Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Por um copo d'água


postado em 04/01/2019 05:03



Custamos a chegar no estágio tão comum nos países europeus: uma garrafinha de água quase sempre está disponível na mão ou na mochila das pessoas. A importância da hidratação chegou antes por lá, apesar de morarmos em um país tropical. A explicação é simples: os meses de inverno são também bem secos. E a falta de hidratação pode prejudicar o organismo e a longo prazo resultar em problemas de saúde. Agora, por exemplo, com esse calorão das últimas semanas, aumentar a ingestão de líquidos é absolutamente necessário. A recomendação pouco seguida é de consumo em média de dois litros por dia – de´água, principalmente. É claro que é possível variar com outros líquidos, como água de coco, sucos naturais – e, se possível, evitando refrigerantes e, principalmente, os sucos em pó, que são cheios de conservantes e aditivos químicos.

O organismo pode perder água na forma de urina, parte das fezes e pela transpiração, muito frequente nesse período por conta do calor. E a sensação de sede muito forte aparece sempre quando a pessoa já está desidratada – principalmente em crianças e idosos, cujo mecanismo de sede é mais sensível a estas perdas. A sede é o principal sintoma da desidratação, mas também pode ser percebida quando a boca fica seca, a pele ressecada, olhos aparentemente fundos, tontura e enjoo. Quando isso ocorre, a hidratação do organismo deve ser feita com água, soro, água de coco, bebidas isotônicas, sopas, sucos e chás. O que poucas pessoas sabem é que por meio da urina é possível verificar o estado de hidratação que assim pode ser monitorado diariamente. As diferentes tonalidades indicam se o indivíduo está mais ou menos hidratado. Quanto mais clara e transparente estiver a urina, melhor hidratado se encontra o organismo.

Fique atento às cores e seus sinais: a urina bem clara pode indicar que a água esteja sendo tomada em excesso. E, ao contrário do que se pensa, a ingestão exagerada de líquidos também pode ser um problema, pois sobrecarrega os rins e traz à perda de sais, inchaço, sonolência e mal-estar. Repare nas cores: amarelo-claro é a cor ideal; amarelo-escuro: considerado normal, porém é um sinal de que precisa ingerir mais água; âmbar ou mel: esse é um sinal de desidratação. É importante beber mais água. Laranja: pode indicar falta de água ou pigmentos de comida. Se persistir, pode ser problemas de fígado ou na vesícula. É importante consultar um médico e realizar exame para descartar qualquer problema. Urina com espuma ou efervescente: se for persistente, indica o excesso de proteína ou algum problema renal, é bom consultar um nefrologista. Rosa ou avermelhada: se for persistente, pode indicar problemas no fígado, rim, próstata, infecção ou ainda um tumor; acastanhada: indica desidratação severa ou problemas de fígado; azulada ou esverdeada: pode ser de comida, medicação ou, ainda, infecção bacteriana.

Além de ajudar na diminuição de sensação de fome, a água melhora a circulação sanguínea, a disposição, auxilia no funcionamento do intestino e contribui com a saúde dos cabelos e da pele, entre outros benefícios. O cuidado com a qualidade da água ingerida também merece atenção, pois muitas vezes a ingestão de líquido contaminado pode resultar em doenças, como a leptospirose. Para evitar que isso ocorra, consuma somente água filtrada ou fervida, tanto para o preparo dos alimentos quanto para ingestão. Água de qualidade é incolor e não apresenta cheiro nem gosto. A água é a principal fonte de hidratação, mas também se pode optar por sucos, leites, frutas, verduras e legumes que contêm água na composição. Frutas como melão e melancia têm quase 90% de água e fornecem boa parte da necessidade hídrica do corpo. Já as verduras e legumes são ricos em água e sais minerais, sendo ótimas opções de refeições que combinam com esta estação.

Refrigerantes e sucos artificiais não devem ser substituídos pela água na hora da hidratação. São bebidas que contêm uma quantidade considerável de açúcar e ausência de nutrientes essenciais, além do excesso de sódio e a presença de corantes. O consumo de bebidas artificiais, somado a outros hábitos inadequados, pode contribuir para doenças, como diabetes e obesidade. Para evitar a desidratação, faça como os europeus, leve sempre com você uma garrafinha de água.


Publicidade