Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Carnaval no Vila da Serra...


postado em 05/03/2019 05:06

Laura Mattar Azevedo Burlamaqui com uma das fantasias mais originais da folia(foto: Fotos: Helvécio Carlos/EM/DA PRESS)
Laura Mattar Azevedo Burlamaqui com uma das fantasias mais originais da folia (foto: Fotos: Helvécio Carlos/EM/DA PRESS)

>>  helveciofigueiredo.mg@diariosassociados.com.br

Carnaval no Vila da Serra...



DUAS EM UMA
PARA CRIANÇAS E ADULTOS

Mesmo com o sol quente na manhã de domingo, papais e filhotes se divertiram no Carna Vilinha, no Vila da Serra. Voltado para a meninada, o evento acabou às 14h. Muito marmanjo foi para casa, deixou lá a criançada e voltou para se esbaldar no Carna Vila. A ideia de dividir a festa em duas foi implantada há três anos por Gustavo Zech em parceria com os amigos Daniel Zago, Leo Ziller, Paco Fazito, Ricardo Natal, Rafa Linhares, Othon Gervásio e Pedro Lobo.

 

 

NA ESCOLA
FOLIA SUSTENTÁVEL

Os alunos do maternal 3 do Colégio Sagrado Coração de Maria fizeram um carnaval criativo: produziram o próprio confete, usando folhas que caíram das mangueiras no pátio da escola. Com furador de papel e acompanhadas por uma professora, as crianças de 3 e 4 anos se divertiram com bolinhas e estrelinhas ecológicas.

CADEIRANTES
INCLUSÃO NA bateria

Doze cadeirantes que integram a Bateria Arredondante, resultado da parceria entre o bloco Quando Come se Lambuza e a cervejaria Skol, foram uma das boas surpresas do carnaval de Belo Horizonte. Jogador de basquete e cadeirante há 12 anos, Eduardo Silva comemorou a iniciativa como uma oportunidade para curtir o carnaval ao lado da mulher e dos filhos. “É muito difícil encontrar projetos de inclusão que nos tratem como iguais, sem nos colocar separados em um espaço qualquer”, elogiou Eduardo.

 

 

 


Publicidade