Publicidade

Estado de Minas

conta-gotas


postado em 15/12/2019 04:00

(foto: Bel Diniz/Divulgação)
(foto: Bel Diniz/Divulgação)

Mitos e Verdades 
da depilação masculina


Quando o assunto é depilação masculina, mitos e tabus são muito comuns. Ricardo Triano, professor de depilação e embaixador oficial da Depil Homme, elaborou algumas questões para esclarecer as principais dúvidas.

Depilação com cera não é permitida na região íntima/peniana?
Mito. Cera é permitido sim, e muito utilizada para depilação íntima masculina. Dê preferência à cera quente, pois a temperatura auxilia na dilatação dos poros, facilitando a saída dos pelos.

Depilar exige preparo da pele? Depois da depilação é preciso 
uma rotina de cuidados específicos?
Verdade. Em uma pele hidratada os pelos são removidos com muito mais facilidade. É recomendado, em média, três dias antes da depilação realizar esfoliação corporal para remoção do excesso de pele e desobstrução dos poros. A pele precisará de cuidados para que se recupere logo. Existem hidratantes próprios para tratar a pele pós-depilação. Prefira esses.

Depilação completa na virilha aumenta o prazer sexual?
Mito. O prazer sexual não está relacionado a ter pelos ou não na virilha. A retirada dos pelos, ou permanecer com eles, está ligada a preferências pessoais.

A depilação pode manchar ou escurecer a pele?
Verdade. A depilação deve ser feita sempre por um profissional capacitado, pois o mesmo terá condições de realizar o procedimento de maneira eficaz e segura. Quando a pessoa que vai realizar o procedimento não tem conhecimento pode errar a temperatura da cera ou pode passar cera várias vezes no mesmo local. Outro fator importante: se a pele for exposta ao sol nas 48 horas seguintes ao procedimento, existe o risco de manchar. Deve-se respeitar o prazo de 48 horas para recuperação e usar sempre um protetor solar.

Depilação pode encravar os pelos?
Verdade. Os pelos encravados podem ocorrer se a técnica não for feita de forma correta, ou se a pessoa tiver predisposição, uma produção de queratina muito alta, mas é muito fácil resolver. Recomenda-se realizar esfoliação corporal com sabonete ou creme esfoliante ao menos uma vez por semana.

Retirar totalmente os pelos da virilha pode trazer riscos à saúde?
Mito. Risco nenhum.O acúmulo de pelo, de transpiração, de odor e temperatura pode levar ao aumento de fungos e bactérias em determinadas áreas. Portanto, é válido fazer a sua depilação.
 
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press %u2013 28/2/12)
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press %u2013 28/2/12)
 
Perda da libido

A falta de libido é um problema recorrente entre as mulheres e tem impacto direto tanto na qualidade de vida quanto nas relações interpessoais. Multifatorial, o não apetite sexual pode ser resultado de estresse, sobrecarga e oscilação hormonal. Por outro lado, o uso frequente de remédios como o anticoncepcional também pode alterar a vida sexual da mulher, explica a especialista em farmacologia clínica Jackeline Alecrim. “Na maioria dos casos, esse método contraceptivo contribui para a diminuição drástica dos níveis de testosterona, que está intimamente ligado ao desejo sexual”, aponta. Com uma amostragem de 1.046 mulheres, um estudo alemão publicado pelo Journal of Sexual Medicina comprovou que o medicamento tem efeito no desejo, sendo que um terço das mulheres analisadas que usavam o anticoncepcional apresentaram alguma disfunção sexual. “A prevenção é importante, mas a mulher deve buscar o método que melhor se adapta ao seu corpo e estilo de vida, já que a adaptação é individual”, diz a farmacologista Jackeline. A maternidade também é um fator de limitação da libido, já que o período é marcado por intensas transformações físicas, hormonais e emocionais na mulher. “Comumente, essa mulher está cansada, sua atenção é integral ao filho e quando chega a noite o parceiro acaba ficando de 
lado”, explica Jackeline.
 
 
Hábitos que podem causar rugas

As rugas são uma consequência natural do processo de envelhecimento. No entanto, alguns hábitos do dia a dia podem facilitar seu surgimento. O médico dermatologista Tiago Silveira ressalta que um desses costumes é a não utilização do filtro solar. Segundo ele, a radiação é altamente prejudicial à pele, acelerando o processo de envelhecimento e tornando a pele mais áspera, além de poder causar câncer. O tabagismo também pode acelerar o processo de rugas. “A proximidade com o calor e a fumaça provocam a perda de elasticidade e hidratação natural, e o fumo gera enzimas que degradam o colágeno. O consumo de cigarro também reduz o fluxo sanguíneo da pele, dificultando a oxigenação dos tecidos”, comenta.
O dermatologista também garante que uma má alimentação e o baixo consumo de água intensificam o surgimento das rugas. “Uma alimentação equilibrada é fundamental para manter a saúde como um todo e fornecer ao organismo os nutrientes necessários para o bom funcionamento do metabolismo. A hidratação é importante para manter a estrutura e o equilíbrio no funcionamento das células.”


Verão aumenta a síndrome
do olho vermelho

A síndrome do olho vermelho aumenta 20% durante o verão, de acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier. Olhos irritados, lacrimejamento, coceira, sensação de corpo estranho, queimação, fotofobia e visão borrada são os sintomas que, segundo o especialista, podem sinalizar conjuntivite, alergia, olho seco ou ceratite. “Cada uma dessas alterações tem tratamento específico, mas nos meses mais quentes do ano, quatro em cada 10 pacientes já chegam aos consultórios usando colírio por conta própria e por isso colocam a visão em risco”, alerta. A água do mar e das piscinas são os maiores vilões entre crianças porque elas costumam abrir os olhos debaixo d’água. “No mar, esse hábito facilita a contaminação por micro-organismos”, afirma. Isso porque o sal aumenta a perda da lágrima que protege a superfície do olho. Já nas piscinas, ressalta, não é só o cloro que deixa os olhos vermelhos. O oftalmologista afirma que no verão os maiores vilões entre adultos são dormir com lente de contato, abusar do ar-condicionado e viagens aéreas longas. Para garantir a boa lubrificação dos olhos, a principal recomendação dietética do especialista são as fontes de ômega 3, presente na semente de linhaça, nozes, sardinha, salmão e bacalhau. Os casos mais severos de olho seco, ressalta, têm respondido muito bem às aplicações de luz pulsada, que evitam a evaporação da lágrima, estimulando a produção da camada oleosa. Geralmente, em três sessões a produção lacrimal volta ao normal.
 
 
(foto: Akim Neto/Divulgação)
(foto: Akim Neto/Divulgação)
Cuidados com o ouvido no verão

Praia, piscina ou cachoeira estão sempre associados a lazer e férias de verão. Muitas vezes, a vontade de aproveitar a estação é tanta que alguns cuidados com a saúde são deixados de lado, cenário perfeito para o desenvolvimento de infecções, como a temida e mais recorrente nesta época do ano: a otite externa. Segundo Luciana Maria Mendes, fonoaudióloga da Telex Soluções Auditivas, é no verão que ocorrem os casos mais frequentes da inflamação. “Nesta época do ano, as pessoas passam longos períodos dentro d'água. O ideal é secar bem a parte externa da orelha com toalha, lembrando de nunca introduzir nenhum objeto, como as hastes flexíveis, nem pingar nenhum remédio ou líquido.” Os sintomas dessa infecção podem ser muito desagradáveis. Dor extrema, secreção, diminuição da audição e possível febre estão entre as queixas recorrentes. Uma das maneiras de evitar o problema são os protetores auriculares, que podem ser feitos sob medida. “Orientamos a utilização do tampão em casos de exposição extrema aos agentes causadores da otite. Eles são hipoalérgicos, feitos de silicone e com base no tamanho da orelha da criança ou do adulto,” afirma Luciana. 


Publicidade