Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Helvécio Carlos


postado em 16/06/2019 04:12

(foto: Vítor Goulart/Divulgação)
(foto: Vítor Goulart/Divulgação)
“Gosto de ouvir e cantar todos os estilos de música”

Cinco meses depois de iniciar os projetos para montar sua banda, Elisa Rabello não esconde a emoção com o primeiro show, realizado na terça-feira passada, em Lourdes. “Foi muito bom! Fiquei muito feliz e realizada! Foi maravilhoso fazer minha estreia cantando para tantos amigos, tantas pessoas queridas e em um evento tão impecável em todos os detalhes, organizado pela Talento Joias e pela Vogue Noivas. Fazer minha estreia lá foi sensacional”, diz a cantora, que volta ao palco dia 12 de julho, no Baretto.

Elisa tem um estilo musical bastante eclético, variando do pop, soul, R&B, country, xotes, sertanejo, MPB, ao axé e reggae. “Realmente, gosto de ouvir e cantar todos os estilos de música”, afirma, lembrando que suas maiores influências são Whitney Houston, Adele, Queen, Aretha Franklin, Amy Winehouse, Almir Sater, Marisa Monte e Maria Gadu.

Formada na Faculdade de Direito Milton Campos e pós-graduada em gestão com ênfase em finanças na Fundação Dom Cabral (FDC), Elisa advogou durante um ano após sua formatura e, em 2011, passou a trabalhar com planejamento estratégico e gestão de empresas. Elisa Rabello faz parte do casting da Music Produções.

COM A PALAVRA
Elisa Rabello, cantora


Você é de uma família de empresários, formou-se em direito, é empresária (lançou recentemente o voebem.net). Quando e onde a música entrou em sua vida?
Música sempre foi minha paixão. Desde a minha infância, fiz aulas de canto, participei de corais e fiz aulas de instrumentos musicais (toco piano e violão acompanhando algumas músicas que canto). Durante minha adolescência, cantei em casamentos, bodas e aniversários de familiares, mas somente agora resolvi, finalmente, ouvir meu coração e profissionalizar também a minha paixão, que é a música.

Quando você decidiu colocar a banda na rua?
O pontapé inicial foi dado na virada do ano, quando meu professor de canto, Caju Andrade, me deu força e incentivo para profissionalizar minha cantoria e falou que encontraria os músicos ideais para mim. Foi aí que conheci os meninos da minha querida banda: Wallace Campos (percussão), Pablo Leite (violão) e Igor Neves (teclado).

Quais são os seus compositores preferidos e as canções que não poderão faltar em seu repertório?

Meus compositores preferidos são Adele, Queen, Whitney Houston, Almir Sater, Marisa Monte, Maria Gadu, entre outros. Rolling in the deep, da Adele, e Ne me quitte pas, de Édith Piaf, são duas das minhas favoritas e não poderão faltar no meu repertório.

Você canta em português, inglês, francês, italiano e espanhol. Sempre gostou de estudar línguas? É fluente em todas?

Sempre amei estudar línguas. Estudei inglês desde os 5 anos; aos 13, fiquei um mês estudando inglês no Canadá, e, aos 16, voltei ao Canadá para fazer intercâmbio. Estudei francês durante nove anos, italiano quatro anos e espanhol durante dois anos. Consigo conversar e me virar superbem nas quatro línguas, mas me considero fluente no inglês, nível avançado no francês e nível intermediário no italiano e espanhol.

Quais os critérios e como foi o processo para montagem do repertório?
Procurei mesclar um pouco de cada um dos estilos de que gosto para conseguir agradar a todo tipo de público. Procurei mesclar músicas mais calmas e músicas mais animadas para dar uma dinâmica interessante ao show e me preocupei também em colocar algumas músicas que possuam letras e mensagens do que acredito realmente importar na vida. Para o Baretto, pretendo seguir essa linha de mesclar estilos musicais para fazer um repertório que consiga agradar a qualquer tipo de gosto e proporcionar momentos de felicidade e descontração a quem estiver assistindo.

Tem projeto de gravação de discos? E quais são os seus canais de rede social abertos aos fãs?
Tenho algumas músicas autorais, como Vamos viver, que toquei no show de terça-feira passada na Talento a que você assistiu. Eu ficaria muito feliz em gravar minhas músicas. Meu instagram é @elisarabello e eu o tornei público há duas semanas. Será um prazer mostrar meu trabalho e minhas músicas por lá.

Como surgiu a ideia de criar o Voebem e como funciona? Como vai conciliar a vida de cantora e de empresária?

A ideia de criar a Voebem.net surgiu a partir da análise e verificação da dificuldade e burocracia em solucionar problemas decorrentes de viagens e voos. A Voebem.net é uma plataforma 100% digital especializada em prestar auxílio a passageiros que tiveram problemas em viagens e especializada também em dar dicas de viagens sobre destinos e precauções que devem ser tomadas. Sempre fui muito dinâmica e acostumada desde nova a conciliar várias coisas ao mesmo tempo. Está sendo bem tranquilo conciliar as duas coisas.


Publicidade