Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Concerto para variadas mãos

Festival com obras para cordas e piano reúne concertistas consagrados em BH e promete versão inédita e "impactante" de Bolero, de Ravel. Apresentação será com oito pianistas


postado em 16/05/2019 05:08

Celina Szrvinsk e Miguel Rosselini, pianistas, são os organizadores do evento musical, que elegem como
Celina Szrvinsk e Miguel Rosselini, pianistas, são os organizadores do evento musical, que elegem como "congraçamento" (foto: Duopo Produções Visuais/Divulgação)

O Bolero, de Ravel, é considerada uma das obras-primas da música clássica e também uma das mais populares. Composta em 1928 pelo francês Maurice Ravel originalmente para um balé, a peça tem um único movimento e foi escrita para orquestra. Por isso, soa no mínimo curioso vê-la sendo executada ao piano, ou melhor, por quatro pianos. Essa é uma das novidades que reserva a 7ª edição do Festival de Maio – Cordas e Piano. O primeiro módulo ocorre hoje (16), amanhã e sábado e é todo dedicado ao piano, enquanto o segundo, entre 27, 28 e 29 de maio, vai focar em instrumentos de corda (cello, harpa e violão). O evento se dedica à promoção da música de concerto brasileira e estrangeira e à interação e colaboração entre compositores, artistas de projeção internacional, professores com extensa carreira didática e alunos de música das mais variadas idades e experiências musicais.

É no sábado, cuja abertura será às 18h30, que está programada a tão esperada apresentação do Bolero. Em cena serão oito pianistas dividindo quatro pianos. Ou seja, 16 mãos. “É algo inédito. É uma peça que todo mundo está acostumado a ouvir com orquestra. Mas foi uma encomenda a um casal de amigos, a Francisca Aquino, que é pianista, e o Ricardo Vasconcellos, contrabaixista. Eles criaram os arranjos. Será um espetáculo à parte. A cada hora entra um pianista como se fosse uma coreografia. Acredito que será bem impactante”, ressalta a pianista Celina Szrvinsk, que, ao lado do marido, o também pianista Miguel Rosselini, tem a direção artística do evento.

Além deles, o festival trará outros nomes consagrados da música erudita. O piano terá representantes como Stefanie Freitas, Anderson Dahe, Luiz Senise, Adalmário Pacheco, Maurício Veloso, Luiza Salles, o canadense Paul Stewart e Berenice Menegale, diretora e uma das idealizadoras da Fundação de Educação Artística. “Ela é uma das maiores referências não só em Minas, como no Brasil. Esse festival, como o próprio nome sugere, é uma festa da música. Reunimos alunos e ex-alunos nossos. Alguns já são professores e mestres. Temos gerações de artistas. A ideia, desde o princípio, foi essa: um congraçamento”, frisa Celina. Outro convidado é o pianista Marcelo Magalhães, que, ao lado do colega Marcelo Corrêa, interpretará Cassata Mineira para 2 pianos, obra composta por ele em homenagem a Celina e Miguel. “Esse concerto ocorre na sexta (17), dia em que completo 60 anos. Como o festival sempre acontece nessa época, eu passo o meu aniversário da maneira que mais gosto, que é tocando”, celebra.

Justamente pela logística e pelo palco ter que comportar até quatro pianos de cauda, o local escolhido para sediar o Festival de Maio foi o Teatro do Centro Cultural do Minas Tênis Clube. A abertura será amanhã, com Celina e Miguel tocando a quatro mãos Cenas do Oriente, de Schumann, e Danças húngaras, de Brahms. Em seguida, Adonhiran Reis (violino), Iberê Gomes (viola), Renan Moreira (violoncelo) e Naila Alvarenga (piano) apresentam Quarteto em sol menor, op.25 n° 1, de Brahms. Celina Szrvinsk destaca o repertório que vai mesclar não só clássicos, como os Concertos de Bach, mas também o mais popular como O Trenzinho do caipira, de Villa-Lobos e Adiós nonino, de Astor Piazzolla. “É justamente para mostrar como existem obras belíssimas e diversas para piano que passam tanto pelo erudito como pelo popular”, diz.

OFICINAS O segundo módulo, no fim de maio, reunirá artistas como o harpista russo Sasha Boldachev, o violonista paulista Fábio Zanon e o violoncelista pernambucano Antônio Menezes, radicado na Suíça. Além de obras solo para seus instrumentos, apresentarão duos de harpa e violoncelo, violão e harpa e violoncelo e violão. A programação do Festival traz ainda oficinas na Fundação de Educação Artística e na Escola de Música da UFMG.

7º Festival de Maio – Cordas e Piano
Primeiro módulo (piano). Hoje, amanhã e sábado, às 20h30. Segundo módulo (cordas). Dias 27, 28 e 29 de maio, às 20h30, no Centro Cultural Minas Tênis Clube (Rua da Bahia, 2.244, Lourdes. (31) 3516-1360). Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Vendas: bilheteria ou pelo site: www.eventim.com.br/ Oficinas custam R$ 20, mas o aluno pode assistir a masterclasses de todos os professores de qualquer instrumento. Informações: www.festivaldemaio.wordpress.com ou (31) 99635-1717
Hoje (16), a partir das 20h30, Celina Szrvinsk e Miguel Rosselini, piano a 4 mãos.
Repertório: Robert Schumann e Johannes Brahms. Em seguida, Adonhiran Reis (violino), Iberê Gomes (viola), Renan Moreira (violoncelo) e Naila Alvarenga(piano). Repertório: Quarteto em Sol menor, op.25 nº 1, de Brahms


Publicidade