Publicidade

Estado de Minas CONTA-GOTAS

Crises de bruxismo


postado em 26/04/2020 04:00


O cenário atual da pandemia de COVID-19 pode despertar diversos sentimentos e sensações. Por isso, durante a quarentena, as crises de bruxismo, possivelmente relacionadas a fatores genéticos, situações de estresse, tensão e ansiedade, podem aumentar. Adriana Lira, membro da Sociedade Brasileira de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial, indica alguns tratamentos paliativos para alívio das dores. "Meditação, técnicas de relaxamento e atividade física ajudam a aliviar quadros dolorosos que podem acompanhar a DTM. Já para o bruxismo em vigília, o paciente pode lançar mão de técnicas recordatórias para relaxar os músculos, que podem ser adesivos, bilhetes ou aplicativos desenvolvidos com essa finalidade."


Descanso para os olhos
 
(foto: Pixabay )
(foto: Pixabay )
 
Trabalhar de casa é uma das saídas para diminuir o contágio do novo coronavírus. Porém, o hábito de passar muitas horas à frente da tela do computador, do celular ou da televisão pode prejudicar, já que o excesso no uso desses aparelhos contribui para grande parte do cansaço visual. No entanto, é possível aliviar o estresse e a tensão acumulados na região dos olhos com exercícios. As Óticas Diniz recomendam alguns exercícios que podem ser realizados todos os dias ou, pelo menos, uma vez por semana e em qualquer lugar ou época do ano:

» Fortalecendo as pálpebras: cerre os olhos parcialmente, cobrindo apenas metade da visão. Faça o movimento por 15 segundos e descanse fechando os olhos. Depois, repita o exercício por mais um minuto.

»Para todas as direções: sem forçar, olhe para todas as direções por 10 segundos, repetindo o exercício por mais três vezes para relaxar a tensão da região.

» Abrir e fechar: abra e feche os olhos, mantendo cada movimento por alguns segundos, por oito vezes.






Cartilha virtual
 
(foto: Instituto Vidas Raras (IVC)/Divulgação)
(foto: Instituto Vidas Raras (IVC)/Divulgação)
Cartilha informativa com uma série de recomendações para quem sofre com algum tipo de doença rara. Intitulado Orientações gerais sobre os cuidados direcionados para pessoas com doenças raras e seus cuidadores na pandemia de coronavírus, o documento foi desenvolvido pelo Instituto Vidas Raras (IVR), referência no tema desde 2001, em parceria com diversos especialistas, e aborda as principais dúvidas relacionadas ao tema. Além disso, traz informações sobre o contágio, protocolos de higiene e proteção, cuidados de convivência e dicas para cuidar da saúde emocional.
O documento está disponível, gratuitamente, no site do IVR: www.vidasraras.org.br.


Autocuidado na quarentena
Realizar ações direcionadas a si mesmo pode regular o funcionamento integrado e o bem-estar. E, em tempos de pandemia, isso pode ser ainda mais benéfico. “Manter-se independente em relação ao mundo exterior não é um exercício de solidão, mas uma prática social. Precisamos nos fortalecer e neste momento o distanciamento é o maior ato de união e pensamento no próximo e em você mesmo”, diz Rosely Cordon, professora pesquisadora do projeto Mapas de Evidências Aplicação Clínica das Práticas Integrativas em Saúde OPAS/OMS. Celular e TV devem ser evitados próximo da hora de dormir para que o sono seja realmente restaurador. Exercícios físicos diários, bons hábitos de higiene corporal e bucal, organização da casa, cozinhar uma refeição nutritiva, aguçar o olfato e tomar um banho relaxante são algumas atitudes de autocuidado físico que aguçam os cinco sentidos, que contribuem com o bem-estar. Além disso, é preciso cuidar do lado emocional, com meditações ou atividades de relaxamento.


Ioga on-line
Em tempos de pandemia do novo coronavírus, a escola de ioga Ponto de Equilíbrio compartilha o mais novo método de praticar ioga. A mestra Maria José Marinho, que há mais de 58 anos vem ensinando ioga como filosofia de vida, equilíbrio físico e mental, como a ciência da saúde perfeita, está lançando aulas semanais on-line, monitoradas por professor, possibilitando interação total do aluno. Para participar, basta entrar em contato pelo WhatsApp (31) 99145-7178 ou adquirir suas aulas pelo site www.pontoequilibrio.com.br.


Coronavírus x gravidez
(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

O especialista em ginecologia e obstetrícia Arnaldo Cambiaghi, responsável técnico do Centro de Reprodução Humana do IPGO, responde a algumas dúvidas sobre gravidez e coronavírus:

» Ser infectada com a COVID-19 aumenta o risco de aborto 
espontâneo ou outras complicações? 
O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas observou que mulheres grávidas, infectadas pela COVID-19, podem ter risco maior de complicações, como parto prematuro. No entanto, esses dados são extremamente limitados e a infecção pode não ser a causa direta do nascimento prematuro.

» Deve-se dar continuidade ao pré-natal? 
Visitas pré-natais são importantes para garantir a saúde materna e fetal. O recomendado é que as mulheres conversem com o obstetra sobre o pré-natal e continuem a comparecer às consultas, desde que o médico julgue apropriado.

» Se testar positivo para COVID-19, a amamentação 
do bebê pode ser feita normalmente? 
Atualmente, não há evidências do vírus no leite materno. Dado que ele se espalha por gotículas respiratórias, as mães devem lavar as mãos e considerar o uso de uma máscara facial para minimizar a exposição dos bebês ao vírus.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade