Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Casal usa o divórcio para fugir da bancarrota em 'Mal me quer'

Primeira série brasileira produzida pela Warner Channel estreia na segunda-feira (7), com Júlia Rabello e Felipe Abib vivendo os pais de Klara Castanho


postado em 01/02/2019 05:09

Júlia Rabello e Felipe Abib interpretam os pais de Klara Castanho na série Mal me quer, que estreia na próxima segunda-feira, na Warner Channel(foto: STELLA DE CARVALHO/DIVULGAÇÃO)
Júlia Rabello e Felipe Abib interpretam os pais de Klara Castanho na série Mal me quer, que estreia na próxima segunda-feira, na Warner Channel (foto: STELLA DE CARVALHO/DIVULGAÇÃO)

 

Um divórcio pode ser a solução para os seus problemas. É esse o mote de Mal me quer, primeira série nacional de comédia da Warner Channel. Coproduzida pela Boutique Filmes, o sitcom, com seis episódios de meia hora cada um, estreia na próxima segunda-feira (7).

Dois nomes que vieram do Porta dos Fundos encabeçam o projeto: a atriz Júlia Rabello, que deixou o coletivo de humor em 2015, é a protagonista; Ian SBF, um dos fundadores do Porta (e ainda um de seus cabeças), assina a direção. Completando o elenco estão Felipe Abib, Klara Castanho, Lipe Volpato e Chiara Scalett.

Os cinco formam uma família como outras tantas. O agente de viagens Marcel (Abib) está com a dentista Olívia (Júlia) há pelo menos 20 anos. Vivem numa casa confortável com os três filhos, todos adolescentes: Malu (Klara), a mais velha, está no auge da crise e só pensa em se ver livre dos irmãos e dos pais. JP (Volpato) é o filho do meio, um garoto meio folgado, e Bruna (Chiara) a caçula, meio nerd.

Já na sequência inicial, o casal, que se dá muito bem, descobre que está quebrado. Desligado, Marcel assinou uma série de documentos e acabou sendo passado para trás por seu contador. Conversando com um advogado, os dois recebem um conselho categórico: o melhor a fazer é se divorciar, passar o patrimônio que a família tem para o nome de Olívia e, assim, garantir a sobrevida da família.

TRAMOIA Para que tudo corra bem, o casal deve passar por um divórcio litigioso. Marcel e Olívia, num primeiro momento, acreditam que a tramoia não vai atrapalhar a vida do casal. Doce ilusão. Logo os problemas começam e o divórcio – pelo menos é o que o capítulo inicial sugere – vai parecer de verdade.

Aos 18 anos, Klara Castanho está voltando a fazer séries depois de uma temporada dedicada a novelas e filmes. A atriz estreou na TV aos 5 com a extinta Mothern (2006), que teve três temporadas no GNT. “São frentes muito diferentes. A novela é um processo muito longo, no cinema você já mostra começo, meio e fim do personagem. Nesta série, como é curta, você pode considerar como um filme”, diz ela.

A atriz ressalta que a personagem Manu é muito diferente dela. “O maior sonho dela é sua independência da família e o intercâmbio na Austrália. Para ela, é desesperador imaginar que não pode ir. Estou me mudando para o Rio (ela vive em São Paulo) por conta de trabalho, mas de maneira alguma é porque queira ficar longe da família. Brincar com isso (na série) é muito bom, pois é uma história que parece muito real.”

Quando Klara entrou para o projeto, selecionada em teste, só o nome de Júlia estava confirmado. “Os personagens foram mudando muito. No início, era para eu ser a mais nova dos filhos. Quando mudaram a história, fiquei sendo a mais velha”, conta a atriz, que nunca havia trabalhado com ninguém desse elenco. “A expectativa de todo mundo é que o público queira uma segunda temporada, já que Mal me quer conta uma história que traz várias possibilidades”, afirma.

 

MAL ME QUER
A série estreia na segunda (7), às 19h35,
na Warner Channel


Publicidade