Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

A hora e a vez de Jaime Lannister


postado em 19/04/2019 05:08

Em Game of thrones, Jaime Lannister (Nikolaj Coster Waldau) presta contas ao passado(foto: HBO/divulgação)
Em Game of thrones, Jaime Lannister (Nikolaj Coster Waldau) presta contas ao passado (foto: HBO/divulgação)

Na gelada Winterfell, agora ocupada pelo numeroso exército de Daenerys Targaryen (Emilia Clarke), um cavaleiro misterioso entra pelos muros do castelo, coberto por uma capa. Desce do cavalo preto e tira o capuz, revelando ser Jaime Lannister (Nikolaj Coster Waldau), o único dos personagens importantes que ainda não havia surgido no primeiro episódio da última temporada de Game of thrones, exibido no domingo passado.

Jaime tem a expressão levemente angustiada ao se ver em Winterfell. Seu olhar se cruza com o de Brandon Stark (Isaac Hempstead-Wright), paraplégico em sua cadeira de rodas. Jaime fica tenso. A câmera se volta para Brandon, cujo semblante parece perdido desde que se assumiu como a entidade Corvo de Três Olhos. Os dois não se aproximam. Sem trocar uma palavra sequer, o episódio se encerra.

De todos os reencontros que a volta de Game of thrones proporcionou – de Tyrion (Peter Dinklage) com a ex-mulher Sansa (Sophie Turner), de Jon Snow (Kit Harington) com Arya (Maisie Williams), e dela com Sandor Clegane (Rory McCann) e Gendry (Joe Dempsie) –, o de Jaime com Bran é o mais notável. Está aí o gancho para o que virá no próximo domingo (21). Se não fosse pelos dois, boa parte dos eventos da trama não teria ocorrido.

A única vez em que os dois se viram foi no episódio de abertura da série, exibido em 2011. O garotinho Bran gostava de escalar as torres de Winterfell. Foi assim que flagrou o relacionamento incestuoso de Jaime, membro da guarda real, com a irmã Cersei (Lena Headey), casada com o rei Robert Baratheon (Mark Addy). Na ocasião, a corte visitava Winterfell para convidar Ned Stark (Sean Bean), pai de Bran, a assumir o cargo de vice-rei (Mão do Rei).

Para manter seu segredo, Jaime empurra o garoto da torre, acreditando que o mataria. Ele sobrevive, mas perde o movimento das pernas. Quando a mãe de Brandon começa a suspeitar que o filho foi jogado da torre, sobretudo depois de o menino sofrer uma tentativa de assassinato enquanto se recupera, ela começa a investigar os fatos, dando origem à guerra entre as casas Stark e Lannister. As consequências disso – traições, manipulações e mortes de personagens importantes – marcaram a história contada nas sete temporadas que antecederam o último domingo.

Se a estreia da oitava rodada não teve fatos tão destacáveis, o reencontro mostrou que questões em aberto podem encontrar um desfecho agora. No início da trama, Jaime é a figura repulsiva capaz de matar um garoto inocente. Homem sem honra, ficou conhecido como “O Regicida”, que assassinou o “Rei Louco” Aerys II, pai de Daenerys, a quem deveria proteger. No entanto, ao longo da história, ele vai mostrando outras facetas. Ao que tudo indica, pretende cumprir sua promessa e lutar ao lado dos inimigos do passado para combater o mal maior, o exército dos mortos e white walkers.

Mas a redenção de Jaime será completa? Ou quem sofreu em suas mãos (quando ele tinha as duas) vai se vingar? As respostas devem começar a surgir no próximo domingo (21), às 22h, na HBO.


Publicidade