Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Brasil tem chance na disputa para o Oscar; lista de indicados sai nesta terça

O representante tupiniquim pode ser o longa de animação Tito e os pássaros


postado em 22/01/2019 05:04

Cena de Tito e os pássaros, que está entre os nove pré-selecionados para a disputa pela estatueta de longa de animação (foto: EUROPA FILMES/DIVULGAÇÃO)
Cena de Tito e os pássaros, que está entre os nove pré-selecionados para a disputa pela estatueta de longa de animação (foto: EUROPA FILMES/DIVULGAÇÃO)


O prêmio do Sindicato dos Produtores de Hollywood, conhecido como PGA, teve até hoje 30 edições. Nas 29 anteriores, o vencedor desse prêmio coincidiu com o ganhador do Oscar 20 vezes. Por isso, a vitória de Green book – O guia, no PGA, ocorrida na noite de domingo (20), foi vista como um indício de que o longa de Peter Farrelly é o favorito ao Oscar.

As indicações dos concorrentes nas 24 categorias da 91º edição do prêmio máximo do cinema sairão nesta terça (22) – a transmissão será a partir das 11h20, com os atores Kumail Nanjiani (Doentes de amor) e Tracee Ellis Ross (Black-ish) fazendo as vezes de mestres de cerimônia. A cerimônia, em si,  em 24 de fevereiro, não deverá ter um apresentador, já que o ator Kevin Hart desistiu do posto, depois que o anúncio de sua escolha gerou uma onda de críticas a antigos comentários de cunho homofóbico feitos por ele nas redes sociais.

Com estreia prevista para esta quinta-feira (24) nos cinemas brasileiros, Green book – O guia é uma comédia dramática sobre direitos civis estrelada por Mahershala Ali e Viggo Mortensen. Narra a improvável amizade entre Don Shirley, um virtuoso do piano, e seu motorista, Tony Lip, durante um turnê pelo Sul dos Estados Unidos da década de 1960, anos de forte segregação racial. Os personagens são reais, embora a família de Shirley diga que a amizade é fantasiosa. O roteirista do filme, Nick Vallelonga, é filho de Tony Lip.

Além da discordância da família do biografado, o filme acumula outros pontos de polêmica, o que pode atrapalhar sua campanha no Oscar. Farrelly esteve na berlinda no início de janeiro, depois que vários jornais publicaram seu hábito de mostrar o pênis de brincadeira em 1998. Já Vallelonga teve que pedir desculpas públicas por causa de um tuíte contra muçulmanos, de 2015. Mahershala Ali, a estrela do filme, é muçulmana.

PÁREO

Única categoria que aceita mais do que cinco candidatos, a de melhor filme deverá ter no páreo, além de Green book, Infiltrado na Klan, Pantera Negra, Bohemian Rhapsody (que pode ter suas chances também prejudicadas graças à ausência de seu diretor, Bryan Singer, que abandonou as filmagens duas semanas antes de terminar o filme), A favorita (campeão de indicações ao Bafta, o Oscar britânico), Nasce uma estrela e Vice.

Roma, a produção mexicana de Alfonso Cuarón para a Netflix, também poderá conseguir uma indicação. Dado como indicação certa ao Oscar de filme estrangeiro, o filme é alvo de uma intensa campanha da Netflix por um recorde de indicações para a empresa de streaming no prêmio mais importante da indústria do cinema. De acordo com o New York Times, a plataforma gastou entre US$ 10 milhões (R$ 37,48 milhões) e US$ 20 milhões (R$ 74,96 milhões) para conseguir emplacar a produção em várias categorias: filme, filme estrangeiro, direção, roteiro, fotografia e atriz.

Cuarón, que tem levado quase todos os prêmios de melhor diretor, deverá ter como colegas na categoria (caso a Netflix seja bem-sucedida em sua campanha) Bradley Cooper (Nasce uma estrela), Spike Lee (Infiltrado na Klan), Adam McKay (Vice) e Barry Jenkins (Se a Rua Beale falasse). Há apostas, no entanto, no polonês Pawel Pawlikowaki (vencedor do Oscar de filme estrangeiro por Ida) pelo filme Guerra fria, que também teve ter hoje uma vaga confirmada entre os cinco concorrentes a melhor filme estrangeiro.

Nas categorias de atores alguns nomes são dados como certos. Na de melhor atriz, Glenn Close (que vem arrebatando vários troféus por A esposa) deverá receber sua sétima indicação ao Oscar. Novata na categoria, Lady Gaga também tem chances de disputar com Nasce uma estrela. Bem cotadas ainda estão Yalitza Aparicio (Roma), Olivia Colman (A favorita) e Melissa McCarthy (Poderia me perdoar?).

Na categoria de melhor ator, a disputa deverá ser entre Christian Bale (Vice), Bradley Cooper (Nasce uma estrela), Rami Malek (Bohemian Rhapsody), Viggo Mortensen (Green book) e Willem Dafoe (No portal da eternidade).

Entre os coadjuvantes, os atores mais prováveis na lista são Mahershala Ali (Green book), Timothée Chalamet (Querido menino), Adam Driver (Infiltrado na Klan), Sam Elliott (Nasce uma entrela) e Richard E. Grant (Poderia me perdoar?). Já entre as atrizes, os nomes mais cogitados são os de Amy Adams (Vice), Emma Stone e Rachel Weisz (ambas por A favorita), Regina King (Se a Rua Beale falasse) e Emily Blunt (Um lugar silencioso).

BRASIL

Preterido na corrida de melhor filme estrangeiro com o aspirante Grande Circo Místico, de Cacá Diegues, que não ficou entre os nove pré-selecionados, o Brasil tem uma chance de entrar na disputa pelo Oscar. A animação Tito e os pássaros, de Gustavo Steinberg, André Catoto e Gabriel Bitar, é um dos 25 longas do gênero pré-indicados nessa categoria. Em entrevista neste mês ao Estado de Minas, Steinberg, que assina sua primeira animação, disse achar improvável seu filme estar entre os cinco. “Este ano está particularmente difícil, pois tem muito filme de estúdio, grande e bom. Para a gente, chegar até aqui foi tipo ‘uau!’”, afirmou. Fato é que, nessa categoria, dificilmente alguém tirará a estatueta da superprodução Homem-aranha no Aranhaverso, que tem um reconhecimento de público e crítica semelhante ao de Viva! A vida é uma festa, o vencedor do ano passado.

OSCAR 2019
As indicações da 91ª edição do prêmio serão anunciadas nesta terça (22), a partir das 11h20. O site www.Oscar.com, o canal do YouTube e a página do Facebook da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood farão a transmissão ao vivo.


Publicidade