Continue lendo os seus conteúdos favoritos.
Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Você conhecia o salário dos cubanos?


postado em 22/11/2018 05:10


Ao longo dos anos fui perdendo totalmente o interesse pelo mundo político para defender ou para acusar. Longe vai o tempo em que gastei colunas defendendo Fernando Collor, foram tantas que ele acabou vindo me visitar aqui na capital, ganhando um jantar na casa de Ildeu Koscky. Tinha interesse pelo que acontecia, por curiosidade humana e também por saber o que ocorria no país. Quando a Lava-Jato derramou toda aquela sujeira no nosso cotidiano, comecei interessada no assunto, depois fui me cansando de tanta igualdade e tão pouca cobrança. O dinheiro desviado é devolvido – quando é – em parcas somas, o grosso mesmo sumiu, ninguém sabe, ninguém viu. O certo é que jamais imaginei que um só partido político, no caso o PT, pudesse criar uma cultura nova para o povo brasileiro, que foi aceitando tudo e só agora, felizmente, dando o troco. A insensibilização foi como uma doença perniciosa, que apagou princípios, transformou a honestidade em tolice de pessoas sem inteligência, os princípios morais como velharia ou, pior ainda, burrice, falta de coragem.

Ao longo de minha vida, que não é de pouco tempo, já vi de tudo, já presenciei fatos jamais revelados,  mas nunca na magnitude dos últimos tempos. Animei-me a voltar levemente ao tema depois que o presidente eleito Bolsonaro resolveu detonar de vez essa história de médicos recrutados em Cuba. Depois que soube que eles ficavam apenas com 25% de seus salários, fato nunca esclarecido, foi que deu para perceber todo o horror que nos acontecia, o governo mandando dinheiro de nossos impostos, de nossa suada economia, para sustentar a ditadura cubana. E, ao lado desse absurdo, ocorria outro pior: qual é a quantidade de médicos brasileiros que estão desempregados? Terminado o curso, poucos, muito poucos é que conseguem trabalhar em hospitais, clínicas ou abrir consultórios.

O SUS não é segredo para ninguém, é quase um sonho impossível de atendimento de saúde, um dos casos mais comuns é sem dúvida o que se refere à constatação de câncer em mulheres que precisam de atendimento rápido, como o tumor de mama. Já presenciei caso próximo que tive que resolver, da constatação de um tumor de mama que só poderia ser tratado meses e meses depois – quer dizer, quando não houvesse mais possibilidade de cura. Enquanto isso, nosso suado dinheirinho arrecadado com impostos sendo mandado para Cuba. Dá para aceitar? O governo atual, correndo contra a corrente, resolveu lançar um rápido recrutamento de médicos nacionais para cobrir os lugares deixados vagos pelos cubanos. Só falta agora aparecer um artista regulando os salários dos futuros contratados nacionais – que por direito e justiça devem receber não apenas só os 25% dos médicos cubanos, mas também os 75% que completam o salário no total.

Quando levamos esse assunto para casos concretos, a realidade fica muito pior. Só para voltar a um assunto no meu “terreiro”: o atual prefeito de Santa Luzia anunciou, há uns dois meses, que iria reabrir o Hospital São João de Deus no mês seguinte. Não conseguiu, porque não tem grana suficiente para pagar médicos e retomar um projeto que existia na cidade desde os tempos do Império. Mais exatamente em 1845, quando foi aberto pela baronesa Maria Alexandrina de Almeida Vianna. O hospital funcionou até há bem poucos anos, quando foi fechado por falta de dinheiro. Dinheiro que, certamente, deve fazer parte do que o governo brasileiro manda todos os anos para Cuba, por obra e graça do programa criado por Dilma Rousseff, outra que perdeu o bonde na última eleição. Mas nem precisava ser eleita senadora, porque tem salário de ex-presidente. Precisa mais?


Publicidade