Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Mário Fontana


postado em 09/06/2019 04:12







•  Dentro de poucos dias, funcionários da usina da Açominas-Gerdau em Ouro Branco trocarão os capacetes de proteção. Passarão a usar peças sustentáveis feitas de polietileno verde, com matéria-prima obtida da cana-de-açúcar. Aliás, operários de todas as usinas da empresa no país farão o mesmo.


EMBRAER
Aniversário de 50 anos

Em 19 de agosto, a Empresa Brasileira de Aeronáutica, nossa famosa Embraer, vai comemorar seus 50 anos. Criada pelo regime militar em 1969 como empresa de economia mista vinculada ao Ministério da Aeronáutica, enfrentou tempos conturbados no início, mas acabou se tornando a terceira maior produtora de aviões do mundo, atrás apenas da Boeing e da Airbus. Glória do Brasil. Seu primeiro presidente foi o engenheiro Ozires Silva, que comandou a vitoriosa privatização da Embraer no governo Itamar Franco.

• • •

Curiosamente, a empresa festejará o cinquentenário com seu controle entregue à Boeing, que comprou 80% das ações em julho de 2018, no governo Michel Temer. Para a Embraer genuinamente brasileira ficou a produção de aviões militares, executivos e agrícolas. O presidente mundial da Boeing, Dennis Muilenburg, deve vir para a festa, que contará com as presenças do presidente Jair Bolsonaro e do fundador Ozires Silva, de 88 anos. Quer queira, quer não, o regime militar será lembrado no evento como o grande apoiador da criação da Embraer. Na rebarba, Itamar Franco.

HÉLIO GARCIA
Perdeu a chance

Hélio Garcia, o saudoso ex-governador de Minas Gerais cujo falecimento completou três anos na última quinta-feira, contava aos amigos que, em 1990, recusou o convite de Fernando Collor, então candidato ao Planalto, para compor sua chapa como candidato a vice. Seria uma dupla invencível em matéria de garbo, porte e elegância (de leve). Com a recusa, Collor, que queria um mineiro como vice, acabou convidando Itamar Franco. E deu no que deu. Hélio comentava que, obviamente, perdeu a chance de ser presidente do Brasil, embora jamais tivesse cogitado a renúncia de Collor. Nem ele, nem ninguém.

MOTÉIS DE BH
Novas finalidades

Vem sendo noticiado com ligeira constância que vários motéis de BH, principalmente aqueles situados na BR-040, nas proximidades do BH Shopping, vão se transformar, em futuro bem próximo, em respeitáveis estabelecimentos comerciais e polos gastronômicos, perdendo totalmente a finalidade atual. Tudo bem. Aliás, dizem que os motéis entraram mesmo em decadência. Se é verdade, seria preciso esclarecer urgentemente onde a rapaziada está praticando o esporte do amor, pois estão se perdendo esses pontos de apoio. Não dá para acreditar que a derrocada dos motéis será completa. Deve haver algum erro de interpretação...

BARBA E CABELO
COREIA DO NORTE

Empresário atuante em terras mineiras que teria conseguido visto de entrada na Coreia do Norte, entre outras curiosidades anotadas no país comandado pelo jovem ditador Kim Jong-un, informa que não viu nenhum coreano ostentando barba, cavanhaque, bigode ou cabelo comprido, ao contrário do que ocorre no Ocidente e no mundo muçulmano. Por lá, dá cadeia usar barba. Tatuagem, então, nem pensar. Como limitou sua visita à capital Pyongyang, ele também não viu indícios de pobreza entre a população da cidade, extremamente limpa. Já o que não falta por lá é soldado. Todos muito compenetrados. As mulheres idem.

• • •

Por falar na proibição de tatuagens, dá para perguntar: até quando essa moda vai predominar no mundo? Moda é moda – menos dia, mais dia, ela passa. Nos tempos antigos, tatoos eram usadas apenas por marinheiros, saudosos das amadas e da pátria distante, e por criminosos, saudosos da liberdade, das esposas e namoradas. Sem falar nos índios, os primeiros a ostentar o artifício pictórico, embora de maneira mais inteligente, pois a pintura corporal valia apenas para guerras e comemorações.

OURO PRETO
Nobres alemães

Neste fim de semana, uma delegação de figuras da nobreza alemã é aguardada em Ouro Preto para visita turística. Entre seus integrantes estão a condessa Maria von Ausperg zu Ausperg e o freiherr Armin von Manteuffel.

DIA DOS NAMORADOS
JANTAR NO AC

O Automóvel Clube, para não deixar a peteca cair, promoverá jantar dançante dedicado aos namorados, na terça-feira. Obviamente, à luz de velas e com música decididamente romântica. Já Lilian Furman, mantendo-se firme no ataque, promove seu já tradicional jantar lítero-gastronômico-dançante, na sexta. Novamente no La Traviata, devido ao sucesso do encontro de maio. Com o organista Carlinhos no teclado. Reminiscências de Renato Biagioni.

PALESTRA
FACULDADE E ACADEMIA

Amanhã à noite, o professor Hermes Guerrero, diretor da Faculdade de Direito da UFMG, movimentará a Academia Mineira de Letras com a palestra “A Academia Mineira de Letras e a Faculdade de Direito da UFMG”. As instituições, ambas centenárias, sempre mantiveram laços fraternos, pois boa parte dos acadêmicos sempre foi formada por bacharéis da Casa de Afonso Pena. Às 19h30.

BARBACENA
Níver de 100 anos

Em 1º de julho, dona Déa Savassi, viúva do ex-prefeito de Barbacena José Altair Savassi, considerada a mulher mais elegante da cidade, será homenageada pela família e amigos com uma grande festa para comemorar seus 100 anos. Completa o centenário em plena forma, com convidados da sociedade barbacenense e de várias praças. A propósito, o clã Savassi de Barbacena é ligado ao de BH. Quando a família veio da Itália, um grupo foi para Barbacena e outro para a capital mineira. Cresceram e se multiplicaram. E estão aí, firmes e fortes.


Publicidade