Publicidade

Estado de Minas

A curadora Mônica Hoff participa de bate-papo no Museu da Pampulha

Coordenadora do programa educativo da Bienal do Mercosul, artista convoca a população a discutir novas formas de pensar o mundo


postado em 28/07/2019 04:24

touca.ninja é o projeto de Sara Lana, uma das artistas selecionadas na sétima edição do Bolsa Pampulha(foto: Bolsa Pampulha/Divulgação )
touca.ninja é o projeto de Sara Lana, uma das artistas selecionadas na sétima edição do Bolsa Pampulha (foto: Bolsa Pampulha/Divulgação )

O programa Bolsa Pampulha promove neste domingo (28) um bate-papo com a artista e curadora Mônica Hoff, no Museu de Arte da Pampulha (MAP), com entrada franca. “Por mim, faríamos essa conversa em praça pública. É muito importante a participação da população. Nós estamos vivendo um momento de muitas urgências e emergências que são entendidas apenas dentro de um único ponto de vista, o de uma classe que segue com o domínio de pensamento”, diz ela.

Entre os assuntos a serem tratados estão métodos de trabalho que envolvem a construção de modos coletivos de aprendizagem e desaprendizagem, metodologias artísticas e curadoria pedagógica, uma linha de pensamento na qual a arte dialoga com a educação. Mônica abordará sua experiência em atividades como a coordenação do programa educativo Bienal do Mercosul, o Laboratório de Curadoria, Arte e Educação, a Escola Extraordinária e La Grupa. “Penso arte e educação como dois universos que se comunicam por meio da fricção, do debate. E o papel do curador pedagógico se mostra quando ele deseduca e reeduca a instituição. Ele precisa construir uma revisão que seja capaz de mexer nessa instituição. No momento em que isso acontece, é possível que já não precise mais existir a curadoria pedagógica”, afirma.

Em sua sétima edição, o programa Bolsa Pampulha selecionou os artistas Alex Oliveira (BA), Guerreiro do Divino Amor (RJ), David de Jesus do Nascimento (MG), Dayane Tropikaos (MG), Gê Viana (MA), Sallisa Rosa (GO), Sara Lana (MG), Simone Cortezão (MG), Ventura Profana (BA) e Desali (MG) para estudar residência em artes visuais. Radicada em Florianópolis, Mônica Hoff é uma das curadoras da comissão de acompanhamento do programa.

*Estagiário sob a supervisão da editora Silvana Arantes

MÔNICA HOFF: COMO ENSINAR O QUE NA REALIDADE SE QUER APRENDER
Museu de Arte da Pampulha (Av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha). 
Domingo (28), às 15h. Entrada franca. Mais informações: bolsapampulha.art.br.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade