Publicidade

Estado de Minas

Ser é o mais importante

Roupa asseada, modos adequados, higiene e uma postura social correta são uma manifestação sadia da vaidade e que deve ser incitada pelos pais, assim como os valores


postado em 01/09/2019 04:00 / atualizado em 29/08/2019 16:26


Igor de Pinho Bethonico, de 9 anos, dá preferência às roupas que combinam entre si(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Igor de Pinho Bethonico, de 9 anos, dá preferência às roupas que combinam entre si (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)


A composição dos produtos de beleza, por si só, muitas vezes representa um risco para crianças. Diversos ingredientes podem ser perigosos. A professora de dermatologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Fabiane Mulinari explica que a pele das crianças é mais sensível, o que facilita o aparecimento de dermatites induzidas por substâncias químicas presentes nos cosméticos (maquiagens, cremes, esmaltes e perfumes), que são absorvidas com maior intensidade. "A pele da criança tem maior capacidade de absorção e a relação da superfície corporal infantil com o peso é maior que no adulto, favorecendo a toxicidade de alguns produtos. Evitar o uso de tinturas químicas e maquiagens até a idade escolar, ou 6 anos, é o ideal", salienta.

“Na infância, existe um risco maior de desencadear alergia de contato, por isso, é preferível usar produtos especialmente desenvolvidos para esta idade. As maquiagens, por exemplo, contêm menos corantes e conservantes para esse grupo de pessoas”, continua Fabiane. Por outro lado, as tinturas devem ser temporárias (xampu tonalizante) ou livres de PPD (parafenilenodiamina), um produto causador de dermatite por contato frequente com o couro cabeludo. "Alisantes com formol estão proibidos. Nesta faixa etária, a ameaça é maior, pois a exposição repetitiva é que é perigosa. Prefira os com tioglicolato de amônio”, orienta Fabiane.

A dermatologista Carla de Albuquerque acrescenta que usar produtos para adultos, então, é uma medida temerária: primeiro, porque eles são mais fortes e, segundo, porque eles não são testados em crianças quanto à segurança e eficácia, aumentando bastante o risco de alergias. "As fórmulas infantis, geralmente, têm pouco ou nenhum perfume e usam conservantes mais suaves. Mesmo assim, ainda podem causar irritações e alergias na pele", diz. Segundo ela, as crianças com rinite alérgica, bronquite e dermatite atópica são mais propensas a desenvolver irritações na pele. E, quando houver machucados na pele, o uso de cosméticos no local também deve ser evitado. "Somente a partir dos 13 anos a criança pode usar as versões adultas sem temer tanto as alergias", afirma a dermatologista.

Caso a garota goste de se “emperequetar”, a dica é usar apenas um batom ou brilho labial. Especialistas alertam que pó compacto, blush, rímel, sombra e lápis delineador, mais que alergias, podem ferir os olhos da criança durante a aplicação. Os esmaltes, por sua vez, estão entre os produtos que mais causam reações alérgicas, devido à fina camada de pele das mãos das crianças.

modelo 

Maquiagens pesadas, cílios postiços, batom vermelho, peruca, roupas extravagantes ou sensuais, salto alto, adereços exagerados. Para o mestre em psicologia da infância e da adolescência Caio Feijó, esses são componentes de uma forma absurdamente extrapolada do que se pode chamar vaidade. A responsabilidade, defende o educador, é dos pais, porque a vaidade é, obviamente, aprendida na infância. "Nessa fase da vida, a criança tem como modelo principalmente as pessoas com quem ela convive e, na primeira infância, elas convivem essencialmente com os pais. Assim, podemos concluir que, salvo raras exceções, a maioria das crianças vaidosas aprendeu esse comportamento com seus pais em casa ou com seus principais cuidadores, na ausência dos pais", avalia. No que concerne a aspectos de saúde, a resposta é clara: sandálias e sapatos com salto, por exemplo, por menor que sejam, podem prejudicar a formação da estrutura óssea da criança, causam dores e problemas de equilíbrio, de postura e de coluna nas meninas.

São aspectos que precisam ser observados. A neuropsicanalista Priscila Gasparini Fernandes concorda que, em muitos casos, os pais que manifestam muita vaidade são os que cultuam bastante o corpo, que vivem na academia, fazendo dietas e até cirurgias plásticas. Eles terminam por irradiar, mesmo que não conscientes, essa visão do corpo para as próprias crianças. "O que a criança entende? Minha mãe é magra, ela vive fazendo dieta, ela só gosta de gente magra, logo, tenho que ser magra para ser aceita. Tudo isso fica gravado e é prejudicial para a criança. Os pais devem incentivar a criança a ser como ela é e a passar as fases da infância, que são muito importantes. Pular fases pode estimular fases erradas", orienta Priscila.

No ponto de vista oposto, roupa asseada, modos adequados, higiene e uma postura social correta são uma manifestação sadia da vaidade e que deve ser incitada pelos pais. "Praticar e ensinar valores aos filhos é um hábito que, por si só, já traz a consciência da importância de 'ser'. Incentivar a boa higiene e responsabilidade é obrigação dos pais no que se refere à boa educação. Uma criança bem-educada não precisa de vaidade para se destacar", observa Caio Feijó.

Juarez Rodrigues/EM/D.A Press

Igor de Pinho Bethonico, de 9 anos, dá 
preferência às roupas que combinam entre si


Fique atento

Os riscos de usar produtos adultos nas crianças:

» Xampu e condicionador: irritações e alergias na pele, irritações oculares (conjuntivite alérgica), ressecamento dos fios, caspa (dermatite seborreica), irritações e alergias no couro cabeludo.

»  Esmalte: irritações e alergias, que podem se manifestar como coceira, vermelhidão e inchaço, tanto em volta das unhas quanto em locais mais distantes, como pálpebras.

»  Maquiagem: irritações, alergias, acne cosmética, ressecamento labial.

»  Cremes hidratantes: irritações, alergias e acne cosmética.

Fonte: Carla de Albuquerque, dermatologista


Limites

A psicóloga Sueli Castillo elenca algumas atitudes que podem servir de alerta aos pais para detectar quando a criança está prestes a passar do limite saudável da vaidade:

» Passa muito tempo diante do espelho;
» Valoriza mais a aparência do que os estudos;
» Inicia dietas de emagrecimento justificando estar acima do peso;
» A marca da roupa é mais importante que a própria roupa;
» Toda a mesada é destinada para a compra de cosméticos, 
roupas e acessórios.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade