Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Excelência no trabalho


postado em 11/03/2019 05:07


A maioria dos profissionais querem alcançar excelência em sua função. Independentemente de sua personalidade, cargo, função ou profissão, todos queremos que nosso trabalho se destaque positivamente. Mesmo aquelas pessoas que não são competitivas, sempre buscam entregar o melhor, por si mesmas, mesmo que com essa atitude não tenham nenhum interesse de almejar cargos mais altos. Claro que existe um grupo de pessoas que simplesmente cumprem o dever. Mas o que leva a pessoa a buscar essa excelência? Por que algumas se destacam mais que outras?

Segundo Luciano Salamacha, professor da Fundação Getulio Vargas e especialista em gestão de carreiras, existe uma escala evolutiva em que “bom” pode ter um posto a mais a ser alcançado e “ótimo” é o estado máximo de desempenho. E onde fica o excelente? Um posto muito alto, inalcançável? Para Salamacha, o “Olimpo das entregas perfeitas” é possível e ele ensina 10 regras para se atingir a excelência.

Em primeiro lugar, cada um deve estabelecer seu próprio padrão de excelência, assim, quando tiver uma entrega excelente, terá algo a se apoiar, em que se espelhar. Cuidado para não estabelecer um padrão muito baixo e nem muito alto, para que não gere acomodação e nem frustração. Outra regra: na dúvida, eleja um nível mais baixo de excelência para alcançar. Assim, quando atinge a meta, um neurotransmissor chamado dopamina manda estímulo para o cérebro com a sensação de recompensa. A mensagem será “sim, eu posso” e você será impulsionado pra tentar novos desafios.

Olhe para o alvo e siga em sua direção. A excelência é seu horizonte, ou seja, uma busca eterna. Esteja sempre em busca da superação. Venda o seu conceito de excelência, deixe as pessoas trabalharem por conceito e não por regra. Luciano explica que conceito justifica o porquê de uma conduta, enquanto a regra determina apenas como se deve fazer. O certo é vencer os princípios do seu grau máximo de qualidade. Assim não engessa os padrões de ninguém em busca da própria excelência.

Não julgue as pessoas à sua volta pelo nível de excelência que elas elegeram. Cada um sabe das suas limitações, agir com soberba pode anular e prejudicar o esforço de cada um pela busca da excelência. Um ponto importante destacado pelo especialista é flexibilizar a excelência conforme sua escalada na empresa, aprender a declinar de seu padrão de excelência para que os outros desenvolvam seus próprios padrões. Não tentar manipular as pessoas à luz do que você chama de excelência. Os colegas e subordinados têm de estar alinhados aos conceitos que você utiliza, mas o grande gestor não é o que engessa as pessoas, e sim aquele que as inspira a evoluírem em busca do melhor resultado.

Ressalva importante: a excelência é o que o outro percebe. Não adianta estar orgulhoso de seu trabalho se ele não for reconhecido pelo cliente. Tudo tem que gerar resultado. O professor destaca também a importância de mudar o percurso se perceber algo errado no caminho traçado, porque os gargalos impedem o alcance da excelência. O profissional deve agir sempre com flexibilidade em sua busca pela excelência.

Nunca abra mão do padrão de excelência para agradar ao cliente. Para se certificar disso, Luciano Salamacha dá três perguntas para se fazer: “Está violando seus valores? Será que essa pessoa/cliente é importante para mim? Lembre-se de que um profissional somente consegue entregar o seu melhor quando a tarefa está alinhada com seus valores pessoais. Em alguns casos, é preciso abrir mão do cliente para manter seus princípios. Sabe qual é o melhor resultado para o seu cliente?”

A última regra do especialista: prepare-se para atingir os resultados que planejou, muita gente está pronta para o trabalho, mas não para colher os frutos do resultado alcançado. É importante manter o equilíbrio entre o que ofertou e o que está entregando. O último conselho de Luciano é que não importa o que cada um faça, sempre devemos trabalhar pelo melhor, porque a busca da excelência é eterna. (Isabela Teixeira da Costa/Interina)


Publicidade