Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Inclusão no trabalho


postado em 14/04/2019 05:06

A contratação de pessoas com deficiência ainda é um tema cercado de dúvidas. A promoção da inclusão e a garantia da manutenção de colaboradores especiais e qualificados no quadro de funcionários nas empresas é uma luta diária. A pesquisa “”Expectativas e percepções sobre o mercado de trabalho para pessoas com deficiência”, feita pela Catho, desmistifica a lenda de que profissionais com deficiência são desqualificados. Segundo o levantamento, 57% dos entrevistados estão em alguma etapa do ensino superior. Buscar por uma educação inclusiva faz com que pessoas com deficiência sejam cercadas por desafios e enfrentamentos desde o primeiro ano escolar. A falta de um olhar mais sensível para a inclusão desses alunos influencia diretamente no nível de desenvolvimento de suas potencialidades pessoais e profissionais. Diante desse cenário de diversos obstáculos, muitos têm se destacado e alcançando elevado nível de escolaridade.

Conforme dados coletados pela Catho, site de classificados de empregos, o i.Social e a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-Brasil) e ABRH-SP muitos são os níveis de qualificações desses profissionais: 21% têm nível superior completo, 13% curso superior em andamento, 10% cursos superior incompleto, 8% pós-graduação concluída, 4% pós-graduação em andamento e 1% mestrado.

O termo “qualificação” surge comumente como parte da estratégia de contratação de pessoas com deficiência apenas para preenchimento da Lei de Cotas. Seja com oferta de posições com baixos salários ou inferiores aos objetivos definidos, esses profissionais não são enxergados por suas competências profissionais. Para o gerente de marketing da Catho, Ricardo Morais, a construção dessas lendas apenas reforçam a dificuldade de acesso para essa população: “A construção da imagem sobre pessoas com deficiência reflete no ambiente corporativo. Muitas são as dúvidas levantadas quando o assunto é a inclusão desses profissionais: têm qualificação? Podem atuar em qualquer setor, cargo ou liderar equipes? Como me comunicar sem ofender ou constranger? Ter esses conhecimentos é fundamental para a inclusão”, afirma o gestor. No site da Catho, para a conscientização e participação de pessoas com deficiência no mercado de trabalho, há um manifesto “Minha vaga por direito”. Conheça e acesse o link minhavagapordireito.com.br para conhecer mais sobre o movimento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade