Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Série termina por 'perder' para Trump a disputa de político terrível

Cocriador de 'Veep', cuja sétima e última temporada estreia neste domingo (35), diz que ficou difícil a ficção sobre %u2018erros e mais erros%u2019 competir com a realidade


postado em 31/03/2019 05:10

Com as seis temporadas de Veep, Julia Louis-Dreyfus venceu o Emmy de melhor atriz em comédia por seis vezes seguidas (foto: HBO/DIVULGAÇÃO)
Com as seis temporadas de Veep, Julia Louis-Dreyfus venceu o Emmy de melhor atriz em comédia por seis vezes seguidas (foto: HBO/DIVULGAÇÃO)

No mundo ficcional da série Veep – que por vezes mais parece o mundo político real –, a campanha para a eleição presidencial dos Estados Unidos de 2020 já dá os seus primeiros passos. A protagonista da história, Selina Meyer, vivida por Julia Louis-Dreyfus, começa a ganhar força na corrida em suas disputas primárias.

O desenvolvimento da campanha vai ser o foco desta que será a sétima e última temporada da série, cujos episódios inéditos estreiam neste domingo (31), na HBO. Os episódios também vão ser disponibilizados, semanalmente, no serviço de streaming do canal, o HBO Go.

A série sempre trabalhou com situações cômicas e exageradas do meio político, que, cada vez mais, foram ficando próximas do mundo real, quando Donald Trump foi eleito presidente dos EUA. O fim, no entanto, não tem a ver com Trump, segundo Louis-Dreyfus, que também produz a série. “A narrativa ditou o fim da série. Pareceu o certo”, disse ela à revista Entertainment Weekly.

O cocriador de Veep David Mandel concorda, mesmo sabendo que a HBO estava disposta a fazer mais temporadas. “Donald Trump não é a razão pela qual estamos terminando Veep”, disse ele à mesma publicação. “Ficou difícil. As coisas que a série se orgulhava de mostrar – erros, mais erros e uma equipe incompetente – são vistos a cada hora agora.”

TRATAMENTO Na pele da terrível política Selina Meyer, Julia Louis-Dreyfus encontrou o papel de sua carreira. Venceu por seis anos seguidos o Emmy de melhor atriz. Mas o seu maior desafio esteve fora das telas. No dia seguinte à sua vitória na premiação em 2017, ela descobriu ter câncer de mama. A atriz, ainda assim, continuou trabalhando na série por um bom tempo, inclusive enquanto estava fazendo quimioterapia. Até que a produção da sexta temporada entrou em hiato no início de 2018.

“Foi estranho, porque meu sistema imunológico estava comprometido. Eu não podia abraçar ou tocar em ninguém. Foi algo muito estranho, porque sou uma pessoa que abraça”, disse. Para a atriz, o elenco se tornou, ao longo desses anos trabalhando juntos, uma espécie de família. A atriz contou que a despedida no set foi emocionante para todos, mas especialmente para Tim Simons, que vive o personagem Jonah Ryan.

“Quando cheguei para a leitura do roteiro do episódio final, entrei e vi Tom Simons sentado e chorando. E nós nem tínhamos começado a ler o roteiro ainda”, disse a atriz no programa de Jimmy Fallon. Para a temporada final, retornam também nomes como Tony Hale, na pele de Gary, o dedicado assistente de Selina; Anna Chlumsky como Amy, o braço direito dela; e Matt Walsh como Mike, seu ex-porta-voz.
Além dos prêmios para Julia, Veep ganhou por três vezes o Emmy de melhor série de comédia, entre 2015 e 2017. (Agência Estado)

Veep
Estreia da sétima temporada
Domingo (31), às 23h40
HBO


Publicidade