Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Penação no pé


postado em 04/04/2019 05:08



Colega nosso da redação torceu o pé num passo mal dado, em dia de chuva, e detonou com o calcanhar, osso, ligamentos, o diabo. Teve sorte de a fratura não ser exposta, mas teve que ser operado, ganhou sete pinos para segurar os ossos no lugar e ainda por cima mais de 17 pontos na incisão feita na perna. Ganhou um castigo extra: a obrigação de passar dois meses inteiros sem colocar o pé no chão para andar, o que é uma penação para quem tem, como modo de vida, circular o tempo todo. Esse problema com o amigo levou a uma especulação extra sobre os vários problemas que ocorrem com o calcanhar, poucos sabem que o esporão que dá na sola do pé pode dar também na parte de trás do calcanhar.

O nome do problema é síndrome de Haglund, uma deformidade do calcanhar (osso do pé). É também conhecido como “esporão dorsal do calcâneo”. A condição ocorre quando a região posterior óssea do calcanhar, em que o tendão de aquiles é localizado, aumenta de volume, causando dor e deformidade. O uso de sapatos sobre essa região coloca pressão sobre o tecido na parte de trás do calcanhar, causando inflamação e dor. Eventualmente, pode cursar com tendinite do aquiles e bursite do retropé, daí o nome de síndrome de Haglund. Bursite é a inflamação de uma bolsa de fluido que separa o tendão do osso. Quando o calcanhar se torna inflamado, pode levar à calcificação do osso do calcanhar. Isso faz com que a colisão se torne ainda mais proeminente e aumente a dor.

Haglund pode se desenvolver em qualquer pessoa. No entanto, é mais comum em pessoas que usam sapatos com pouca absorção de impacto e que fazem sobrecarga. Essa síndrome é o resultado da pressão frequente do calcâneo contra os sapatos rígidos e apertados na parte posterior. Pode ser causada também pelo excesso de impacto e sobrecarga no retropé. As pessoas têm diferentes níveis de risco para desenvolver Haglund, pois depende da forma do osso do calcanhar. Os sintomas da síndrome de Haglund são vários e ela é muito dolorosa. Pode desenvolver-se em um ou ambos os pés. Seus sinais e sintomas podem incluir saliência muito visível na parte de trás do calcanhar; dor intensa na área em que o tendão de aquiles se insere no calcanhar; inchaço na parte de trás do calcanhar; e vermelhidão perto do tecido inflamado do calcâneo.

O problema é difícil de diagnosticar porque os sintomas são semelhantes a outros problemas de pé, como a artrite e tendinite do calcâneo. Por vezes, os médicos podem diagnosticar a doença pelo aparecimento da saliência óssea do calcanhar. Se houver suspeita de Haglund, um raio X do osso do calcanhar ajudará o médico a determinar se há um osso do calcanhar proeminente (esporão) associado com a doença. Em alguns casos, exames complementares de partes moles são solicitados para analisar o comprometimento dos mesmos. Os exames também podem ajudar o médico a direcionar a confecção de órteses para aliviar a dor no calcanhar. Palmilhas podem ser feitas para estabilizar o pé e também diminuir a pressão.

O tratamento para essa síndrome geralmente se concentra em aliviar a dor com métodos fisioterapêuticos, analgésicos e cicatrizantes (magnetoterapia, laser, US, etc.), medicamentos, acupuntura e tirar a pressão do osso do calcanhar. As opções não cirúrgicas incluem o uso de sapatos de salto aberto, como tamancos; gelo de 20 a 30 minutos por dia para reduzir o inchaço; iontoforese, o qual utiliza uma corrente elétrica fraca para ajudar drogas anti-inflamatórias a penetrarem na pele.

Você também pode reduzir o risco de Haglund cuidando bem de seus pés. Tente evitar sapatos com saltos duros e apertados; use sapatos sem costas (abertos na parte posterior); use meias acolchoadas com solas antiderrapantes; realize exercícios de alongamento e fortalecimento para evitar a compressão do tendão de aquiles; e evite correr em superfícies duras se estiver com dor.


Publicidade