Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

conta-gotas


postado em 19/05/2019 04:07

Visita ao dentista na gestação

É natural que quando uma mulher descobre a gravidez, marcar uma consulta no ginecologista obstetra provavelmente é o item número um da lista de prioridades. Mas as futuras mamães deveriam transformar a visita ao dentista no item dois. Isso porque a incidência de problemas bucais na gestante pode se intensificar nessa fase. Patrícia Valério, cirurgiã-dentista, pesquisadora do Instituto WSEI na Europa e fundadora do Instituto Patrícia Valério, explica alguns cuidados que devem ser tomados:

l  Mudanças hormonais
As mudanças hormonais que ocorrem durante a gestação deixam a mulher mais suscetível às doenças periodontais.


l  Alimentação
A grávida tem o hábito de se alimentar várias vezes ao dia, sem fazer a higiene bucal após esses “lanchinhos” entre as refeições, acarretando no acúmulo de placa bacteriana, cáries e até gengivite. “Daí a importância de fazer uma visita ao dentista durante a gravidez, uma espécie de ‘pré-natal odontológico’, para evitar que a falta de saúde bucal interfira no desenvolvimento do bebê.”


l  Procedimentos necessários

A especialista explica que os procedimentos dentários preventivos não são apenas seguros como recomendados para evitar infecções nas gengivas ou nos dentes da mãe, aumentando o risco de aborto, parto prematuro e até pré-eclâmpsia. “Grávida pode tomar anestesia local, tirar raio-x e até extrair dente, mas convém esperar passar o primeiro trimestre de gravidez. O período ideal para a realização do tratamento odontológico é o 2º trimestre.”

Saúde ginecológica após os 60 anos

Um dos fenômenos mundiais é o envelhecimento populacional, que requer algumas dicas para a mulher envelhecer saudavelmente. O ginecologista e vice-presidente da região Sudeste da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), Agnaldo Lopes, recomenda algumas ações para a mulher após 60 anos. “Adotar uma dieta saudável, evitar o tabagismo, a obesidade e o sedentarismo são fatores importantes para reduzir as mortes por doença cardiovascular”, afirma. Ele alerta que outro aspecto importante para cuidar são as doenças sexualmente transmissíveis, desde o câncer de cólon, HIV até sífilis congênita. “O envelhecimento saudável é consequência de uma vida saudável. As mulheres devem se preparar para essa faixa etária mais avançada com a prática da atividade física, evitando o álcool e o tabagismo, cuidando da saúde de forma geral.”

Exposição às telas deve ser moderada

A exposição prolongada às telas de TV, celular, tablet e computador compromete de fato a visão? Para Cláudio Trindade, doutor em Oftalmologia pela Universidade de São Paulo (USP), a exposição prolongada a telas luminosas, por si só, não causa dano imediato ou grave à estrutura do olho. Contudo, ele alerta que o esforço da visão de perto, ou seja, o esforço de se olhar para curtas distâncias, e a contração da musculatura do interior do olho, por períodos prolongados, pode promover o aumento de miopia. “A miopia acarreta a necessidade de uso de óculos, e pode tornar algumas estruturas do olho mais frágeis”, afirma. A Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda o contato com telas para bebês com menos de um ano. Já para crianças acima de dois anos, o tempo máximo de contato visual deve ser de uma hora. O médico ainda destaca que a exposição às telas pode gerar uma frequência de piscar reduzida, ou seja, o olho fica mais tempo aberto, recebendo menos lubrificação. “Isso pode causar sintomas de ardência e sensação de olho seco que, apesar de não serem graves, são bastante incômodos”, destaca Cláudio Trindade. A orientação, tanto para jovens, quanto adultos, é a ponderação. Fazer intervalos durante a exposição, segundo Cláudio Trindade, pode ser muito importante.


Benefícios da corrida para
a saúde física e mental

Há quem acredite que a corrida é o mais democrático dos esportes por sua praticidade. Com um tênis, uma roupa confortável e segura já é possível arriscar os primeiros passos. A atividade ainda oferece uma série de vantagens, tanto para a saúde física quanto mental, podendo ser praticada em grupo ou sozinho, na academia e na rua, ideal para quem quer se exercitar de forma prática. De acordo com o Ministério da Saúde, o número de pessoas que estão praticando corridas mais que dobrou nos últimos 11 anos. Segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2017, entre 2006 e 2017, a prática da modalidade aumentou em 194%. “Correr acelera o metabolismo, fazendo a queima de calorias acontecer mais eficientemente”, explica Amanda Prado, idealizadora da Alive, empresa que presta consultoria esportiva e produz roupas fitness. A atividade reduz o nível do colesterol, aumenta a capacidade cardiorrespiratória e reduz a pressão arterial de repouso. “É importante realizar alongamentos antes e depois da prática de atividades, mantendo a postura e o condicionamento da musculatura, além de hidratar durante todo o treino e sempre se alimentar de maneira balanceada antes de praticar qualquer esporte.”

Cuidados especiais
com a pele e os cabelos


Com temperaturas mais baixas e menor umidade do ar, típicas do outono/inverno, tanto a pele quanto os cabelos podem sofrer alterações, trazendo desconforto e reclamações. Até o começo da primavera, a tendência é de um ressecamento cada vez maior, de acordo com o dermatologista José Jabur da Cunha, da Altacasa Clínica Médica e chefe do setor de Cirurgia Dermatológica da Santa Casa de São Paulo. “Nesta época do ano, muita gente se queixa de ressecamento na pele e do pouco brilho ou queda de cabelos. Por isso, manter a hidratação é fundamental. A tendência é a pele ficar mesmo mais ressecada. Algumas doenças de pele também costumam ficar mais acentuadas durante o outono, como a psoríase, a dermatite seborreica e a dermatite atópica. O especialista dá dicas para manter a pele e os cabelos bem cuidados nos dias mais frios de outono e inverno:
Beba muita água – Se você não costuma beber muita água, comece a andar com uma garrafinha a tiracolo diariamente. No outono e inverno, ingerir pelo menos 1,5 litro de água por dia ajuda a hidratar ainda mais e evita problemas na pele causados pelo clima.
Hidratação do corpo – Se você usa um tipo específico de hidratante, saiba que muitas vezes não é preciso trocá-lo, basta intensificar o cuidado com a pele, aplicando-o diariamente e em quantidades generosas. Já para quem tem pele mais seca, a dica é investir em hidratantes mais específicos. Procure seu dermatologista para uma avaliação, mas de modo geral hidratantes sem perfume, de consistência mais grossa, com ureia ou ceramidas, são bem indicados.
Cuidado com os lábios – Para não deixar que os lábios sofram com a ação do ar seco e frio, que pode causar rachaduras e até lesões, use sempre um protetor hidratante labial.
Atenção à temperatura do chuveiro – Banhos quentes são muito comuns no inverno. Mas, apesar de bastante relaxantes, deixam a pele ressecada, o que pode piorar com as temperaturas baixas e o clima seco da estação.

l Evite o ar-condicionado – Como ele costuma ressecar a pele, procure usá-lo somente no verão ou quando o tempo estiver bem quente.

l Fuja do uso contínuo de buchas – Usar bucha no banho acaba removendo a camada de proteção da pele que ajuda a mantê-la hidratada naturalmente. Além disso, o uso excessivo de sabonetes também pode ter esse efeito. No inverno, os banhos são mais demorados e muitas vezes vilões da pele seca. Prefira banhos mais rápidos e sem exageros.

l Umidifique o ar – Para deixar o ambiente da casa ou do escritório mais úmido, coloque um vaporizador ou uma bacia com água. Se escolher a segunda opção, não se esqueça de trocar a água da bacia diariamente.

l Protetor solar – O uso do protetor solar é importante mesmo em dias com sol fraco, dias nublados ou com chuva. Para quem preferir, algumas marcas de protetor solar já costumam vir com o FPS associado a hidratantes.

l Lave o rosto antes de dormir – O rosto acumula impurezas durante o dia. Para desobstruir os poros e deixar a pele limpinha, procure sempre higienizar o rosto antes de dormir para, em seguida, aplicar um hidratante.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade