Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Helvécio Carlos


postado em 08/06/2019 04:14



BRAZILFOUNDATION
LIÇÕES DE BRUMADINHO

Vítimas da tragédia em Brumadinho, moradores do Parque da Cachoeira sofrem as consequências do desastre. Anteontem, o grupo da BrazilFoundation (BF) que visitou a região voltou para casa com lições de solidariedade e esperança. “Queremos que vocês levem para o mundo não só a imagem de um parque atingido por uma tragédia, mas de um povo que, apesar de tudo, está conseguindo se recuperar. Mais do que vítimas, queremos que se lembrem de nós pela esperança de que a nossa tragédia possa servir de exemplo. Que o nosso trabalho de reconstrução também seja exemplo”, disse Cristina Fontes Patto Melo, criada naquela região, durante o encontro na sede da Naação, ONG que há quatro meses mantém voluntários de Belo Horizonte no local.



A atriz Flávia Alessandra – apresentadora do Gala Minas, jantar de ontem organizado pela BrazilFoundation com renda para obras sociais em Minas Gerais, incluindo a Naação – ficou emocionada com as histórias e a força das mulheres reunidas na sede da ONG. “É muito especial poder estar de mãos dadas com vocês, de alguma forma, nessa nova caminhada de vida. Vamos dar a volta por cima”, afirmou, com a com a voz embargada. Carinhosa, a atriz ficou boa parte do encontro com Ágata, menina que mora na região. O estilista Francisco Costa, apresentador do leilão, ponto alto do jantar, acompanhou tudo com muita emoção. Passou a tarde com o pequeno Henrico, de 8 meses, no colo.

***

Em pouco mais de duas horas, o grupo liderado por Patrícia Lobaccaro, presidente da BF, Cristina Brulay, diretora da fundação, e Júnior Amaro, coordenador de eventos, conheceu histórias de quem sofre os efeitos do desastre ecológico. Sandra Maria da Costa, da pastoral católica, lembrou a iniciativa da comunidade, que se uniu logo nas primeiras horas na cozinha da igreja para preparar comida para bombeiros e soldados. “Cada um catou o que tinha em casa e levou. Não pensamos, agimos. Tínhamos de fazer o que dava... Arroz com sardinha, arroz com ovo”, recordou, revelando que, por um bom tempo, todos trabalharam das 7h às 21h até que as coisas se ajeitassem.



Vanessa Cristina de Jesus contou que não imaginava ver tamanha solidariedade. Citou o caso específico da Naação. “De sol a sol, chuva a chuva, eles estiveram do nosso lado com atendimento psicológico, uma palavra amiga. Isso, apesar das dificuldades de transporte de Belo Horizonte para cá. Muitos psicólogos pagaram do próprio bolso para vir até aqui. Toda essa doação foi de grande importância naquele primeiro momento”. Para Vanessa e moradores, a incerteza está no futuro da Naação, que tem previsão de ficar até 2020 na cidade. “É importante que essa data seja estendida. Dia a dia, vamos retomando nossa vida de forma gradativa. Queremos um futuro melhor que venha amenizar esse sofrimento, mas isso não é fácil”, comentou.

***

O grupo também foi recebido pelo porta-voz dos Bombeiros em Brumadinho, Pedro Aihara, que agradeceu à BrazilFoundation a parceria com a corporação e com a Associação de Cooperação de Ciência de Tecnologia Brasil Japão, em projeto voltado para crianças da rede de ensino público de Brumadinho. “Em um momento como esse de reconstrução, você recuperar a convivência social de uma comunidade é muito importante. Nossa responsabilidade com a prevenção é muito maior do que se imagina”, disse Aihara. A visita terminou ao som da banda São Sebastião, de Brumadinho.



Publicidade