Publicidade

Estado de Minas

Canal Curta! lança série que analisa obras de artistas famosos

Telas de Tarsila do Amaral são o tema do episódio de estreia de 'Matizes do Brasil', que vai ao ar nesta terça (31)


postado em 31/03/2020 04:00

 
A negra (1923) está entre as pinturas de Tarsila do Amaral analisadas por críticos de arte como Aracy Amaral(foto: Fotos: Reprodução)
A negra (1923) está entre as pinturas de Tarsila do Amaral analisadas por críticos de arte como Aracy Amaral (foto: Fotos: Reprodução)
Como nasce uma obra de arte? E o que ela pode falar sobre seu autor e também sobre o período em que foi produzida? Matizes do Brasil, série em 14 episódios que estreia nesta terça (31), no canal Curta!, pretende responder a tais questões por meio da análise de grandes trabalhos de artistas do modernismo e da arte contemporânea. 

É Tarsila do Amaral (1886-1973) quem abre a série. Ao longo de quase meia hora, acompanhamos as motivações de um dos maiores nomes da arte brasileira do século 20 em torno das obras A negra (1923), O ovo (Urutu) e Abaporu (ambos de 1928). Três especialistas em arte, entre eles a curadora e crítica Aracy Amaral, explicam como Tarsila desenvolveu esses trabalhos, o que eles representaram para a época em que foram produzidos e como sua importância foi crescendo ao longo do tempo.

Matizes do Brasil nasceu por uma provocação do Curta!, que queria um programa brasileiro inspirado na produção francesa Paletas, exibida no canal. “Só que esta série (francesa) pega em detalhes uma só obra de um artista, seja pintura ou escultura. Para dar uma dinamizada, acrescentamos mais duas ou três (em cada episódio). Abrasileiramos o formato”, comenta a diretora Bianca Lenti, da Giros Produções, realizadora da série.

A curadoria dos artistas ficou a cargo de Evandro Salles, ex-diretor cultural do Museu de Arte do Rio (MAR). “A gente sabia que iria passar pelos clássicos, mas queríamos também fugir das obviedades. (Além dos artistas) Ele nos ajudou também a escolher três obras principais e a escolher os especialistas que participariam dos programas”, conta Bianca.

Ovo (Urutu) e Abaporu, ambas de 1928, são as outras telas da pintora paulista abordadas pela série, que se inspira na produção francesa Paletas
Ovo (Urutu) e Abaporu, ambas de 1928, são as outras telas da pintora paulista abordadas pela série, que se inspira na produção francesa Paletas
DEPOIMENTOS 

Além de Tarsila, o Matizes do Brasil se debruça sobre a obra de Djanira (1914-1979), Hélio Oiticica (1937-1980), Lygia Pape (1927-2004) e Tunga (1952-2016). Entre os artistas vivos, comparecem Cildo Meireles (1948), Anna Maria Maiolino (1942), Laura Lima (1971), Neide Sá (1940), Rosana Paulino (1967) e Ernesto Neto (1964). Todos eles deram depoimentos para a série.

“A Rosana Paulino é uma artista negra do Capão Redondo, em São Paulo, que vem ganhando muita força na última década. Ao mesmo tempo em que conversamos com artistas que fazem parte do imaginário contemporâneo, como Ernesto Neto e Laura Lima, nos encontramos também com Anna Maria Maiolino, com uma mente tão perspicaz em seus quase 80 anos”, afirma Bianca.

A equipe do programa filmou as obras escolhidas durante exposições em curso ao longo de 2019, quando foi possível. Os quadros de Tarsila, por exemplo, estavam na grande retrospectiva apresentada no ano passado no Museu de Arte de São Paulo (MASP). As de Djanira, na Casa Roberto Marinho, no Rio de Janeiro.

Além de Matizes do Brasil, a Giros produziu também para o Curta! séries como Imortais da Academia, que aborda a genealogia de todas as cadeiras da Academia Brasileira de Letras, e Latitude, longitude, sobre a cultura popular no Brasil.

      MATIZES DO BRASIL
      Série em 14 episódios. Estreia nesta terça (31), às 23h30, no canal Curta!

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade