Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Saúde no carnaval


postado em 01/03/2019 05:10


Atenção foliões de plantão: quem já está na concentração para começar à noite a maratona de carnaval tem que estar ciente de que precisa de tomar alguns cuidados fundamentais para não passar mal e, em vez de curtir a festa que gosta tanto, ficar doente porque se descuidou de atitudes pequenas e tão divulgadas.

Muito se fala sobre cuidados com o sol, alimentação e hidratação no período do carnaval. Mesmo assim, não custa reforçar as recomendações. Com as altas temperaturas na cidade, o grande número de pessoas – além da população local, a previsão é de 5 milhões de visitantes – e o ritmo frenético da folia, o desgaste físico com certeza será bem maior que nos anos anteriores. Sendo assim, todo cuidado é pouco para evitar parar no hospital ou perder a farra.

Não saia de casa sem protetor solar. Não adianta usar o produto em casa e esquecer da vida. Com o sol forte, o protetor precisa ser reforçado a cada duas ou três horas para evitar que você fique que nem um camarão. Use boné ou chapéu. Como é carnaval, um acessório na cabeça pode combinar muito bem com a fantasia e vai ajudar contra o sol.

De acordo com Patrícia Costa Bezerra, coordenadora do curso de nutrição do Centro Universitário IESB, alguns alimentos, como frutas, ajudam a diminuir os efeitos colaterais do álcool e a ressaca. O ideal, nesse período, é fazer refeições mais leves e frequentes, o que ajuda a manter a energia sem excessos, e tomar cuidado com as comidas de rua.

A profissional reforça que o principal deve ser a hidratação, principalmente por causa do forte calor e pelo fato de o carnaval em Belo Horizonte ser ao ar livre. Em seguida, manter a alimentação, comendo menor quantidade e mais vezes ao dia. Pães e massas ajudam a repor a energia e devem ser consumidos com moderação. As proteínas reforçam nossa musculatura e sistema imunológico. As gorduras boas – presentes no azeite e em castanhas – são excelentes fontes de energia também, e os vegetais repõem vitaminas e sais minerais.

Para a professora, os principais vilões são os períodos longos sem refeições. Ficar muito tempo sem comer causa fraqueza, tontura e, em casos mais graves, até desmaios, já que a festa exige bastante energia. O excesso de gordura e frituras também pode trazer mal-estar, principalmente se forem de procedência duvidosa. Observe as condições de armazenamento das comidas. Os foliões devem procurar locais mais seguros para comer e evitar alimentos expostos há muito tempo. É preciso ter um cuidado especial com preparações que levam molhos e cremes, pois elas têm maior risco de contaminação e azedam rapidamente.

Outro fator importante para levar em conta é o consumo de bebidas alcoólicas. Beber demais por muito tempo é perigoso para o corpo. Frutas e líquidos são as ferramentas mais importantes para combater os efeitos colaterais e a ressaca. Patrícia sugere que se aumente a quantidade de água, frutas e sucos de frutas no período, como de melancia, abacaxi, melão e água de coco. Ela destaca que os líquidos consumidos para hidratação não podem conter álcool, já que as bebidas alcoólicas desidratam ainda mais o corpo. (Isabela Teixeira da Costa/Interina)


Publicidade