Publicidade

Estado de Minas ANTENA

Fernanda Montenegro dá sua primeira entrevista na quarentena

Atriz fala ao Canal Brasil e diz que 'sem a cultura das artes, não existe país' e que 'estamos vivendo uma hora muito desbaratinada'


postado em 02/06/2020 04:00

(foto: canal brasil/divulgação)
(foto: canal brasil/divulgação)

“O artista não perde sua importância nunca”, afirma Fernanda Montenegro (foto) em entrevista exclusiva ao Canal Brasil, que vai ao ar em duas edições do Cinejornal: nesta terça-feira (2), às 21h50, e na quinta-feira (4), às 19h45. A gravação foi realizada pelo cineasta Andrucha Waddington, genro da atriz, direto da casa da família em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro, onde estão passando a quarentena. Na primeira parte do depoimento, Fernandona conta como está lidando com a rotina atípica e, quando questionada sobre o futuro dos artistas e das artes, desabafa: “Não sei, só sei que não vou me acalmar. Se eu ainda tiver raciocínio e força, estarei em ação. É uma ambição minha”.

• • •

Durante o bate-papo, a dama do cinema e da dramaturgia do Brasil também reforça a importância das artes e diz que não existe sociedade sem artista. “Sem a cultura das artes, não existe país. Estamos vivendo uma hora muito desbaratinada. Não temos perfil, estamos jogados fora”, explica Fernanda Montenegro. A atriz ainda completa: “Temos uma linguagem particular. Ganhamos prêmios em todos os cantos do mundo. Uma personalidade cinematográfica, nós temos”.

(foto: Cleiby Trevisan/DIVULGAÇÃO)
(foto: Cleiby Trevisan/DIVULGAÇÃO)

A CULPA É DO CABRAL
NOVOS EPISÓDIOS

Fabiano Cambota (agora de óculos), Nando Viana, Rafael Portugal, Rodrigo Marques e Thiago Ventura estão de volta em nova temporada do A culpa é do Cabral, nesta terça-feira (2), às 23h, no Comedy Central. Com cenário novo que traz a plateia para o palco, participação do povo direto das ruas e telefonemas do Cabral. Tiago Abravanel, ator, cantor e herdeiro, é o convidado que abre a nova safra do humorístico (foto). Gravado antes da pandemia, o programa vai contar com 31 quadros inéditos e todo o calor de uma plateia cheia de fãs.

CILDO MEIRELES
PROVOCAÇÕES POLÍTICAS

Um dos mais importantes artistas brasileiros em atividade, Cildo Meireles é referência quando o assunto é o que se convenciona chamar de arte conceitual. No episódio desta terça-feira (2)de Matizes do Brasil, às 23h30, no Curta!, o próprio artista é convidado a refletir sobre seu processo criativo e motivações, enquanto Sônia Salzstein, Jochen Volz, Júlia Rebouças e Frederico Moraes analisam seu trabalho pioneiro com instalações e objetos. A análise de suas obras mostra como o artista utiliza uma ampla variedade de técnicas e materiais para tecer uma narrativa carregada de provocações políticas.

(foto: REDE MINAS/DIVULGAÇÃO)
(foto: REDE MINAS/DIVULGAÇÃO)

ESTAÇÕES
NOVA TEMPORADA

A série Estações, da Rede Minas, estreia nova temporada nesta terça-feira (2), às 20h. Serão 11 episódios, que revelam cidades mineiras a partir das antigas plataformas ferroviárias. A atração traz histórias que trafegavam pelas linhas das locomotivas e as belezas dos municípios em torno das estações. Curiosidades que impactaram a memória, a arquitetura, o comportamento e a economia de cada cidade são reveladas ao telespectador. No itinerário, municípios como Tiradentes e São João del-Rei, famosos pela maria-fumaça, e outros lugares que mostram as Minas Gerais. O ponto de partida da nova safra é Antônio Carlos (foto), localizada no Campo das Vertentes. A linha, que tinha 600 quilômetros de extensão, foi construída para transportar passageiros e as riquezas da região. A série traz ainda curiosidades, como a história do escoteiro Caio Martins, que deu nome ao estádio do Botafogo, em Niterói (RJ).

(foto: Fernando Rabelo/divulgação)
(foto: Fernando Rabelo/divulgação)

LIVES DO DIA
JOSÉ EDUARDO AGUALUSA

O escritor José Eduardo Agualusa (foto) é o convidado de Afonso Borges no #SempreUmPapoEmCasa, nesta terça-feira (2), às 18h30, em live transmitida pelo YouTube (https://bit.ly/2X8C3eU). O encontro terá como tema “A vida como ela é e como ela será”, com a intenção de trazer à tona as percepções do autor sobre o momento atual e as perspectivas que ele enxerga para o futuro, além de falar sobre sua carreira literária. Agualusa nasceu em Huambo, Angola, em 1960. Estudou silvicultura e agronomia em Lisboa, Portugal. Já teve seus livros traduzidos para 30 idiomas. Publicou, entre outros, A sociedade dos sonhadores involuntários e O vendedor de passados e Teoria geral do esquecimento.

• • •

MUSEU DE CONGONHAS

Nesta terça-feira (2), às 16h, o Museu de Congonhas realizará uma live em seu Instagram (@MuseuDeCongonhas) sobre o tema “O futuro dos museus pós-pandemia”, com a pesquisadora e gestora cultural Beth Ponte. A mediação será conduzida pelo diretor do Museu de Congonhas, Sérgio Rodrigo Reis. “Importante debatermos o futuro das instituições museais num momento em que há muitas perguntas e poucas respostas efetivas. O Museu de Congonhas se coloca diante do debate com resiliência e criatividade”, declarou Reis.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade