Publicidade

Estado de Minas

conta-gotas


postado em 15/09/2019 04:00 / atualizado em 13/09/2019 11:17

(foto: Joana Lopes/Instituto Vita Forma/Reprodução %u2013 28/4/15)
(foto: Joana Lopes/Instituto Vita Forma/Reprodução %u2013 28/4/15)

 
 
Veja como é possível 
evitar estrias na gravidez

Durante a gestação é importante cuidar não só do desenvolvimento do bebê, como da sua saúde e do seu corpo, a exemplo das estrias, que aparecem em cerca de 90% das mulheres após o sexto ou sétimo mês de gravidez, segundo a Academia Americana de Dermatologia. A estria surge, normalmente, pela ruptura das fibras de colágeno. Mas por que elas aparecem durante a gestação e como evitá-las? Quem dá as dicas é a ginecologista e obstetra Karina Tafner, médica assistente do ambulatório de reprodução assistida da Santa Casa.  “Importante lembrar que essas dicas devem ser discutidas com seu obstetra, pois cada gravidez tem suas particularidades e necessidades”, alerta a a médica.

Controle de peso: no período da gravidez, há um aumento de peso, fazendo com que haja maior distensão do abdome e, consequentemente, o rompimento das fibras da pele. Por isso, o cuidado com o peso é fundamental. E não só pelo lado estético, mas pela saúde do bebê e da mãe.

Boa alimentação: os alimentos ricos em vitamina C, como as frutas cítricas, têm substâncias antioxidantes, como betacaroteno ou flavonoides, que agem como estimulantes do colágeno da pele, contribuindo também para o combate às estrias. Já alimentos ricos em vitamina E, como cereais integrais, óleos vegetais e sementes, sevem para proteger as células do organismo, sendo a vitamina E um antioxidante com propriedades de antienvelhecimento para a pele.

Roupa apropriada: o ideal é usar roupas confortáveis e que não fiquem apertadas, evitando a má circulação sanguínea. O mesmo vale para os sutiãs, que, além de maiores, devem ter uma sustentação, para que os seios não fiquem caídos quando voltarem ao tamanho normal.

Hidratantes: O uso de cremes e óleos específicos para grávidas é essencial para manter a pele macia, evitar manchas (comuns em algumas gestantes) e as desagradáveis estrias. Para estas, o óleo de amêndoas, de rosa mosqueta e de semente de uva ainda são os mais indicados. Seja qual você for utilizar, deve ser passado todos os dias nas regiões citadas, especialmente na barriga, com uma leve massagem, que ajudará a melhorar a elasticidade da pele e a ativar a circulação sanguínea.

Pós-parto: as estrias costumam aparecer como linhas avermelhadas e, com o passar do tempo, se tornam brancas. Quando atingem a cor branca, dificilmente são eliminadas. Mas há maneiras de disfarçá-las por meio de tratamentos específicos. Dependendo da cor e intensidade das estrias, o especialista decidirá qual o melhor procedimento. As opções atuais atuam da seguinte forma: estimulando as células produtoras de pigmento e restaurando a elasticidade da pele, promovendo a produção de colágeno.
 
Programa de bÊnçãos e graças

O Ponto de Equilíbrio e a professora Maria José Marinho convidam o público a participar de um programa de limpeza física, mental e espiritual por meio do Krya Dault, Arati, Meditações e Satsangas, compondo um ritual de transmutação de energias para fazer renascer a esperança de uma vida de qualidade. Os itens trabalhados visam alcançar abundância e a prosperidade, receber bênçãos e graças. Ajuda a solucionar problemas pessoais, familiares, sentimentais, profissionais e financeiros, dissolver traumas, ressentimentos e mágoas. Será fornecido todo o material aos participantes, como apostilas diárias com mensagens de leituras dos Sete Vales, orações, meditações, velas, incensos, banhos para limpeza espiritual e cristais terapêuticos. Será do dia 22 ao 28, em três horários a escolher: 7h, 12h30 e 19h. Informações e inscrições pelos (31)  99145-7178 e (31) 3225-4222 e mjm@pontoequilibrio.com.br. 
 
 
(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação)
(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação)
 
 
 
ANS reforça o alerta sobre  os cuidados com as doenças mentais

Em alusão à campanha Setembro Amarelo, dedicada à prevenção do suicídio, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) reforça o alerta sobre os cuidados com as doenças mentais e incentiva as operadoras de planos de saúde a desenvolver programas de promoção da saúde e prevenção de riscos de doenças (Promoprev) voltados a essa linha de atenção. O mês foi escolhido em razão do Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, celebrado todo ano em 10 de setembro. O objetivo do dia é conscientizar as pessoas ao redor do mundo de que o suicídio pode ser evitado. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo, e essa é a segunda maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos. No Brasil, 32 brasileiros tiram a própria vida por dia, o equivalente a uma pessoa a cada 45 minutos. Ações preventivas são fundamentais para reverter essa situação: mais de 90% dos casos de suicídio estão associados a distúrbios mentais e, portanto, podem ser evitados se as causas forem tratadas corretamente, aponta a OMS. Na saúde suplementar, a preocupação com as doenças mentais é crescente. O Rol de Procedimentos da ANS determina cobertura obrigatória para consultas médicas em número ilimitado (inclusive em psiquiatria), internação hospitalar, atendimento e acompanhamento em hospital-dia psiquiátrico, consulta com psicólogo e com terapeuta ocupacional e sessões de psicoterapia.
 
 
(foto: Pixabay/Reprodução)
(foto: Pixabay/Reprodução)
 
 
Erros pós-operatórioS de cirurgias plásticas podem comprometer resultado

Na busca por um corpo e visual melhores, as cirurgias plásticas são grandes aliadas. Porém, como todo procedimento invasivo, são necessários cuidados especiais, principalmente depois da cirurgia. O sentimento de imediatismo e de que os resultados já foram alcançados fazem com que muitos pacientes não sigam à risca as restrições pós-operatórias, como seria necessário. Por isso, ao decidir fazer uma cirurgia plástica, saiba que é necessária muita cautela e paciência, pois os cuidados se iniciam logo após a alta e podem durar cerca de seis meses ou mais, até o resultado final. Luiz Haroldo Pereira, especialista em cirurgia plástica, pioneiro da lipoaspiração no Brasil e com uma carreira de mais de 40 anos, cita os principais erros cometidos e que podem comprometer o resultado.

Fazer esforço físico
A atividade física deve ser evitada em pacientes que fizeram lipo por três semanas e para outras cirurgias que envolvam corte por 45 dias. O aumento da frequência cardíaca pode comprometer a cicatrização.

Ficar por muito tempo na mesma posição
A formação de edemas pode ser ainda mais intensa se o paciente permanecer por muito tempo em posições estáticas, além de acentuar o risco de trombose em casos de cirurgias de maior porte, como a lipoaspiração.

Exposição solar
A exposição solar não é permitida enquanto houver equimoses, ou seja, roxidão, sobre risco de manchar a pele e podendo até causar alteração na cicatriz. A exposição ao sol de áreas com hematomas, causados principalmente por cirurgias faciais, pode causar manchas crônicas na pele ou escurecimento das cicatrizes, pois há um maior risco de pigmentação devido às moléculas de ferro concentradas na região das marcas.

Ingerir bebidas alcoólicas e fumar
O uso de bebidas alcoólicas no pós-operatório deve ser evitado enquanto o paciente estiver fazendo uso de medicamentos. Quanto ao fumo, deve ser evitado tanto no pré quanto no pós-operatório, em especial nos pacientes que fizeram cirurgia na face e abdômen.


Abandonar uma alimentação saudável
Alimentos de difícil digestão agravam a função gástrica, que já está comprometida com analgésicos e anti-inflamatórios, podendo causar até mesmo gastrite e gases intestinais. 
Por isso é ideal manter uma dieta balanceada nos meses seguintes após a cirurgia.

Não dar a devida atenção à higiene
As cicatrizes cirúrgicas devem receber atenção especial durante o banho, para que o risco de contaminação seja praticamente zero e o processo de cicatrização não seja comprometido.

Ocultar informações sobre outras medicações 
Alguns medicamentos podem causar problemas quando associados com as anestesias, o que pode levar a complicações, acentuando os sangramentos e causando até mesmo problemas renais, hepáticos ou alérgicos. Por isso é fundamental também sempre informar ao seu médico o uso de medicamentos. 


Publicidade