Publicidade

Estado de Minas

'BBB20' mira no futuro com o pé no passado

Com duas sisters mineiras, o reality global inicia hoje sua 20ª edição com mudanças na dinâmica da disputa e ênfase na valorização da história do programa


postado em 21/01/2020 04:00 / atualizado em 20/01/2020 18:22

Gabi Martins/Belo Horizonte-MG Cantora/23 ANOS(foto: Globo/Divulgação)
Gabi Martins/Belo Horizonte-MG Cantora/23 ANOS (foto: Globo/Divulgação)

“Uma mistura de melhores momentos com novidades....” É assim que as redes sociais do Big brother Brasil (BBB) anunciam a 20ª edição do reality global, que começa nesta terça-feira (21). Durante um mês, a emissora divulgou pílulas de informação, dando uma ideia do que vai ocorrer na casa mais vigiada do país. Pelo visto, a emissora está de olho no futuro (mas com um pé no passado) e deve rememorar os melhores momentos desde que o programa estreou, em 2002 – com referência às provas, aos ex-participantes e às festas mais marcantes.

A casa foi dividida em dois grupos: um formado por inscritos e outro por convidados. Enquanto o primeiro foi batizado de Pipoca, o segundo ganhou o nome de Camarote. Mas isso não quer dizer que um terá mais regalias do que o outro, segundo José Bonifácio Brasil de Oliveira, o Boninho, diretor do BBB, afirmou em posts em seu Instagram. “É camarote, mas nem tanto! Para entrar na casa do BBB, a turma do Camarote teve que topar entrar em condições iguais à turma da Pipoca. Sem nada extra! Brother é brother! Então é isso aí. Entra todo mundo nesse R$ 1,5 milhão. E olha que é livre de imposto! Para o vencedor, direto na conta.”

No sábado (18), o público finalmente ficou a par dos 18 participantes. O time Pipoca conta com o arquiteto e empresário paulista Felipe, de 27 anos, a cantora paraibana Flayslane, de 25, a médica anestesiologista paulista Thelma, de 35, a advogada capixaba Gizelly, de 28, o modelo e promotor de eventos paulista Guilherme, de 28, o ex-jogador de futebol paraense Hadson, de 38, o fisioterapeuta catarinense Lucas, de 26, a ginecologista e obstetra paulista Marcela, de 31, e o psicólogo e cientista de saúde pública maranhense Victor Hugo, de 25.

Rafa Kalimann/Campina Verde-MG Influenciadora digital/26 ANOS(foto: Globo/Divulgação)
Rafa Kalimann/Campina Verde-MG Influenciadora digital/26 ANOS (foto: Globo/Divulgação)


ELENCO

Já o time Camarote tem em seu “elenco” o ator carioca Babu Santana, de 40, que ficou conhecido ao interpretar Tim Maia no cinema; a cantora e atriz paulista Manu Gavassi, de 27; a empresária e influenciadora digital carioca Bianca Andrade, de 25, mais conhecida como Boca Rosa; a cantora belo-horizontina Gabi Martins, de 23, conhecida pela canção Neném; o hipnólogo paulista Pyong Lee, de 27; o surfista fluminense Lucas Chumbo, de 24; a musa fitness e influenciadora digital baiana Mari Gonzalez, de 25; o atleta paulista de ginástica artística Petrix Barbosa, de 27, e a influenciadora digital mineira Rafa Kalimann, de 26. A vencedora da edição 2019 do programa foi a mineira Paula Sperling.

A Globo informou ontem, por meio de um comunicado à imprensa, que o BBB20  terá "um muro dividindo a casa, para instaurar o ar de mistério, estreitar relações e acirrar a competição entre os recém-chegados". O muro separará os integrantes dos grupos Camarote e Pipoca. Logo no primeiro dia será feita uma prova de imunidade."O encontro entre os grupos vai acontecer somente por voz. Os participantes poderão se comunicar, mas não conseguirão se ver nem ter contato físico: a apresentação entre os grupos será feita oralmente, apenas", segundo a emissora.

Há a possibilidade de o reality ganhar mais participantes. No fim de semana, Boninho fez uma publicação indicando que a lista do BBB 20 não está completa. Em um vídeo, aparece “+4=2”, dando a entender que mais gente vai entrar. Como a imagem parece de um vidro quebrado, a suspeita é que a Casa de Vidro (uma espécie de aquário ou bolha montada em um shopping) seja reeditada. “Esse time ainda não terminou...Vem mais!!!”, escreveu o diretor-geral do programa.

Para o comunicólogo e especialista em realities Arthur Guedes Mesquita, finalmente a Globo encontrou o fio da meada. “Ela está seguindo a tendência dos principais reality shows pelo mundo, como o Project runway e RuPaul's drag race, que são autorreferentes, ou seja, pegam o universo simbólico construído em torno do próprio reality show e se apropriam dele. É uma edição história, em que devem replicar provas e outras ações e atividades que foram testadas ao longo das 19 edições”, afirma.

Barracos, festas, casais, memes. Tudo isso, que já faz parte do Big brother, deve se repetir em 2020. Uma das novidades é a permissão do uso de celulares dentro da casa. Os confinados terão acesso a um aparelho, mas somente para registrar e postar momentos do convívio no #FeedBBB. O celular não permitirá comunicação com o mundo exterior. O líder terá mais poderes, inclusive o de definir os participantes da Xepa e VIP, grupos com mais ou menos benefícios na hora da alimentação.

Outra ação já anunciada é que, desta vez, não será apenas o público que terá acesso à avaliação dos participantes no Queridômetro. Os próprios brothers e sisters poderão conferir as opiniões dos colegas, que estarão expostas no #FeedBBB. A apresentação será mais uma vez de Tiago Leifert. Já a cobertura desta edição ficará a cargo das ex-BBBs Ana Clara e Fernanda Keulla, que já cumpriram essa função anteriormente, e da novata Nivy Estephan, que ficou famosa ao apresentar um programa de games.

POLÊMICA

A hipótese da reedição da Casa de Vidro envolve também a teoria de que ex-BBBs retornarão à casa. Uma das participantes que causou mais polêmica ao longo das 19 edições do programa foi a jornalista mineira Ana Paula Renault, expulsa da casa por ter desferido tapas num concorrente durante uma festa. A agressão física entre os participantes é desclassificatória. Ana Paula admite que toparia voltar caso fosse convidada. “Pagando bem, que mal tem? Mesmo eu sabendo que o Big brother não paga para participar. É tentador, porque me abriu muitas portas. Acabei tendo uma grande exposição na mídia, que me rendeu participações em novelas, séries, Vídeo show, tive contrato com o (site) UOL e agora tenho o meu próprio canal no YouTube”, diz.

Ana Paula torce pelo sucesso do programa, porque isso também a beneficiaria. “É um programa que está há 20 edições com a corda toda, porque a audiência é certa e a repercussão também. Antes de entrar na casa, eu nunca tinha visto o programa, e acho que justamente por não ser uma telespectadora minha participação foi tão autêntica. Minha expectativa é que seja 'fogo no parquinho'. Sucesso do BBB 20 é sucesso para o meu canal, onde pretendo fazer uma cobertura”, afirma.

Muitos críticos avaliam que, nos últimos anos, o formato do BBB estava desgastado. Essa é a visão do pesquisador Arthur Mesquita, mas aponta que o programa não deixou de ser vantajoso para a emissora. “Em termos de valores absolutos, o BBB é um dos temas mais procurados no Google Trends (ferramenta do Google que mostra os mais populares termos buscados em um passado recente). E não só no período em que ele fica no ar. Além disso, ainda é o programa que paga as contas da Globo. Você vê até pelos patrocinadores. São grandes empresas, multinacionais.”


Publicidade