como lavar uma pia de louças do almoço e do jantar. Ele confessa que, na rotina agitada do trabalho, raríssimas vezes pegou pelo chifre os afazeres domésticos. Agora, garante, domina até técnicas para encarar panelas, talheres e pratos.

“Foi preciso um período de adaptação, como todo mundo.” No primeiro mês do isolamento, Júnior ficou recluso com a mulher e o filho em São Paulo. “Só depois conseguimos juntar as quarentenas com muita responsabilidade. Fizemos distanciamento no início...”, relembra ele, que agora está com os pais.

Mesmo com o clima pesado da pandemia que atinge fortemente o Brasil, Sandy& Júnior conversaram com gentileza e simpatia nessa quinta (9), via internet, por exatas duas horas, com 25 jornalistas de todo o Brasil. O assunto era a série documental, de sete episódios, Sandy & Júnior: A história, que será disponibilizada hoje na Globoplay.

No domingo (12), a Globo exibirá o primeiro capítulo, logo após o programa Tamanho família. “A alegria de trabalhar com arte é estar do lado da luz”, resumiu Junior, ao reconhecer que, em tempos tão difíceis, o lançamento do documentário pode deixar os fãs felizes.

E quando os fãs são o assunto, a dupla pode se dar ao luxo de dizer que tem os maiores fãs-clubes do país. Na turnê que os reuniu para rememorar a trajetória conjunta e rodou 11 estados brasileiros no ano passado foram vendidos mais de meio milhão de ingressos. “Fizemos tudo para atender ao interesse dos fãs que sempre pediram (a reunião da dupla)”, conta Sandy.

A ideia do documentário surgiu quase ao mesmo tempo do início da turnê. A ideia cresceu, e os irmãos decidiram correr atrás de todo material que encontrassem. Na casa dos pais, conseguiram dezenas de horas de shows e programas de televisão registrados em fitas VHS. Digitalizado, o material ocupou 250 DVDs.

Quase nada escapou ao olhar do diretor Douglas Aguillar. Estão na série documental momentos em família, gravação de discos e clipes, trabalhos na TV, como a novela Estrela guia, que Sandy estrelou, apresentações no Rock in Rio há 19 anos, imagens da despedida da dupla, em 2007, e, claro, detalhes da turnê comemorativa dos 30 anos de carreira.

Dos sete episódios, Júnior aponta os que mais chamaram a sua atenção. Diz que o primeiro foi para ele o mais emocionante. O quarto, o mais doloroso, por tratar de boatos e algumas polêmicas que envolveram o nome da dupla. Ele observa que, quando era adolescente, foi alvo de críticas e agressões como se fosse um adulto maduro para lidar com esse tipo de situação.

“Eu não tinha (maturidade). Mas tive a sorte de assimilar essas coisas sempre como desafio. Gasolina para eu correr atrás das coisas. Acho que isso acabou me projetando, me empurrando”, afirma. Apesar disso, admite, se machucou durante o processo e atravessou episódios de depressão e pânico. “A nossa história é vitoriosa com o lado negativo que todo mundo vive. As pessoas veem as pingas que eu tomo, mas não veem os tombos que eu levo”, disse, com humor.

Entre os grandes nomes da música brasileira que dão seus depoimentos sobre os filhos de Xororó no documentário estão Ivete Sangalo e Roberto Carlos.

Para Sandy, a história da dupla, que sempre foi contada sob o viés jornalístico e o comercial, ganha agora  a versão definitiva. “Agora contamos a história através de nossos olhos, como vivemos tudo aquilo.” Júnior acrescenta: “O que temos de memória de vida é a nossa carreira. Olhamos para tudo, fazendo um resumão com a cabeça de agora”.

Sandy & Júnior: A história
l Série em sete episódios
l Disponível a partir desta sexta (10),na Globoplay



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade