Publicidade

Estado de Minas DIÁSTASE ABDOMINAL

Entenda o que causou as marcas na barriga da influenciadora na gravidez

Imagens compartilhadas por Michella repercutiram nas redes sociais; antes da gestação dos trigêmeos, ela já falava em autoimagem, aceitação e preconceito


21/01/2022 15:46 - atualizado 21/01/2022 16:05

Mulher grávida
Michella usa a conta dela no Instagram para abordar o tema, falar em autoimagem, aceitação e preconceito (foto: Reprodução Instagram)
A influenciadora digital dinamarquesa Michella Meier-Morsi chamou a atenção nas redes sociais com fotos da barriga ao longo da gravidez. Grávida de trigêmeos, ela teve distensão abdominal, também chamada de diástase. O assunto ganhou mais repercussão nos últimos dias, após o nascimento de Charles, Theodore e Gabriel.

Para além da estética, o caso de Michella traz uma discussão muito mais ampla. A diástase abdominal ocorre quando os músculos no meio do abdômen se separam muito.

“No abdômen existe o músculo reto abdominal que possui dois ventres, do lado direto e esquerdo. Com o aumento da pressão intra abdominal eles se separam, causando esse efeito da foto da blogueira”, explica a ginecologista e obstetra na Clínica Binder e em diversos hospitais de Divinópolis, Fabiana Valério Binder.

Como causas, a médica cita a distensão do abdômen, idade avançada e gestações principalmente de bebês grandes e múltiplos.

“Neste caso, por ela já ter tido uma gestação anterior de gêmeos, e agora uma gestação de trigêmeos, contribuiu ainda mais com o afastamento muscular”, esclarece.

Embora o assunto tenha repercutido muito mais em razão da “aparência”, o tema também deveria ser abordado pelas questões de saúde.

“A integridade do músculo abdominal é muito importante para a estabilidade da coluna, sustentação dos órgãos abdominais, como o intestino, e também nos movimentos respiratórios”, alerta Fabiana. 

Existem alguns tratamentos que podem ajudar a minimizar os impactos ao longo da gravidez.

“Para tentar evitar que a diástase ocorra, os exercícios físicos e a fisioterapia durante a gestação são grandes aliados”, orienta. No pós-parto há a mesma recomendação. 

“Algumas diástases, principalmente as menores, melhoram com auxílio de atividade física e fisioterapia, porém, algumas podem necessitar de correção cirúrgica”.

Fabiana Valério
Fabiana Valério, obstetra: 'Para tentar evitar que a diástase ocorra, os exercícios físicos e a fisioterapia durante a gestação são grandes aliados' (foto: Arquivo Pessoal)


Sem julgamentos

O tema levantado pela blogueira desperta também reflexões. 

“A gestação é um sonho e um momento especial na vida de muitas mulheres – por vezes, trata-se da maior experiência já vivenciada pelas mulheres. Será que este sonho deve ser adiado ou até esquecido pelo julgamento de outras pessoas, em cima de questões meramente estéticas?”, indaga a obstetra lançando uma reflexão.


 
Com 250 mil seguidores, antes mesmo da gestão dos trigêmeos, Michella já usava a conta para falar sobre autoimagem, aceitação, preconceitos mas também sobre o impacto da diástase da gravidez anterior.

“Quando penso em quão duro ele (corpo) lutou, quão grande ele se apresentou e quanto foi exposto, fico realmente impressionada (...) O corpo feminino é realmente uma ferramenta impressionante”, afirmou em uma das postagens feitas.

Hoje, mãe de cinco filhos, as marcas da influenciadora são o retrato da realidade de várias mulheres. 

*Amanda Quintiliano - Especial para o EM


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade