Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Contas gotas


postado em 30/06/2019 04:07

(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press %u2013 17/7/17)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press %u2013 17/7/17)

Como evitar a asma?

As pessoas que sofrem com asma ou que conhecem alguém que tem a doença, sabem que é preciso estar sempre em alerta para os riscos de crises. Como a condição acompanha o paciente ao longo da vida, o acompanhamento médico e os cuidados devem ser mantidos durante todas as estações. Apesar de haver muita preocupação com as doenças pulmonares crônicas durante o verão, o inverno também pode apresentar algumas armadilhas para esses pacientes. Confira alguns cuidados para evitar as crises durante a estação mais fria do ano:


» Cuidado com ar-condicionado/ aquecedor: a mudança de temperatura entre ambientes externos e internos são típicas do inverno. O pneumologista Mauro Gomes, diretor da Comissão de Infecções Respiratórias da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia, aponta que a mucosa nasal das pessoas que têm asma é mais sensível, e detalhes como o ar mais seco, poeira, fumaça do cigarro, poluição e até mesmo o pólen podem ser estímulos para uma reação alérgica.

» Roupa de cama e agasalho: como vivemos em um país tropical, mantas e casacos (foto) peludos costumam sair dos armários só entre julho e setembro, o que pode ser um gatilho para os asmáticos, pois, nesse tempo em que ficam guardados, acumulam muita poeira e ácaros.

» Deixe o cigarro de lado: estudo feito com mais de 10 mil pacientes asmáticos reportou que 59% dos pacientes tinham a doença fora de controle, 19% a tinham bem controlada e apenas 23% conviviam com ela totalmente controlada. O estudo indicou a doença mal controlada é mais frequente entre os pacientes fumantes.

» Esteja sempre com as vacinas em dia: infecções virais, como gripes e resfriados, comuns nesta época, podem provocar ou piorar as reações alérgicas. Para minimizar as ocorrências de crises, é extremamente importante fazer o tratamento correto das alergias respiratórias durante todo o ano e estar sempre atento às campanhas de vacina contra a gripe.

» Não deixe o tratamento de lado: quando a asma não é diagnosticada e tratada adequadamente, pode levar a internações e até à morte. Os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) de 2015 indicam que as enfermidades crônicas não transmissíveis, como a asma, foram a causa de cerca de 72,6% das mortes no Brasil. O número é espantoso, porque 10% da população brasileira tem a condição no país. Uma das opções de tratamento é o tiotrópio, que melhora a função pulmonar e reduz em 21% o risco de exacerbações em pacientes com asma grave e muito grave.

Você sabe o que é hATTR?


A amiloidose hereditária associada à transtirretina (hATTR), também conhecida como polineuropatia amiloidótica familiar (PAF-TTR), é uma doença rara, progressiva e fatal. Na maioria dos casos, os pacientes apresentam sintomas como a perda da sensibilidade térmica e dolorosa e/ou parestesias (dormência) que se iniciam nos pés e podem se estender para os membros superiores. Outros sintomas são alterações na motilidade gastrointestinal, ocorrendo diarreia, constipação, náuseas, vômitos e sensação de plenitude gástrica; alterações cardiovasculares e alterações oculares, com queixa frequente de olhos secos devido à infiltração amiloide das glândulas lacrimais, podendo levar à ceratoconjuntivite, entre outros. Os primeiros sintomas surgem entre os 20 e os 50 anos, em 95% dos casos. Há cerca de 50 mil pessoas com hATTR no mundo, sendo 5 mil no Brasil. Como o paciente tem exigências e necessidades especiais, é fundamental o acompanhamento médico permanente assim que o diagnóstico é confirmado. Fontes: Academia Brasileira de Neurologia e Associação Brasileira de Paramiloidose (Abpar).

Caminho do autoconhecimento


Os cuidados com a saúde têm se intensificado à medida que as pessoas adquirem mais consciência de que não somos apenas seres físicos, palpáveis e que dependemos muito de remédios para todos os nossos desconfortos. Sabemos que desconfortos emocionais podem causar doenças físicas. Então, é muito importante que tenhamos consciência de que somos seres espirituais vivenciando uma vida “carnal”. Sem a energia vital, nosso organismo entra em falência. Diversas terapias energéticas estão disponíveis para apoiar e intensificar o lado positivo do ser humano.Terapia holística energética é uma aliada do autoconhecimento. São pontos específicos que acessam partes do cérebro onde ficam registradas crenças limitantes, medos, conceitos negativos e arquivos mentais que impedem nossa autorrealização. Muitas vezes, nem temos consciência desses entraves e os aceitamos como verdades em nossa vida. Os desbloqueios nos trazem melhor autoestima, concentração e a redução de sintomas de diversas alterações comportamentais. Assim, em 6 de julho, das 8h30 às 18h, será ministrado curso sobre o assunto. Inscrições pelo (31) 99971-6552 ou alcearomano@gmail.com.

 

Lançamento


O livro O menino que nunca sorriu e outras histórias reais, dos autores Fábio Barbirato e Gabriela Dias, em depoimento a Gustavo Pinheiro, foi lançado sexta-feira, em São Paulo. A obra, pela editora Máquina de Livros, retrata o autismo, a depressão, o bullying e a bipolaridade entre crianças e adolescentes. A versão impressa custa R$ 44,90 e a versão e-book 24,90.

Risco aos olhos
Entre as alterações que a pele sofre com o processo de envelhecimento, a flacidez das pálpebras está entre uma das mais incômodas, por motivos estéticos ou mesmo funcionais, quando a flacidez na região é de tal grau que passa a atrapalhar a visão. Mas é possível resolver o problema por meio da blefaroplastia. “Também conhecida como cirurgia das pálpebras, a blefaroplastia consiste na retirada de excesso de pele das pálpebras e tratamento de outras estruturas, como bolsas de gordura, músculos e ligamentos, ajudando a eliminar o aspecto cansado que os olhos adquirem com o avanço da idade”, explica a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Isaps (International Society of Aesthetic Plastic Surgery). Mas, como qualquer outro procedimento cirúrgico, a blefaroplastia tem riscos. No caso da cirurgia para correção da flacidez das pálpebras, os principais riscos estão relacionados à anatomia dos olhos, sendo muitas vezes necessárias novas abordagens cirúrgicas para correção do problema. Um dos riscos mais comuns nesse sentido, de acordo com a médica, é a retirada excessiva da pele das pálpebras, o que pode fazer com que o paciente sinta dificuldade para fechar os olhos completamente até mesmo na hora de dormir, além de conferir ao olhar aquele aspecto arregalado. Existe também o risco de assimetria, ou seja, de um olho ficar maior ou menor do que o outro, e de hipocorreção, quando a retirada da pele não é o suficiente para remover completamente a flacidez da região, fazendo com que o aspecto de olhar triste e caído permaneça.

Palestra sobre saúde consciencial
Por meio dos estudos e práticas da conscienciologia, a professora, psicóloga e pesquisadora Danniela Miari desenvolveu técnicas que a ajudam a enfrentar a esclerose múltipla de modo equilibrado, maduro e sem a carga dramática ou emocional que poderiam dificultar a superação dos desafios. Danniela agora vai compartilhar seu conhecimento em uma palestra gratuita e em um curso oferecidos pelo Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia (IIPC), onde também é pesquisadora. A palestra “Saúde consciencial aplicada: superando as dificuldades da doença crônica” será sábado, das 16h às 18h, na sede do IIPC-BH (Rua Piauí, 361, 7º andar, Santa Efigênia). No domingo será a vez do curso de mesmo nome, das 9h30 às 16h30, no mesmo local. As atividades são direcionadas não apenas aos próprios portadores de doenças crônicas, seus familiares e cuidadores, como também a qualquer pessoa interessada em cuidar da saúde de forma integral e realizar a prevenção dessas doenças. Mais informações e inscrições no www.iipc.org/belohorizonte, pelo (31) 3222-0056 (WhatsApp) ou pessoalmente na sede do IIPC-BH, de segunda a sexta, das 14h às 19h, sábado, das 8h30 às 19h.


Publicidade