Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Bianca Gismonti leva sua música autoral ao Museu de Arte da Pampulha

Ao lado de Júlio Falavigna e Antônio Porto, filha de Egberto Gismonti lança o disco %u2018Desvelando mares%u2019, neste domingo (2), em Belo Horizonte


postado em 02/06/2019 04:12

Antônio Porto, Júlio Falavigna e Bianca Gismonti se apresentarão no Museu de Arte da Pampulha(foto: Daryan Dornelles/Divulgação)
Antônio Porto, Júlio Falavigna e Bianca Gismonti se apresentarão no Museu de Arte da Pampulha (foto: Daryan Dornelles/Divulgação)


Filha de Egberto Gismonti e da atriz Rejane Medeiros, a pianista e compositora carioca Bianca Gismonti não pensou em trilhar outro caminho que não fosse o palco. Neste domingo (2), ela se apresenta no Museu de Arte da Pampulha (MAP), em Belo Horizonte, para lançar o CD Desvelando mares, acompanhada pelo baterista Júlio Falavigna e o baixista Antônio Porto.

O show contará com as participações especiais do violonista Alexandre Gismonti, irmão de Bianca, e do pianista e acordeonista mineiro Rafael Martini. A artista conta que navega por vários lugares do mundo nesse trabalho autoral, o terceiro álbum gravado pelo trio batizado com seu nome.

“No show em BH, vou mesclar algumas composições que estão no álbum com outras antigas, além de clássicos de outros autores”, adianta. Desvelando mares reúne nove faixas inéditas. “Para fazer as canções desse disco, inspirei-me em compositores de outros países”, revela Bianca. Entre eles há criadores da Argentina, Armênia, Estados Unidos, Japão e Portugal.

Criar é algo natural para ela.  “Sento-me ao piano e vou compondo. Às vezes, a música me vem à cabeça pronta. Outras se originam de alguma situação vivida no cotidiano. Na verdade, não tem uma regra, acredito que depende das situações da vida. Mas é um processo muito tranquilo para mim.”

OSMOSE Aos 39 anos, ela admite a influência total de Egberto Gismonti, um dos compositores e multi-instrumentistas mais importantes do Brasil. Diz que isso ocorre de forma natural. “É uma coisa meio que osmótica”, acredita.

“Eu e meu irmão começamos a tocar com meu pai quando éramos adolescentes. Na época, tinha uns 15 anos. Meu pai sempre foi muito presente em nossas vidas, tinha um convívio muito próximo com a gente. Não era aquela coisa de pai músico que vive distante, na estrada, pois estávamos sempre juntos em seus shows pelo mundo. Ouvíamos música juntos. Até hoje, quando componho, mostro minhas canções a ele, pois gosto de ouvir sua opinião. Naturalmente, ele dá alguma dica, mas respeita o meu trabalho e a minha forma de compor”, afirma Bianca.

A vida de artista vem do DNA. “Confesso que a música está dentro de mim. Pelas andanças com meu pai, por ouvir música desde pequena, acho que não conseguiria viver longe dos palcos. Foi ele quem nos colocou lá”, acredita a compositora, que também é professora de piano.

LIBERDADE “Faço minhas músicas sempre sozinha. Meu pai é adepto da liberdade de compor, de a pessoa conquistar o próprio espaço estudando, ouvindo e sempre buscando a própria linguagem. Ele vai a meus shows, e isso é muito legal”, revela.

Ela está feliz com o terceiro CD do Bianca Gismonti Trio, que sempre grava inéditas em seus álbuns. “Agora vamos lançar o quarto disco, mas ele terá somente músicas compostas por meu pai. Vai se chamar Gismonti 70”, adianta.

Depois de BH, o trio vai se apresentar em Brasília, Curitiba, cidades do Nordeste e no Canadá. “Já fizemos Rio de Janeiro e São Paulo. Temos vários shows agendados”, conta. “Desenvolvo também um outro projeto com o MPB-4, com o qual pretendo voltar a Minas”, promete Bianca.


Às vezes, a música me vem à cabeça pronta. Outras se originam de alguma situação vivida no cotidiano. Na verdade,não tem uma regra. Acredito que dependedas situações da vida”

Bianca Gismonti, pianista e compositora

BIANCA GISMONTI TRIO
Show de lançamento do CD Desvelando mares. Neste domingo (2), às 11h. Museu de Arte da Pampulha, Avenida Otacílio Negrão de Lima, 16.585, Pampulha. Informações: (31) 3227-7996. Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).


Publicidade