Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Felicity Huffman e Lori Loughlin no centro dos escândalos universitários

Atrizes que protagonizam as séries Desperate housewives e Full house, respectivamente, são acusadas de pagar suborno para que filhos entrem em instituições de elite nos EUA. Huffman já admitiu culpa, mas Loughlin, que enfrenta nova acusação, não assumiu delito


postado em 10/04/2019 05:12

Felicity Huffman, protagonista da série Desperate housewives, pode ser condenada a até 20 anos de prisão(foto: Fotos: Joseph Prezioso/AFP)
Felicity Huffman, protagonista da série Desperate housewives, pode ser condenada a até 20 anos de prisão (foto: Fotos: Joseph Prezioso/AFP)

A atriz Felicity Huffman e outros 12 pais de alunos aceitaram se declarar culpados de ter pago subornos para conseguir a admissão de seus filhos em universidades prestigiosas dos Estados Unidos. Huffman, de 56 anos, conhecida por seu papel na série Desperate housewives, se declarou culpada de pagar US$ 15 mil para que sua filha mais velha obtivesse notas melhores na prova de admissão da universidade, explicou o Departamento de Justiça de Massachusetts, em comunicado.
“Tenho vergonha da dor que causei à minha filha (que não sabia de nada), à minha família, aos meus amigos e ao mundo do ensino”, disse a atriz à AFP. “Quero me desculpar com todos, e muito particularmente com os estudantes que trabalham duro todos os dias para entrar na universidade e com seus pais, que fazem imensos sacrifícios para apoiá-los, com honestidade. Aceito plenamente minha culpa e a responsabilidade por essas ações”, escreveu Felicity Huffman.

A Justiça não denunciou o marido de Huffman, o ator William H. Macy, astro do programa Shameless, no escândalo das admissões universitárias. Huffman pode ser condenada a até 20 anos de prisão pelo crime de transferência fraudulenta de fundos, mas a expectativa é que a Justiça não lhe imporá uma sentença tão dura.
Outra atriz famosa, Lori Loughlin, conhecida por seu papel na série Full house, também foi acusada neste caso, mas não se uniu aos que se declararam culpados na segunda-feira. As duas atrizes eram as mais conhecidas de um grupo de 50 pessoas denunciadas por uma fraude para ajudar seus filhos a entrarem em universidades de elite nos Estados Unidos.

Entre os pais envolvidos, há diretores-executivos de empresas e sócios de importantes escritórios de advocacia. O líder do esquema fraudulento, William Rick Singer, concordou em se declarar culpado de acusações de fraude e está cooperando com as autoridades.
Segundo as autoridades, Singer cobrou cerca de US$ 25 milhões para garantir as admissões às universidades por meio de trapaças nas provas ou subornos a treinadores para recrutar estudantes sem habilidades esportivas.

NOVAS ACUSAÇÕES
Apesar de não se declarar culpada, Lori Loughlin, a estrela de Full house, e seu marido, o estilista Mossimo Giannulli, e outros 14 pais foram atingidos ontem com uma nova acusação de lavagem de dinheiro no esquema de suborno.  Eles estavam entre os 33 pais acusados de participar de um esquema que envolvia manipular vestibulares e subornar treinadores em universidades de elite.
Loughlin e Giannulli foram presos no mês passado por acusação de conspiração para cometer fraudes por correspondência e transferência eletrônica. Entretanto, a acusação de ontem acrescenta a denúncia de lavagem de dinheiro contra o casal e os outros 14 pais.

Loughlin e Giannulli são acusados de pagar US$ 500 mil em subornos para que suas filhas entrassem na Universidade do Sul da Califórnia como recrutas de equipes, mesmo que nenhuma delas tenha praticado o esporte. Na semana passada, ambos apareceram em tribunal federal de Boston, mas não foram convidados a entrar em um apelo. O casal também não aborda publicamente as acusações contra eles. (Da redação, com AFP)


Publicidade