Publicidade

Estado de Minas

Conta-gotas: confira notas sobre saúde e qualidade de vida

Fim da coceira no couro cabeludo, limpeza física e espiritual e descanso para o cérebro são temas dessa edição


postado em 22/09/2019 04:00 / atualizado em 20/09/2019 15:53

Fim da coceira no couro cabeludo

A irritação e coceira no couro cabeludo é um problema que não recebe muita atenção quando surge. Porém, o que poucos sabem é que o incômodo, por menor que seja, pode ser sinal de que algo está errado com a saúde dos cabelos, já que, de acordo com a dermatologista e tricologista Kédima Nassif, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a coceira na região pode estar relacionada a uma série de fatores, incluindo higienização incorreta, estresse, excesso de transpiração, ressecamento, inflamações e infecções no couro cabeludo. Ela aponta os principais cuidados que devemos ter com os cabelos para prevenir e tratar as terríveis coceiras no couro cabeludo. Confira:

Higienize o couro cabeludo frequentemente: Ao contrário do que muitos pensam, não existe uma frequência definitiva para lavarmos o couro cabeludo. O período entre uma higienização e outra vai depender do tipo de cabelo e da necessidade de cada um.

Evite banhos muito quentes: “Tomar banhos longos com água excessivamente quente pode favorecer o aparecimento da coceira no couro cabeludo, pois a água quente remove alguns dos óleos naturais que têm como função proteger o couro cabeludo, o que leva ao ressecamento da pele da região, além de causar um efeito rebote, promovendo o aumento da produção de oleosidade local e provocando o surgimento de dermatite seborreica”.

Cuidado com os produtos que você utiliza: Alguns produtos utilizados na hora de higienizar os cabelos podem promover o aparecimento de coceira no couro cabeludo, principalmente aqueles que contam com ingredientes como o sulfato de sódio, visto que causam o ressecamento do couro cabeludo, levando ao aparecimento de irritação e vermelhidão. “

Enxágue bem os cabelos para retirar qualquer resíduo de produto: “Para evitar a coceira do couro cabeludo é de extrema importância que você não deixe resíduos de produtos nos cabelos, pois, além de tornarem os fios opacos e sem movimentos, esses produtos se acumulam no local, formando um ambiente propício para o desenvolvimento de fungos.”

Seque bem os fios antes de dormir: Dormir com os fios ainda úmidos é um hábito que compromete a saúde capilar, pois, além dos fios molhados tornarem-se frágeis e acabarem quebrando em contato com o travesseiro, a umidade favorece o aparecimento de dermatite seborreica.

Permita que o cabelo respire adequadamente: O excesso de suor também é outro fator que pode causar irritação no couro cabeludo, pois, quando suamos, há a produção de cloreto de sódio, substância que pode causar a obstrução dos folículos, favorecendo a queda, a inflamação e o ressecamento dos fios.
 
 
Limpeza físicae espiritual

A Ponto de Equilíbrio promove de 22 a 28 de setembro um programa de limpeza física, mental e espiritual através do Krya Dault, Arati, meditações e Satsangas, compondo um ritual de transmutação de energias para fazer renascer a esperança de uma vida de qualidade. Os itens trabalhados visam alcançar abundância e a prosperidade, receber bençãos e graças. Ajuda a solucionar problemas pessoais, familiares, sentimentais, profissionais e financeiros, dissolver traumas, ressentimentos e mágoas. Informações e inscrições: (31) 99145-7178 e 3225-4222 ou pelo e-mail mjm@pontoequilibrio.com.br.
 
(foto: Breno Fortes/CB/D.A. Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A. Press)
 
 
Resveratrol do vinho é excelente anti-idade

Um copo de vinho tinto por dia é bom para relaxar e, principalmente, para a saúde da pele. Isso graças a um antioxidante da casca da uva chamado resveratrol. “Essa molécula traz vários benefícios para a saúde em virtude da sua ação antioxidante, que funciona para combater o envelhecimento. Além disso, o resveratrol é capaz de ativar a sirtuína-1, proteína que age no aumento da longevidade celular”, explica a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da ISAPS (International Society of Aesthetic Plastic Surgery). Produtos tópicos ou orais com resveratrol são capazes de proteger o DNA de uma célula contra danos causados pelos radicais livres. “Quando falamos em ‘neutralização dos radicais livres’, isso promove um impacto direto na redução dos sinais do envelhecimento e danos celulares responsáveis por câncer de pele", afirma a médica. Para entender a importância de um poderoso antioxidante, a cirurgiã plástica explica: “O excesso de radicais livres pode alterar proteínas, lipídeos e até mesmo o DNA. Quando nosso sistema antioxidante não é suficiente, temos uma condição chamada estresse oxidativo, responsável por muitas doenças e inclusive pelo envelhecimento”.De acordo com a médica, nosso organismo conta com três barreiras antioxidantes e o resveratrol está na linha de frente. “A primeira barreira são as vitaminas, resveratrol, e tudo aquilo que já ouvimos falar sobre antioxidantes (pode investir no suco verde, cúrcuma, pois realmente funcionam). Se essa barreira não for suficiente, temos um sistema de enzimas que transforma os radicais livres em substâncias menos reativas e com menor capacidade de danificar outras moléculas. E ainda temos enzimas capazes de destruir proteínas alteradas pelos radicais livres”, afirma. 
 
(foto: Thiago Fagundes/CB/D.A Press)
(foto: Thiago Fagundes/CB/D.A Press)
 
 
O cérebro precisa de férias para se renovar

Computador central do organismo humano, o cérebro é o principal órgão e centro do sistema nervoso, onde toda informação que recebemos é convergida. Ele ainda é responsável pelos pensamentos, sentimentos, memória e imaginação, além de comandar movimentos voluntários e involuntários. O cérebro representa 2% da massa corporal humana, porém consome mais de 20% do oxigênio. É formado por duas metades chamadas de hemisférios cerebrais. Cada hemisfério controla uma série de funções. Com tantas atribuições e uma responsabilidade tão grande, o cérebro, muitas vezes, precisa de férias e uma pausa para se renovar. O neurocirurgião da NeuroAnchieta, Marcus Vinicius Mendonça, explica como dar esse descanso para a mente e quais as melhores tarefas para isso.
Segundo ele, como todo órgão do corpo humano, o cérebro precisa de uma pausa para se refazer e se restabelecer. Na verdade, o repouso do cérebro é ainda mais importante, pois nesse estado de repouso ele consegue reorganizar as experiências diárias e memórias tornando-as aproveitáveis pela consciência. “A pausa habitual ocorre no período de sono profundo, mas podemos induzir esse descanso por meio de técnicas de meditação, atividade física, dança etc.” A atividade física também auxilia. Conforme o especialista, os excessos não fazem bem ao cérebro. Álcool e ansiedade em excesso, poucas horas de sono, são receitas ideais para reduzir a qualidade da função cerebral e a nossa produtividade.
 
 
Hábitos saudáveis retardam demência

Praticar atividades aeróbicas e de resistência e seguir uma alimentação saudável podem prevenir o aparecimento ou progressão da demência, segundo o guia lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Definida como uma deficiência cognitiva persistente e progressiva, a OMS calcula que mais de 50 milhões de pessoas em todo o mundo tenham a doença. Segundo a Organização, a estimativa para 2050 é que cerca de 152 milhões de pessoas sejam afetadas com o problema. A médica e geriatra da Clínica Penchel Marayra França explica que a demência é um problema muito sério, pois prejudica a qualidade de vida do paciente. Apesar de ainda não haver cura, a doença tem tratamento e pode ser prevenida ou retardada. A idade ainda é o fator de risco que prevalece. Após os 65 anos, os riscos de apresentar demência aumentam consideravelmente. Além disso, o histórico familiar, síndrome de Down, alcoolismo, colesterol elevado, pressão alta, depressão, diabetes, obesidade e tabagismo estão na lista de fatores que podem levar à doença. “É preciso deixar muito claro que a demência não atinge apenas idosos. Pessoas mais novas também podem apresentar sintomas do problema”, ressalta Marayra. Os sintomas variam muito e dentre os mais comuns estão: perda da memória; dificuldade de se comunicar e realizar tarefas cotidianas e complexas; esforço exacerbado para exercer funções motoras e de coordenação; desorientação; alteração de personalidade; paranoia; agitação; e alucinações. Ao primeiro sinal de que há algo de errado, procure um médico. “Quanto mais cedo for o diagnóstico, melhor e mais eficaz será o tratamento”, aconselha a médica. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade