Publicidade

Estado de Minas ESTÉTICA

Sinais do tempo

Com a longevidade, muita gente busca procedimentos clínicos e cirúrgicos que minimizam as marcas do envelhecimento


postado em 22/12/2019 04:00

A aposentada Miriam Lise, de 71 anos, recorreu ao cirurgião-dentista Adriano Rafael para a colocação de lentes de contato dentais(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
A aposentada Miriam Lise, de 71 anos, recorreu ao cirurgião-dentista Adriano Rafael para a colocação de lentes de contato dentais (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)


A terceira idade está mesmo mais vaidosa. Ao lado do aumento da expectativa de vida, surge a vontade de se manter bem fisicamente, o que inclui disfarçar os sinais do envelhecimento. É o que esclarece o biomédico especializado em harmonização facial e corporal Thiago Martins. “Por isso, normalmente são procurados mais procedimentos faciais (rosto, pescoço e colo, e mãos), que visam à reposição de colágeno, sustentação e recuperação do volume da face. “Nesse contexto, a aplicação de toxina botulínica, preenchimento com ácido hialurônico e bleflaroplastia não cirúrgicas são alguns dos procedimentos mais solicitados”, explica. O profissional diz que as pacientes que procuram esses procedimentos estéticos são as que gostam de estar bem consigo mesmas, se olhar no espelho e ficar satisfeitas com a imagem que veem. E isso passa por uma melhora substancial da autoestima.
 
“Quando se chega na casa dos 60 anos tudo muda, inclusive valores. Quando estamos bem com a gente mesmo, falando de autoestima e bem-estar, tudo à nossa volta melhora. Principalmente a forma como nos relacionamos com os outros, pois nos sentimos mais confiantes”, acrescenta. Thiago salienta que, no que diz respeito a cirurgias plásticas, é recomendado ter uma avaliação de profissional capacitado. “Em todo caso, o tipo de procedimento indicado – invasivo/cirúrgico ou não cirúrgico – dependerá de cada fase e da necessidade de cada paciente. O profissional deve inclusive demonstrar e explicar para o paciente que os resultados do tratamento poderão variar de pessoa para pessoa”, diz.
 
No fim das contas, o equilíbrio é alcançado com hábitos saudáveis. “Alimentação, ingestão de muita água, atividade física regular, dormir bem e, claro, o uso de produtos home care (como hidratantes, protetores, entre outros) diariamente”, continua o biomédico.
 
No segmento da dermatologia, entre os métodos não cirúrgicos mais procurados está o MD Codes, protocolo médico que devolve o contorno facial, promove o reequilíbrio das proporções do rosto, recupera o volume perdido ao longo da vida aos pontos certos e traz um aspecto mais jovial e descansado à expressão facial e à pele, conforme informa Lucas Miranda, médico dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

SAÚDE DA BOCA A população que chega hoje à terceira idade está preocupada não só com a estética facial e corporal, mas também com a saúde da boca e o resgate do sorriso. O cirurgião-dentista Adriano Rafael conta que pacientes idosos que chegam até seu consultório com o desejo de rejuvenescer o sorriso realizam, principalmente, a colocação de lentes de contato dental, implantes, coroa sobre implante, levantamento de seios maxilares e, em alguns casos, o enxerto ósseo. 
 
“Sabemos o quanto o sorriso tem impacto na vida das pessoas. Existem pesquisas que apontam isso. Muita gente, ao longo da vida, acaba se descuidando da saúde bucal e tem, na terceira idade, como resultado, dentes desgastados, cariados e, muitas vezes, com diagnósticos negativos. Parece bobagem, mas o incômodo é tão grande que vários dos meus pacientes relatam deixar de sorrir por anos e evitar encontros com amigos e familiares para não ter de esboçar um sorriso desfalcado ou esteticamente prejudicado.”
 
Ao transformar os dentes, o profissional diz que a mudança vai além do sorriso – a vida toda se transforma. “Após os tratamentos, as pessoas tendem a cuidar mais do corpo, da pele, do cabelo, da maneira como se vestem. Muitos que estavam em processo depressivo ou de ansiedade, melhoram também a mente”, enfatiza. 
 
A forma como as pessoas têm chegado nesse período da vida mudou muito, continua Adriano. Hoje, estão mais ativas, preocupadas com o envelhecer bem, com mais saúde, disposição, vitalidade, beleza e autoestima. “Estão também mais conectadas com o que as novidades tecnológicas na área da saúde podem contribuir para se sentirem cada vez melhores consigo mesmas.” É importante entender que é um processo de transformação benéfico em relação à forma como se encara a velhice, mas sem tentar virar outra pessoa. “Os limites devem existir no sentido de que todos nós estamos envelhecendo. Não adianta fazer milhões de procedimentos cirúrgicos faciais, corporais e bucais para tentar aparentar a época em que tínhamos 20 anos.”

APARÊNCIA O sorriso amarelado era um grande incômodo para a empresária aposentada Miriam Lise, de 71 anos. Há um ano, ela perdeu o marido e entrou em um quadro de autoestima baixa. A aparência acabou interferindo negativamente nessa situação. “Sempre fui atenta quanto à aparência, principalmente a higiene da boca. Mas em todas as fotos achava que não ficava bem por causa dos dentes. Não sorria com espontaneidade e não estava satisfeita. A minha vida inteira foi assim”, lembra.
 
Ela recorreu a Adriano Rafael e realizou o tratamento, a partir de setembro deste ano, com a colocação de lentes de contato dentais. “Brinquei com o médico que, se rejuvenescesse meu sorriso em um segundo já estava bom. Rejuvenesceu 10 anos. O resultado foi espetacular”, comemora, ela que agora voltou a sair para se divertir com as amigas. “Melhorou a autoestima, sinto-me bem comigo mesma e meu sorriso está bem mais bonito.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade