Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Anna Marina: Manchas no rosto durante o verão exigem cuidados especiais


postado em 25/01/2019 05:07


Mulher sofre muito mais do que o homem com algumas coisas. Para começar, temos a menstruação, que, além de ser desagradável, costuma vir acompanhada de fortes dores. Muitas mulheres têm tensão pré-menstrual, enquanto outras enfrentam a tensão pós-menstrual. No quesito cuidados rotineiros, há a depilação de pernas, axilas, virilha e buço, além do hábito de pinçar sobrancelhas e pintar o cabelo. E, ainda, vamos à manicure para ficar com mãos e pés bem-arrumados. Ufa!

Alguém pode dizer: isso não é obrigatório, faz quem quer e porque quer. Sim, pura verdade. As mulheres foram ensinadas assim, fazemos por uma questão de criação, aprendemos que devemos ter esse tipo de vaidade, asseio, higiene, cuidado. Cada um pode chamar como quiser.

Fato é que todo mundo se espanta se chegar uma mulher com “bigode”, perna cabeluda, mãos sem fazer e um tufo de cabelos debaixo do braço. Pensam que se trata de uma pessoa “porca” e saem falando mal – pelas costas, claro.

E o cabelo branco? Homem grisalho é charmoso, já a mulher é desleixada. É um suplício, pois tem que pintar a cada 15 dias. De uns anos pra cá, várias delas estão assumindo o grisalho e o branco. Fica lindo, desde que bem cuidado. Mesmo assim, não há como negar: cabelos brancos dão uma aparência mais envelhecida.

Para completar, fomos premiadas com as manchas escuras e desagradáveis no rosto, geralmente próximas às maçãs e na testa. São muito comuns na gravidez e menopausa, pois estão intimamente ligadas às alterações hormonais, que irritam os melanócitos. Esse processo é o motivo de áreas mais escuras em determinadas partes do rosto.

Chamada melasma, a mancha pode ser provocada também pela exposição ao sol. É frequente em outras áreas do corpo, como braços e colo. O tratamento não é nada fácil. Existem diversos cremes clareadores, como a hidroquinona ou tretinoina, ou procedimentos estéticos como laser, peeling químico ou microagulhamento, orientados por dermatologistas. Porém, qualquer exposição ao sol traz a mancha de volta.

Um grande perigo são as infinitas receitas caseiras para clarear a pele disponíveis na internet, com pessoas testemunhando que “funcionam” mesmo. A maioria delas à base de bicarbonato de sódio, que pode queimar a pele. Cuidado.

A especialista em estética Mariane de Chiara explica que é comum o aumento ou o surgimento de manchas no verão, por causa da maior incidência da radiação solar. Isso é mais frequente em mulheres de 25 a 40 anos – apenas 10% dos casos ocorrem em homens.

“O melasma nada mais é do que a concentração excessiva de melanina, pigmento que dá cor à pele”, observa Mariane. O surgimento das manchas pode ser consequência do uso de anticoncepcionais ou outros medicamentos. Outro fator é a predisposição genética. “Mesmo no caso da pessoa que já tratou a doença, uma pequena quantidade de luz solar pode fazer com que o melasma retorne”, alerta a especialista.

É de extrema importância usar protetor solar várias vezes ao dia. Melasma não tem cura, mas há bons tratamentos, com ótima amenização das manchas. Cada caso deve ser avaliado pelo dermatologista. (Isabela Teixeira da Costa/Interina)


Publicidade