Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Helvécio Carlos


postado em 04/02/2019 05:09

O estilista Belizário Cunha faz os ajustes nas fantasias usadas por Maria Helena Cadar nos desfiles do Salgueiro. Abaixo,
O estilista Belizário Cunha faz os ajustes nas fantasias usadas por Maria Helena Cadar nos desfiles do Salgueiro. Abaixo, "Senhora dona da casa", do enredo Do fundo do quintal, saberes e sabores na Sapucaí, que levou o Salgueiro ao segundo lugar em 2015. Do ano anterior (acima), fantasia usada em Gaia, a vida em nossas mãos. Elas fazem parte da mostra De outros carnavais, no hall da PBH. O Concord conversível, do acervo do Museu de Objetos e Carros Antigos, de Jeferson Rios, representa o corso. (foto: Adão de Souza/PBH/Divulgação)




DE OLHO NA FOLIA
MEMÓRIA CARNAVALESCA

A partir de amanhã, parte da história do carnaval de Belo Horizonte poderá ser vista no hall da prefeitura. Lá serão exibidos uniformes das baterias dos blocos caricatos (Bacharéis do Samba, Corsários do Samba, Estivadores do Havaí, Infiltrados do Santa Tereza, Inocentes de Santa Tereza, Invasores do Santo Antônio Mulatos do Samba, Por Acaso, Real Grandeza, Unidos da Zona Norte e Vila Estrela) e fantasias que representam as seis escolas de samba da cidade (Acadêmicos de Venda Nova,  Canto da Alvorada, Cidade Jardim, Imperavi de Ouros, Bem-te-vi e Estrela do Vale). Fantasias de luxo, como as que foram usadas por Maria Helena Cadar no Salgueiro, na qual é destaque há 16 anos, e o Concord conversível representando o corso também estão no acervo. A mostra De outros carnavais, realizada pelo Movimento Gentileza, com apoio da Belotur, ficará aberta para visitação até 1º de março, das 9h às 19h, e nos fins de semana, das 9h às 14h.

QUERMESSE
EDIÇÃO ESPECIAL

Mary Arantes marcou para sábado, das 10h às 19h, e domingo, das 10h às 17h, mais uma edição da sua Quermesse de Carnaval. Para incrementar a criatividade dos foliões que querem fazer bonito na folia, Mary convocou Dercy e Laiê Ateliê, Benedita Acessórios, O Banzo, Ser Imaginário, Moon Eyewear, A Glitterista. A turma do não quero saber de carnaval pode passar por lá também, pois estarão disponíveis opções para a prática de yoga (Om Flows), roupas de banho, cangas e saídas de praia (a Dareia), camisetas bordadas (Mietta e EDD27) e as roupas da Tropika. Outra novidade dessa edição são as tatuagens temporárias e as calçolas divertidas da tatuadora mineira Thereza Nardelli (Zangadas Tatu),  famosa pela frase “Ninguém solta a mão de ninguém”.

NASI
RELIGÕES AFRO-BRASILEIRAS

Enquanto roda o país com a turnê Ira! Folk, que passou sábado pelo Palácio das Artes, Nasi trabalha na produção do documentário Exu, sobre as religiões afro-brasileiras. Com gravações no Brasil, na Nigéria e em alguns países da Europa, o filme tem previsão para ser lançado no início do segundo semestre deste ano.

RECONHECIMENTO
SEIS VEZES UFMG

Pela sexta vez, a Universidade Federal de Minas Gerais recebeu o Selo de Qualidade OAB, reconhecimento pelo desempenho destacado dos alunos da instituição na prova da Ordem dos Advogados do Brasil e no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Ao todo, 162 instituições foram reconhecidas. A UFMG foi reconhecida em todas as seis edições da premiação trienal.


Publicidade