Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Cada som é único

A voz é resultado de características herdadas e do ambiente em que se vive. As pessoas são identificadas pela forma como a usam, embora ela varie de acordo com as emoções


postado em 16/06/2019 04:05

(foto: CSTRSK/Pixabay)
(foto: CSTRSK/Pixabay)






Não é preciso saber do processo mecânico da construção da voz, que é produzida na laringe, para ter certeza de que ela marca uma identidade, traduz personalidade, é única e se revela pelas emoções. Assim, saber como preservá-la é questão de saúde. Sinais como rouquidão, falhas, cansaço ao falar, dor ou ardência na garganta podem comprometer a comunicação e a qualidade de vida.

A voz é tão importante que tem um dia especial para chamar de seu: 16 de abril, Dia Mundial da Voz. Fraca, forte, fina, grossa, não importa, a data é um meio para conscientizar a população sobre a importância da voz humana para a promoção da saúde e diagnóstico precoce de doenças.

Thaís Palazzi, fonoaudióloga do Hospital Cema, de São Paulo, especialista em voz, acupunturista e terapeuta sistêmica, explica que cada voz é única. “O que sabemos é que pessoas da mesma família podem apresentar vozes muito parecidas por causa das semelhanças anatômicas. Além da anatomia, a voz depende de fatores culturais e familiares. Todos usam modulação, articulação, respiração e ressonância de jeitos diferentes e isso também faz com que a voz seja única.”

Outra particularidade da voz é que ela está intimamente ligada às emoções. “E elas podem ser percebidas em variações muito sutis das características de fala, de frequência de voz, na velocidade e na melodia da fala. Por exemplo, a voz rouca sugere esforço e cansaço; a intensidade ou volume de voz reduzida pode sugerir medo, insegurança ou timidez. Ressonância equilibrada demonstra equilíbrio emocional. Articulação precisa pode transmitir clareza de ideias e pensamento; e velocidade de fala acelerada pode demonstrar ansiedade ou nervosismo ao ouvinte.”

Thaís Palazzi conta que é possível traçar um perfil das pessoas por meio da fala, o que se dá ao analisar aspectos de uma avaliação de ressonância. “A função da ressonância é amplificar o som produzido nas nossas pregas vocais (fonte sonora). Os órgãos ressonadores são cavidade da boca, cavidades do nariz e os seios paranasais. Uma voz que não explora essas ressonâncias, mesmo sendo uma voz forte, será uma voz sem brilho e sem qualidade sonora. A voz bem colocada tem beleza e qualidade vocal adequada. Essa é aquela voz que consideramos ‘para fora’ e é mais alta. A voz não impostada, geralmente, é apoiada na garganta, emitindo sons sem brilho, mesmo que o timbre seja muito bonito e agradável. Essa é a voz mais contida ‘pra dentro’.”

INSTABILIDADE

Há pessoas que, ao ser levadas a falar em público, seja numa reunião de trabalho, festa de aniversário ou qualquer outra situação de discurso, a voz sai trêmula. Thaís Palazzi explica que existem treinamentos fonoaudiológicos específicos por meio da prática de alguns exercícios de respiração, fala e articulação. “Em momentos em que temos que falar em público, é normal a voz ficar trêmula, decorrente do nervosismo. Seguindo os exercícios e técnicas, é possível minimizar esses sinais. Porém, a instabilidade na voz também pode indicar outros problemas. Se ela fica instável nos momentos do dia a dia, quando não há motivo para o nervosismo, é necessário pesquisar algum indicativo de alerta fonoaudiológico ou neurológico. Nesses casos, é preciso buscar um especialista.”

A especialista confirma que a voz é afetada por influência externa. Pais rígidos e autoritários podem induzir os filhos a terem a fala baixa, embargada, para dentro... E isso acaba se tornando uma característica da pessoa.

Assim como é possível desvendar as emoções. “Por meio da voz, podemos facilmente identificar as emoções. As variações do tom, a respiração, entonação e intensidade nos dão dicas do estado emocional de cada um. O tom de voz é um dos elementos com maior influência sobre a comunicação dos seres humanos. Em cada tom há uma série de parâmetros sonoros que dão sentido, consciente e inconscientemente, à mensagem que está sendo transmitida.”

Thaís Palazzi alerta que voz rouca por mais de cinco dias pode ser indicativo de alterações vocais. São três tipos de disfonias (rouquidão): As funcionais são as alterações no comportamento vocal; o próprio uso da voz é o principal causador da alteração vocal. As organofuncionais são constituídas por alterações vocais acompanhadas de lesões decorrentes de alterações no comportamento vocal. E, por último, as disfonias orgânicas, que independem do comportamento vocal; são alterações anatômicas nas pregas vocais.

EXERCÍCIOS

Há pessoas que são elogiadas pela linda voz, principalmente os locutores. Será que existe essa diferenciação entre voz bonita e feia? “Há treinamentos específicos de locução e comunicação de alto impacto. Essas pessoas treinam a maneira de usar a ressonância vocal, articulação e melodia. Porém, existem padrões vocais mais aceitáveis socialmente do que outros. Por exemplo, uma voz muito infantilizada e aguda pode provocar rejeição tanto social quanto profissionalmente. Há várias técnicas e exercícios para trabalhar essas questões. É possível deixar a voz mais grave por meio de exercícios específicos de descida de laringe, o que engrossa as pregas vocais. No que diz respeito à voz mais ‘nasal’, exercícios de ressonância ajudam.”

Por ser tão importante, Thaís Palazzi alerta que é preciso saber cuidar da voz. Para evitar problemas vocais, a dica é beber muita água, não gritar, usar microfone para falar em público e aquecer a voz quando necessário. Respirar corretamente, dormir bem, evitar bebidas alcoólicas, fumo e café também são medidas importantes. Evitar pigarrear é importante, pois o pigarro funciona como bater ou golpear as pregas vocais. Nesse caso, em vez de limpar a garganta, tome um pequeno gole de água. “Seguindo essas recomendações, a voz não vai faltar quando você mais precisar dela.”
Hospital Cema/Divulgação
A fonoaudióloga Thaís Palazzi diz que é possível traçar um perfil das pessoas por meio da fala

. Dicas para ser
amigo da sua voz:


» Fale sem esforço e articule
bem as palavras

» Mantenha uma boa postura corporal ao falar ou cantar

» Beba dois litros de água diariamente

» Durma bem

» Tenha uma alimentação saudável, rica em frutas e proteínas

» Use vestuário confortável

» Procure reduzir a quantidade de fala durante quadros gripais, crises alérgicas e período menstrual

» Evite falar por longos períodos, principalmente em ambientes ruidosos

» Evite pigarrear, gritar e dar gargalhadas exageradas

» Evite ingerir leite e derivados, bebidas gasosas e chocolate antes de utilizar a voz continuamente

» Evite ingerir álcool em excesso, bem como outras drogas

» Cuidado ao cantar
inadequada ou abusivamente

» Esteja atento aos primeiros
sintomas de alteração vocal, como cansaço, ardor ou dor ao falar, falhas na voz, mudança de tom, pigarro e rouquidão

» No caso de problemas vocais, procure um fonoaudiólogo e um médico otorrinolaringologista

Fonte: Sociedade Brasileira de
Fonoaudiologia (SBFA)



. Dúvidas frequentes

» Como saber se eu tenho um problema de voz?
Se sua voz ficou diferente nos últimos tempos (rouca, fraca, tensa ou cansada, por exemplo), se melhora quando você fica alguns dias
 sem falar muito e piora em situações em que usa mais a sua voz, é possível que esteja com um problema. Se as modificações durarem
mais que 15 dias, você deve consultar um especialista.

» O que fazer quando estou totalmente sem voz?
Se precisar falar, não force, fale baixo e mais devagar, abrindo bem a boca, porém, evite sussurrar. Mantenha-se hidratado bebendo goles de
água ao longo do dia e procure um médico otorrinolaringologista e/ou um fonoaudiólogo.


»  Não gosto da minha voz. Ela pode ser modificada?
Qualquer voz pode ser aperfeiçoada, mas é importante compreender por que você não gosta de sua voz, o que exige uma avaliação especializada.


» A voz envelhece?
Sim. Como todo o corpo, a voz também passa por modificações com a idade, que são mais evidentes a partir dos 60 anos, com grande variação
de pessoa para pessoa. A voz pode ficar mais fraca, mais trêmula, mais grossa nas mulheres, e mais fina nos homens.


» Ar-condicionado pode prejudicar a voz?
Algumas pessoas podem ser sensíveis à exposição prolongada ao ar-condicionado, apresentando ressecamento e alteração na voz.
Se você trabalha em ambientes com ar-condicionado, tome pequenos goles de água ao longo do dia para combater a secura.

Fonte: Departamento de voz da SBFA


Publicidade