Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

O encanto da produção

Passeio fascinante pelos corredores de uma fábrica de tecidos


postado em 18/02/2019 05:04

 

 

Ver de perto o processo produtivo de uma fábrica é encantador, mais ainda quando dali saem produtos lindos e delicados como roupa de cama, mesa, banho e tecidos de decoração.


Semana passada, fui a Blumenau, em Santa Catarina, a convite de Jorge Papazoglu, franqueado da Trussardi em Belo Horizonte, e da diretoria da fábrica da Karsten/Trussardi. Conheci o processo de fabricação dos produtos da marca de luxo da empresa, mas, claro, vimos um pouco de tudo. Afinal, jornalista é bicho curioso e não sossega enquanto não confere todos os detalhes.


Se bem que tudo não foi possível, pois a fábrica é gigantesca, com 130 mil metros quadrados. Não tínhamos tempo hábil para passear por toda ela.


Não sabia, mas a Karsten vai completar 137 anos. Fundada em 1882, é a sexta empresa mais longeva do país. Fica em uma região linda, à beira de um rio, pois, na época de sua fundação, a água era a força motora das máquinas. É rodeada pela mata atlântica. Por sinal, em Blumenau fica a maior área preservada de mata atlântica do país.


O imponente casarão que foi a primeira sede da empresa reina absoluto entre as árvores. Em breve, ele se transformará em museu. Próximo dali está a casa no estilo arquitetônico anos 1950/1960, onde mora um dos herdeiros da família Karsten. Tenho de confessar: “invejei” essa pessoa, porque o local onde ela mora é especial.


Cada parte da produção é fascinante. Começamos pela transformação do algodão bruto em fio – de várias espessuras e torções –, usado em tecidos de decoração e toalhas de banho e rosto. Os fardos de algodão ficam de “quarentena” no pátio de uma semana a 10 dias. Trata-se de precaução contra possível foco de incêndio dentro do próprio fardo. Depois começa o trabalho de limpeza, separação e transformação.


Para que a toalha de banho fique mais felpuda, depois de o fio pronto há um processo reverso de destorção. Vale ressaltar: até 2003, a marca era responsável por fabricar toalhas das principais grifes do mundo, em seu setor de private label. Porém, com a entrada da China no mercado, a competitividade ficou difícil. Mesmo assim, todas as toalhas Disney, Kenzo, Missoni, Ralph Lauren e Trousseau são fabricadas lá. O fio produzido na Karsten/Trussardi não é usado em roupas de cama, pois nesse produto só há fios egípcios, importados.


As peças bordadas (roupas de cama, edredons, colchas) são feitas em dois processos, algumas em máquinas e outras manualmente, ou seja, em máquinas, mas sem programação computadorizada. Trata-se de equipamento antigo, no qual a costureira faz o bordado de olho, com sua expertise, sem risco algum. Se o bordado feito na máquina dá problema, a parte danificada é desmanchada e refeita manualmente. Trabalho de muita concentração e delicadeza.


Há 18 anos, a Karsten comprou a fábrica Trussardi e passou a produzir para o mercado de luxo, para as classes AA e AB. Em 2014, um grupo de quatro sócios adquiriu metade da empresa e assumiu a gestão do negócio. Os outros 50% pertencem à família Karsten, que faz parte do conselho, porém não interfere na gestão.


Depois de ver todo o trabalho e o processo de fabricação de cada peça – da criaçã o, desenvolvimento tecnológico ao arremate final, passando por fiação, tinturamento, bordado, costura, entremeios, rendas, tiras e bordados, além da explicação sobre a quantidade de fios por polegada para dar o toque sedoso à roupa de cama –, damos mais valor ainda àqueles produtos. São 1,8 mil funcionários envolvidos. (Isabela Teixeira da Costa/Interina)


Publicidade